Brasil

Nathan Fernandes precisa ajudar o Grêmio a marcar – e Renato Gaúcho sabe disso

Gols de Internacional e São Luiz, nos dois últimos jogos do Grêmio, surgiram a partir de dificuldades do jovem atacante Nathan Fernandes na marcação

Em um futebol no qual as equipes atacam com cada vez mais gente, e os laterais apoiam a todo momento, os atacantes precisam colaborar na fase defensiva e saber marcar. Essa é uma dificuldade que Nathan Fernandes, joia de apenas 18 anos do Grêmio, apresenta, e que Renato Portaluppi terá que corrigir para que o garoto possa desenvolver todo seu potencial.

No clássico Gre-Nal do último domingo (25), no Beira-Rio, pelo Campeonato Gaúcho, o polêmico pênalti de Kannemann em Alan Patrick, nos acréscimos do segundo tempo, decidiu o jogo a favor do Internacional. E a jogada inicia em condução de bola de Vitão, que passa por Nathan Fernandes com muita facilidade, deixando o atacante do Grêmio no chão, e encontra Rômulo, que por sua vez aciona Alan Patrick entre as linhas de marcação.

Na última quarta-feira (28), na disputa da Recopa Gaúcha, contra o São Luiz, em Ijuí, o Grêmio sofreu muito com as subidas do lateral direito João Vitor, que não foi acompanhado adequadamente por Nathan Fernandes. O primeiro gol da vitória do Rubro nasce de arrancada do camisa 2 após pegar sobra de bola. O cruzamento rasteiro foi desviado por Bruno Uvini contra o próprio patrimônio. No segundo tempo, João Vitor teve outra boa chegada ao campo de ataque, em que cortou para dentro e finalizou de canhota, com perigo, à esquerda do gol de Caíque.

Renato já havia apontado deficiência de Nathan Fernandes na marcação

Essa deficiência de Nathan Fernandes na marcação já era apontada por Renato no ano passado, quando o jovem atacante despontou no time profissional após ser muito pedido pela torcida. O treinador falou sobre o tema depois da vitória sobre o Goiás, na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro de 2023, em que o garoto deu assistência para o último gol de Luis Suárez na Arena do Grêmio.

– Quando o garoto chega da base para o profissional, o meu trabalho é lapidar, treinar a parte tática. Ele tinha deficiência de voltar para marcar o lateral adversário. É importante isso para ele. Muitas vezes via ele jogar lá embaixo, queria a bola nos pés, não voltava para marcar. No profissional é diferente. Mas ele melhorou bastante – frisou Renato.

Talvez a melhora ainda não seja suficiente. Somado a isso, uma lesão muscular, e o bom desempenho de Gustavo Nunes durante sua ausência, levou Nathan Fernandes a continuar no banco de reservas mesmo com a grave lesão muscular sofrida por Soteldo.

Coordenador da base do Grêmio entende ser normal o jogador não chegar pronto no profissional

No entanto, pela juventude do atacante, é natural essa oscilação, e os aspectos a serem corrigidos. Isso foi ressaltado por Francesco Barletta, coordenador das categorias de base do Grêmio, em entrevista exclusiva à Trivela em dezembro do ano passado.

— Eu acho que é normal. Eu não vejo dessa forma que o jogador tem que subir pronto. […] Essa palavra do Renato é muito importante, que é ‘lapidar'. O treinador do profissional tem esse restante de formação, esse lastro. Quando chega pronto lá, é sinal que ele não tem o que desenvolver. Ele pode ajudar momentaneamente e depois não ter mais como crescer — destacou.

Nathan Fernandes pelo profissional do Grêmio

  • 19 jogos (6 como titular)
  • 722 minutos
  • 2 gols
  • 1 assistência
Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo