Europa

Barcelona vê meia valorizado após boa temporada e recusa investida de gigante inglês

Fermín López, destaque em 22/23, recebe primeira proposta da carreira aos 21 anos

O Barcelona não teve muitas notícias boas na temporada recém-finalizada. Após ser campeão de La Liga e da Supercopa da Espanha em 2022/23, esperava um passo maior que não veio, culminando na demissão do técnico Xavi Hernández.

Se houve algo de bom, foi a consolidação de vários talentos de La Masia. Os mais notórios foram dos adolescentes Pau Cubarsí e Lamine Yamal, além do meia Fermín López, este mais velho, aos 21 anos.

O jovem garoto retornou de empréstimo de Linares e finalmente ganhou oportunidades, mostrando qualidade a ponto de acabar de receber uma proposta de um gigante do futebol inglês.

Barcelona recebe proposta do Manchester United por Fermín López

O jornal catalão Sport publicou nesta segunda-feira (17) o interesse do Manchester United em um meio-campista técnico e de boa chegada na área adversária.

Identificaram em Fermín estas características e ofereceram 30 milhões de euros aos Culés para comprá-lo. Mas a direção do Barça prontamente recusou, considerando a quantia extremamente abaixo do talento do atleta.

Ainda segundo a informação do periódico, o Barcelona acredita que o meio-campista “multiplicará” seu valor nos próximos anos pelo crescimento técnicos que vive.

Se os Red Devils quiserem realmente tirar López da Catalunha, precisará subir e muito sua proposta. Apenas um valor considerado “irrecusável” o faz sair do Camp Nou.

Postura do Barça faz sentido: meia demonstra ser uma joia bruta

Em um contexto completamente desfavorável, Fermín mostrou seu talento no Barcelona e aparenta ter grande futuro pela frente.

No 4-3-3 inegociável de Xavi, era o meia mais avançado do ataque, à direita, se posicionando praticamente como um dos atacantes no momento ofensivo na última linha do 3-2-5.

Nessa parte do campo, mostrou enorme qualidade para pisar na área e ser um oportunista para marcar gols, como no El Classico no Santiago Bernabéu, vencido pelo Real Madrid por 3 a 2.

No total, foram 11 gols em 42 partidas, sendo apenas 20 como titular por só conquistar a posição definitiva entre os 11 iniciais a partir de janeiro com as várias lesões no setor de meio-campo.

Com o novo técnico Hansi Flick, o meia deve ganhar oportunidades e quem sabe até mais massa muscular, o impacto conhecido do comandante nas equipes que treina.

A ver se Flick prefere escalar İlkay Gündoğan ou Fermín como meia do 4-2-3-1 que normalmente usa. De toda forma, a promessa de La Masia deve continuar ganhando oportunidades, conforme assumido pelo presidente do clube, Joan Laporta.

— Ele [Hansi Flick] entende e concorda com nossa visão sobre a utilização dos jovens de La Masia como base de presente e futuro. Discutimos isso. Temos Fermín, Gavi, Yamal, Cubarsí… temos que valorizá-los.

Joia do Barcelona chegou à seleção espanhola

O ótimo desempenho o levou a primeira convocação para Espanha principal. Fermín saiu do banco na vitória por 6 a 0 em cima de Andorra em 5 de junho e ainda deu uma assistência em apenas 29 minutos em sua estreia com a Fúria.

Ficou no banco no amistoso seguinte frente a Irlanda do Norte e, mesmo na primeira chamada, ficou na lista final de jogadores na Eurocopa 2024 a serviço da Espanha (veja todas as convocações aqui).

A seleção espanhola de Luis de la Fuente estreou na competição com ótima vitória (e Fermín no banco) em cima da Croácia por 3 a 0 e ainda enfrenta Itália e Albânia para fechar o grupo B da Euro.

Fermín não tinha experiência antes da temporada atual

O meia conseguiu tudo isso logo na sua primeira temporada como profissional pelo Barça.

Ele passou 22/23 emprestado ao modesto Linares, da Primera Federación, a terceira divisão nacional, e mostrou qualidade ofensiva ao marcar 12 vezes em 40 partidas, além de quatro assistências.

Antes, sua experiência se limitava a base dos catalães, onde está desde os 13 anos. A troca para Barcelona veio em 2016, quando defendia o Real Betis.

Natural de El Campillo, município da província de Huelva, Fermín López passou ainda criança pelo time da cidade e do estado até despertar o interesse de times da primeira divisão espanhola.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo