Champions League

Dificuldade do Dortmund em eliminar PSV na Champions mostra que quartas é o teto dos alemães

Após empate equilibrado na ida, Borussia Dortmund até fez início interessante e abriu o placar cedo na volta contra o PSV, mas sofreu para confirmar classificação

Quando saiu o sorteio das oitavas de fina da Champions League, o confronto entre Borussia Dortmund x PSV era um dos mais equilibrados, mas havia um claro favoritismo dos alemães pelo melhor elenco. No entanto, o clube de Eindhoven venceu caro a classificação dos aurinegros, confirmada com vitória por 2 a 0 nesta quarta-feira (13) no Westfalenstadion. Isso que a ida já tinha sido bem difícil e equilibrada, finalizada em 1 a 1. Classificado às quartas, o time de Edin Terzić não deve passar disso, principalmente porque só restaram os gigantes da Europa e o Borussia não parece pronto para esse tipo de confronto.

Hoje, o Dortmund empolgou os torcedores com um ritmo absurdo nos primeiros minutos. Pelo menos até os 25 minutos, a equipe da casa foi absoluta e mereceu abriu o placar com apenas dois minutos no relógio. A defesa adversária afastou mal um cruzamento e Julian Brandt rolou para Jadon Sancho, que finalizou rasteiro de fora da área e viu a bola bater na trave antes de entrar. Antes, o goleiro argentino Walter Benítez já tinha defendido uma tentativa cara a cara do lateral Ian Maatsen.

A intensidade dos aurinegros impressionava, fosse para roubar a bola no campo de ataque ou para engolir os rivais e antecipar. Eles não queriam saber se rodar a bola pacientemente. O objetivo era claro: verticalizar o jogo o mais rápido possível. Assim que Niclas Füllkrug recebeu cruzamento rasteiro de Donyell Malen e bateu torto, para fora, já dentro da área. Sancho, com liberdade para flutuar para dentro pela presença de Maatsen no corredor esquerdo, desfilava confiança nesse bom início e distribuiu bons dribles. 

Benítez, que já tinha defendido uma no primeiro minuto, trabalhou duas vezes seguidas para evitar o segundo do Borussia. Primeiro, Brandt tentou em batida cruzada e, na sobra, Malen foi mais rápido que a zaga para finalizar de novo. O ataque holandês, ex-PSV, ainda teria outra oportunidade, em chute cruzado que passou próximo da trave do goleiro argentino.

O jogo muda a partir de um chute todo torto de Sergiño Dest, aos 26 minutos, a primeira tentativa do time visitante. Depois disso, os holandeses saíram do sufoco e passaram a concluir mais para o gol. Gregor Kobel, mero espectador antes, teve que trabalhar pela primeira vez em finalização de Johan Bakayoko no meio do gol, mesmo caminho de um chute de Guus Til, já próximo do fim da etapa inicial.

Para o segundo tempo, Peter Bosz fez uma troca que pareceu o encaixe que faltava para o PSV ter mais chances claras. Erving Lozano substituiu o volante Til e, com isso, Malik Tillman virou meia. O Dortmund até deu uma boa resposta com uma tentativa de Malen que foi bloqueada pela defesa e veio nas mãos de Benítez, mas o cenário do jogo seria outro.

O PSV começou a amassar, dominar todas as ações ofensivas. Lozano arriscou uma de longe e carimbou a trave. Depois, Jordan Teze invadiu a área e Kobel teve que afastar para escanteio. Na cobrança curta, Luuk De Jong quase foi acionado para marcar na segunda trave, mas o goleiro afastou.

Terzic viu a dificuldade em seu time, que não conseguia mais sair jogando, e colocou Felix Nmecha no lugar de Brandt. Nada que mudasse o panorama, e o visitante chegou de novo, com Lozano, dessa vez mandando para fora.

Nesse sufoco, o Dortmund nem encontrava espaço para contra-atacar. Só arriscou uma vez e quase ampliou em cruzamento de Malen concluído por Füllkrug, que parou em Benítez. A resposta veio com Bakayoko, exigindo nova intervenção de Kobel. Era claro que o dono do Westfalenstadion sentiu a questão física e parecia não ter perna para tentar algo a mais.

Só parecia porque o Borussia ampliou, mesmo que impedido, aos 32 minutos. Marco Reus, saindo do banco, cobrou falta perfeita na marca do pênalti, onde Füllkrug apareceu para, finalmente, superar Benítez com finalização entre as pernas do argentino. No entanto, apesar do campo dar o gol, o VAR anulou por um detalhe.

O PSV manteve o ímpeto no fim, com Lozano seguindo como o principal ponto de jogadas de ataque. Com mais de 40, Kobel foi acionado de novo para tentativa do holandês De Jong e seguiu brilhando. Depois, Teze mandou uma bomba que passou pertinho da trave. Nos cinco minutos finais de acréscimos, De Jong teve uma chance cara a cara, em passe açucarado de Jordan Teze, mas o centroavante isolou. Ainda deu tempo para Reus se aproveitar de escorregão de Isaac Babadi e sair cara a cara para marcar o segundo. 

O sorteio das quartas de final da Champions acontece nesta sexta (15) e o time alemão pode enfrentar qualquer um dos outros sete times que avançaram. São eles Real Madrid, Bayern de Munique, PSG, Internazionale/Atlético de Madrid, Arsenal, Barcelona e Manchester City. Realmente, é complexo para que o Borussia Dortmund se veja nas semifinais.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo