Champions League

Ausência de brasileiro pode custar caro ao Atlético de Madrid contra o Dortmund

Sem Samuel Lino, suspenso, Atlético de Madrid pode não ter alternativas de velocidade contra Dortmund

A ida das quartas de final da Champions League entre Atlético de Madrid e Borussia Dortmund, disputada na última semana no Metropolitano, foi bem interessante. Teve um início fulminante do time espanhol, empurrado pela torcida, culminando em dois gols em 31 minutos e algumas chances perdidas. Depois, os aurinegros empurraram o rival, diminuíram e até poderiam ter saído com o empate, mas perderam por 2 a 1. Agora, nesta terça-feira (16), jogam a partida de volta na Alemanha e o lado visitante tem motivos para preocupação.

Autor do segundo gol no Metropolitano, Samuel Lino foi advertido com cartão amarelo e está suspenso para o confronto de volta. Ala pela esquerda, o brasileiro reúne características únicas no elenco dos Colchoneros e deverá ser substituído pelo zagueiro Mario Hermoso, enquanto Rodrigo Riquelme corre por fora na disputa pela titularidade no setor canhoto. A posição de César Azpilicueta na esquerda da defesa também não está confirmada, podendo ser sacado e Diego Simeone escalar Hermoso na defesa e Riquelme na ala.

A possibilidade de colocar um zagueiro na função de Lino evidencia a importância do brasileiro. Titular absoluto na temporada, ele é a válvula de escape perfeita para as transições do Atleti. Extremamente rápido, se destaca nos embates mano a mano e se sobressai nos dribles. No elenco do clube de Madrid lidera a média de fintas na Champions (1,3 com eficácia de 50%) e é o segundo no quesito em La Liga (1,2 e 60% de acerto). Curiosamente, no recorte do torneio europeu, ele também é quem mais finaliza (2.6) ao lado de Álvaro Morata. Os dados são do SofaScore.

Apesar do Atlético de Madrid jogar quase toda temporada no 5-3-2, Samuel Lino por vezes recompôs na segunda linha, como um meia pela esquerda, para que possa ficar ainda mais próximo para atacar. O duelo de ida contra a Internazionale nas oitavas foi um bom exemplo de como o brasileiro é uma válvula de escape única no grupo de jogadores, sendo o único a ser acionado no ataque em um jogo complexo.

E uma partida difícil é exatamente o que os espanhóis encontrarão hoje. Em casa, o Dortmund costuma ser avassalador, especialmente nos primeiros minutos, quando efetuam uma pressão sufocante no campo de ataque e tiram as alternativas de saída do adversário. O PSV sofreu com isso, mesmo empatando por 1 a 1 na Holanda, perdeu de 2 a 0 em território alemão após um início incrivelmente intenso do Borussia.

— Temos que colocar a mesma intensidade [hoje] que [tivemos] em casa. Vai ser decisivo. Não é um campo fácil, o Dortmund vai querer começar forte e temos que ser intensos desde o primeiro minuto. Os primeiros 15 minutos de jogo serão muito importantes — alertou o zagueiro Axel Witsel na entrevista coletiva prévia ao confronto.

O Atlético provavelmente optará em se fechar no campo de defesa e utilizar a velocidade para contra-atacar. Mas, sem Lino, isso fica extremamente limitado. Riquelme até tem características próximas e pode ser uma opção, só que se for Hermoso pela ala, o time visitante basicamente não terá ninguém para puxar as transições de forma rápida.

— Vamos ter um time que vai sair forte [da defesa], com jogadores que chegam muito bem na segunda linha e vamos buscar levar o jogo para onde acreditamos que podemos prejudicá-los — previu Simeone.

Muralha Amarela aguarda Atlético para empurrar Dortmund

Muralha Amarela é sempre um capítulo a parte em noites de Champions (Foto: Icon Sport)

Uma eliminatória de Champions aberta tendo o jogo decisivo no Signal Iduna Park é motivo para destaque. Por jogos da principal competição europeia, o Dortmund não sabe o que é perder em casa desde 2021, acumulando nove jogos de invencibilidade (cinco vitórias e quatro empates). Na edição desta temporada, apesar de estar no grupo da morte, Newcastle, Milan e PSG não venceram ao ver a Muralha Amarela.

— É um dos grandes lugares do futebol pelo seu clima e pelo entusiasmo dos torcedores durante todo o jogo. Na semana passada jogamos no Metropolitano e os torcedores deles estavam lá, criaram um ótimo ambiente para eles e agora queremos dar de volta — avisou o técnico do BVB, Edin Terzić.

— É parecido com o nosso estádio [Metropolitano], o ambiente é muito quente, como em casa. Sabemos que não será um jogo fácil — disse o receoso Witsel.

Qualquer empate garante a classificação para as semifinais ao time da capital da Espanha. Já o Dortmund precisa ao menos vencer pela contagem mínima para forçar a prorrogação no jogo que inicia às 16h (horário de Brasília). Quem avançar enfrenta Barcelona ou PSG, que jogam ao mesmo tempo, na Catalunha.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo