Champions League

Depois de fraco 1º tempo, Inter supera paredão Oblak e leva boa vantagem contra o Atlético na Champions

Inter foi melhor que o Atlético de Madrid e saiu com boa vitória por 1 a 0, com gol do austríaco Arnautovic

Os primeiros 45 minutos do confronto mais legal das oitavas de final da Champions League foram extremamente decepcionantes, mas a etapa final entregou o que todo mundo esperava: muitas chances e intensidade. Jogando no San Siro nesta terça-feira (20), a Internazionale foi melhor que o Atlético de Madrid e foi recompensada com um justo 1 a 0, gol marcado por Marko Arnautovic, que perdeu várias oportunidades antes de marcar.

A interessante vantagem dos Nerazzurri será colocada a prova em 13 de março, quando visitam os Colchoneros no estádio Cívitas Metropolitano, pelo confronto de volta para definir quem avança às quartas.

1º tempo de pouco futebol termina com Inter criando primeiras chances

Como acontece normalmente na temporada, os dois lados utilizaram o 3-5-2 característico. No Atlético de Madrid, com Álvaro Morata em más condições físicas, Diego Simeone manteve o meio-campista/ala Marcos Llorente no ataque, como aconteceu no 5 a 0 frente ao Las Palmas, ao lado do francês Antoine Griezmann. Já a Inter de Simone Inzaghi teve uma novidade. Denzel Dumfries, normalmente o ala pela direita, ficou no banco e Matteo Darmian ganhou a vaga.

Como dona da casa, a Internazionale começou dona da bola e das ações ofensivas nos minutos iniciais, mas não levou perigo. Mesmo cenário do Atlético, mais reativo, que buscava pressionar o adversário com uma linha bem alta para roubar a bola no campo de ataque. Não conseguiu criar assim, só foi finalizar quando Samuel Lino foi acionado pela esquerda, cortou para o meio e bateu para fora aos 11 minutos.

Ainda antes dos 15, os Nerazzurri reclamaram de pênalti quando Lautaro Martínez mandou uma bomba, a bola bateu em Axel Witsel e foi amortecida na mão de Nahuel Molina, indo em direção ao goleiro Jan Oblak. Nada foi marcado.

Dá para dizer que foram 45 minutos ruins. Quando não eram muito conservadores para atacar, os dois lados pecavam na eficácia do passe mais próximo das áreas. As formações eram iguais, mas tinha diferenças. O Atlético, no momento sem bola, fechava em 5-4-1, com Llorente recompondo pela direita e Saúl Ñíguez pela esquerda. Já a Inter mantinha a dupla de ataque à frente nos poucos instantes que ficou sem a bola nessa etapa inicial.

Pouco futebol marcou primeiro tempo (Foto: Icon Sport)

Apenas aos 36 minutos aconteceu a primeira defesa da partida. Uma boa movimentação pela direita, com Benjamin Pavard subindo e atraindo a marcação para Nicolò Barella cruzar, chegou em Lautaro, que cabeceou nas mãos de Oblak. Logo na sequência, Rodrigo De Paul entregou no meio-campo, Marcos Thuram carregou do meio-campo à entrada da área e tocou para o argentino. Dessa vez o atacante vacilou e, quando foi bater após dominar, a marcação já tinha fechado o ângulo.

A Inter passou a encontrar mais espaços no fim a partir dos erros de passes do Atleti no meio. Novamente com a velocidade dos atacantes, de Lautaro para Thuram, o francês serviu Barella na entrada da área. O meia bateu no meio do gol e Oblak defendeu em dois tempos. O primeiro tempo foi até os 46 minutos e terminou zerado.

De vilão a herói: Arnautovic perde gols e depois marca o da vitória

No intervalo, os dois técnicos mudaram, provavelmente obrigados por questões físicas. Thuram, que sentiu no fim da etapa inicial, deu lugar a Marko Aranautovic. Enquanto isso, José Maria Giménez foi substituído por Stefan Savic. Com isso, Witsel passou a jogar no centro do trio de zaga e o montenegrino entrou pela direita.

A Inter seguiu o ritmo anterior, bem melhor que o rival. Em uma linda saída de bola, a equipe da casa construiu da defesa ao ataque. Federico Dimarco escapou pela ponta esquerda e cruzou na medida para Arnautovic, que ao finalizar quase na pequena área mandou por cima do gol. O centroavante austríaco foi alvo de outro levantamento da área e, agora de cabeça, concluiu de novo para fora.

Claramente insatisfeito, Simeone colocou o artilheiro da temporada, Álvaro Morata, no lugar de Saúl. Com isso, Llorente deu um passo para trás e passou a ser o meia pela direita – De Paul teve que partir para esquerda e Koke permaneceu como o primeiro volante no meio.

Logo na sequência da alteração, aos 10, o Atlético deu as caras no ataque pela primeira vez na etapa final. Boa jogada, iniciada por Morata, terminou com Lino na área batendo para fora. A mudança realmente deu uma nova postura ao clube de Madri. Llorente saiu na cara de Yan Sommer e dividiu com o goleiro, além do zagueiro Stefan de Vrij, mas só conseguiu um escanteio – cobrado nas mãos do suíço.

O jogo ficou muito bom nesses 20 minutos iniciais. Arnautovic saiu da área para tabelar com Lautaro e recebeu de volta na cara de Oblak, mas, novamente, isolou a bola. A terceira chance desperdiçada pelo centroavante.

Arnautovic entrou no segundo tempo e perdeu três gols antes de se redimir (Foto: Icon Sport)

O Atlético trocou mais duas depois dos 20′. Pablo Barrios entrou no lugar de Molina, e agora Llorente foi para sua terceira função no jogo: a de ala pela direita. Reinildo também ganhou uma chance no jogo, substituindo Mario Hermoso. Na Inter, o brasileiro Carlos Augusto e Dumfries deram novo gás para os lados do campo da Inter. Depois, Davide Frattesi no meio.

Na primeira jogada pela direita, Dumfries recebeu na área e cruzou rasteiro na primeira trave. Arnautovic deixou a bola passar e a defesa foi ligeira para cortar com Savic. Oblak teve que trabalhar pouco depois e, novamente, mostrou segurança para encaixar um cabeceio de Lautaro. A blitz nerazzurri, finalmente, foi recompensada com 33 minutos. Reinildo e De Paul se enrolaram, Lautaro saiu na cara do gol e bateu em cima de Oblak. No rebote, finalmente Arnautovic marcou – por muito pouco a defesa não afastou.

Vale citar que o time espanhol tinha tirado Griezmann pouco antes do gol, substituído por Ángel Correa. A resposta do Atlético veio logo na sequência com Lino em uma finalização perigosa de longe.

No fim, o Atlético pressionou bastante o adversário, mas cedia espaços ao contra-ataque na mesma medida, ainda mais com Alexis Sánchez na vaga de Lautaro. Após cinco de acréscimos, mesmo com vários contragolpes perigosos, a Inter terminou com a vitória por apenas um de vantagem.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo