La Liga

Cemitérios de joelhos: quais times tiveram mais rompimentos no joelho em La Liga nos últimos 6 anos

Real Madrid é quem mais sofre com graves lesões no joelho na atualidade, mas Villarreal, Real Sociedad e Getafe lideram em levantamento recente

O pior acontecimento na vida profissional de um atleta de alto nível provavelmente é se lesionar. Contusões que demandam cirurgia, um longo tempo de recuperação e ainda podem deixar sequelas, então, são as mais temidas. Problemas no joelho costumam ser assim, são quase sinônimo de meses de paralisação e ultimamente são os maiores pesadelos dos departamentos médicos do futebol mundial. Neymar é um exemplo disso, já que rompeu o ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho esquerdo na derrota do Brasil para o Uruguai, em outubro, precisou passar por um procedimento cirúrgico e dificilmente voltará a jogar antes de junho.

A temporada 2023/24 de La Liga, inclusive, tem sido marcada por várias lesões de joelho. Mesmo com mais da metade da competição para ser jogada ainda, ao menos 15 jogadores já sofreram com problemas médicos nesta região do corpo. O aumento dos casos fez com que o jornal Marca realizasse um levantamento das equipes espanholas que mais sofreram com contusões sérias de joelho desde a edição 2018/19 do Campeonato Espanhol.

Villarreal, Real Sociedad e Getafe foram os clubes mais infortunados com rompimentos de ligamentos anteriores cruzados de joelhos. Os três tiveram cinco casos do tipo nos últimos seis anos. Na sequência, aparecem Real Madrid e Alavés, com quatro. O Barcelona, com somente dois, aparece atrás de outros sete times, enquanto o Atlético de Madrid teve apenas um.

O que mais chama a atenção ao analisar as situações das três principais forças do futebol espanhol é o alto número de jogadores do Real Madrid atualmente em recuperação de rompimentos do LCA. Thibaut Courtois e Éder Militão estão no departamento médico desde agosto e permanecerão ao menos até março de 2024. Já David Alaba rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo na goleada sobre o Villarreal, no domingo (17), e perderá o restante da temporada.

Além dos três, Eduardo Camavinga também tem sido desfalque para o técnico Carlo Ancelotti por uma lesão no joelho. O caso do francês, no entanto, é bem menos grave: uma torção no joelho direito que deve o deixar indisponível somente até janeiro. Vinícius Júnior (lesão no bíceps femoral da perna esquerda), Aurélien Tchouaméni (lesão no segundo metatarso do pé esquerdo) e Daniel Carvajal (lesão no músculo sóleo da perna esquerda) são outras baixas merengues na atualidade.

Villarreal, Real Sociedad e Getafe

O Villarreal abre a lista de times que mais vezes precisaram lidar graves lesões de joelho nos últimos seis anos. O Submarino Amarelo teve quatro atletas que romperam o LCA no período: Vicente Iborra (temporada 2020/21), Alberto Moreno (2020/21 e 2021/22), Francis Coquelin (2022/23) e Yeremy Pino (2023/24).

Pino se lesionou em novembro durante um treino e, mesmo não tendo uma previsão de retorno aos gramados, perderá o restante da temporada. Os outros quatro jogadores ficaram ficaram ao menos seis meses se recuperado das graves contusões.

Já a Real Sociedad também viu seu departamento médico tratar cinco rompimentos de LCA nos últimos seis anos, mas de cinco atletas diferentes. Martín Merquelanz (2021/22), Carlos Fernández (2021/22), Mikel Oyarzabal (2021/22), Umar Sadiq (2022/23) e David Silva (2023/24) foram os infortunados.

Os casos de mais repercussão foram os de Merquelanz e David Silva. O primeiro se lesionou em setembro de 2021 e até hoje ainda não voltou a disputar um jogo oficial. Neste mês, ele fez alguns exercícios em campo e participou de um treino com o restante do grupo pela primeira vez em dois anos. Já o segundo optou por se aposentar aos 37 anos após sofrer uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo.

Quem também precisou lidar com cinco graves lesões de joelho desde a temporada 2018/19 de La Liga foi o Getafe. Os Azulones, no entanto, são a primeira equipe do levantamento a ter dois jogadores atualmente fora de combate por problemas no LCA. Antunes (2018/19), Amath Ndiaye (2018/19) e Sabit Abdulai (2021/22) estão recuperados e hoje defendem outros clubes, mas Mauro Arambarri e Enes Ünal romperam o ligamento cruzado anterior este ano e ainda não deixaram o departamento médico.

Ünal é desfalque no Getafe desde maio, mas deverá retornar em breve e estará à disposição José Bordalás na segunda metade da temporada 2023/24. Arambarri, por outro lado, se contundiu em outubro e tem chances remotas de voltar a tempo para a 38ª e última rodada desta La Liga.

A lista completa de equipes da La Liga com mais casos de rompimentos no joelho nos últimos seis anos

  • Villarreal (5): Vicente Iborra, Alberto Moreno (2), Francis Coquelin e Yeremy Pino;
  • Real Sociedad (5): Martín Merquelanz, Carlos Fernández, Mikel Oyarzabal, Umar Sadiq e David Silva;
  • Getafe (5): Antunes, Amath Ndiaye, Sabit Abdulai, Mauro Arambarri e Enes Ünal;
  • Real Madrid (4): Marco Asensio, Thibaut Courtois, Éder Militão e David Alaba;
  • Alavés (4): Burgui, Rodry Ely (2) e Aleksandar Sedlar;
  • Girona (3): Johan Mojica, Toni VIlla e Joel Roca;
  • Osasuna (3): Chimy Ávila (2) e Darko Brasanac;
  • Cádiz (3): José Mari, Brian Ocampo e Joseba Zaldúa;
  • Espanyol: David López, Pablo Piatti e Gori;
  • Granada (3): Quini, Torrente e Neva;
  • Huesca (3): Luisinho e Pablo Insua (2);
  • Levante (3): Róber Pier, Doujouré e Sadiku;
  • Barcelona (2): Raphinha e Pablo Gavi;
  • Valencia (2): Garay e Jaume Domenech;
  • Real Betis (2): Dani Martín e Fekir;
  • Mallorca (2): Koutris e De Galarreta;
  • Atlético de Madrid: Reinildo;
  • Almería: Svidersky;
  • Eibar: Cote;
  • Leganés: Szymanowski;
  • Celta de Vigo: Sergio Álvarez;
  • Rayo Vallecano: Elustondo.
Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo