Brasil

Em jogo acirrado e polêmico, Internacional vira nos acréscimos sobre o Grêmio e vence primeiro Gre-Nal da temporada

Com cinco gols, polêmica arbitragem de Anderson Daronco e confusão no final, Internacional virou sobre o Grêmio e venceu o primeiro Gre-Nal de 2024, pelo Campeonato Gaúcho

O primeiro clássico Gre-Nal de 2024 teve todos elementos possíveis. Variações táticas, polêmicas de arbitragem, confusão, cinco gols e virada. Quem sorriu por último foi o Internacional, que venceu por 3 a 2, com o gol da vitória marcado de pênalti, por Alan Patrick, nos acréscimos do segundo tempo. Maurício e Alario também marcaram para o Colorado, enquanto Renê, contra, e Villasanti fizeram para o Grêmio.

Com o resultado, o Internacional garante a liderança da fase classificatória do Campeonato Gaúcho, com 25 pontos em 10 jogos. Já o Grêmio é o vice-líder, com 20. Na última rodada, no próximo sábado (2), às 16h30min, o Colorado visita o Juventude, e o Tricolor recebe o Guarany. Antes disso, o Inter estreia na Copa do Brasil, na quarta-feira (28), às 20h, contra o ASA, em Arapiraca/AL.

Formações de Internacional e Grêmio

A escalação do Internacional não teve surpresas. Ainda sem Rochet, e com o desfalque de Gabriel Mercado, os jovens Anthoni e Robert Renan iniciaram como titulares. Assim como Maurício, que entrou no lugar de Alario. Com isso, Alan Patrick foi adiantado, e Bruno Henrique atuou como meia centralizado. No 4-1-3-2, o Colorado começou com Anthoni; Bustos, Vitão, Robert Renan e Renê; Aránguiz; Maurício, Bruno Henrique e Wanderson; Alan Patrick e Enner Valencia.

O Grêmio, sim, teve novidades. Na zaga, Rodrigo Ely entrou no lugar de Geromel. E a principal mudança foi no meio de campo, que teve Du Queiroz em tripé com Villasanti e Pepê, e Dodi na ponta direita. Com isso, Cristaldo e Galdino deixaram o time, e Pavón também iniciou no banco de reservas. No 4-1-4-1, o Tricolor começou com Marchesín; João Pedro, Rodrigo Ely, Kannemann e Reinaldo; Villasanti; Dodi, Du Queiroz, Pepê e Gustavo Nunes; João Pedro Galvão.

Susto para o Internacional no aquecimento

O Internacional quase teve uma baixa já no aquecimento. Após sofrer carrinho de Bustos, Enner Valencia sentiu a perna direita e saiu do gramado mancando. Lucca e Alario chegaram a intensificar o aquecimento caso o equatoriano não tivesse condições de jogo. Mas, no final das contas, o camisa 13 foi confirmado e entrou normalmente em campo, para alívio da torcida colorada.

Como esperado, o Internacional propôs o jogo e teve mais posse de bola diante de um Grêmio que buscou marcar forte e apostar nos contra-ataques e no jogo direto. Empurrado pela torcida colorada, que na entrada das equipes em campo ergueu mosaico com os dizeres '79 anos de paternidade', em alusão ao maior número de vitórias na história do clássico, o Inter finalizou pela primeira vez já com um minuto de jogo. Provando que o incidente no aquecimento foi só um susto, Enner Valencia recebeu de Bruno Henrique na direita, trouxe para dentro e chutou rasteiro, de canhota, para defesa de Marchesín.

Grêmio abre o placar em gol contra de Renê, cuja sina em jogos grandes continua

No lado do Grêmio, Dodi cumpria função tática importante, em que dobrava a marcação em Wanderson juntamente com João Pedro. Com isso, levava o Inter a atacar mais pela direita, onde Gustavo Nunes não acompanhava tanto as subidas de Bustos. No ataque, porém, o surpreende escolhido de Renato pouco contribuiu, ainda que tenha sido responsável por criar a primeira chance do Tricolor no jogo, em cruzamento da direita que João Pedro Galvão concluiu de cabeça para defesa de Anthoni, aos nove minutos.

Foi em outro cruzamento, vindo de Reinaldo, da esquerda, aos 14 minutos, que o Grêmio abriu o placar de forma inesperada. Em lance bizonho, Renê recuou com o pé direito, no contrapé de Anthoni, e marcou contra. A sina do lateral esquerdo, que foi muito mal na semifinal da Libertadores do ano passado, contra o Fluminense, continua em jogos grandes. O camisa 6 sentiu a nova falha e cometeu outros erros ao longo do primeiro tempo, ainda que não tão comprometedores.

Com Daronco mal no jogo, Internacional empata com Maurício ao se aproveitar de problema crônico do Grêmio

Quem também não tinha um início de noite feliz era Anderson Daronco. O árbitro deixou de distribuir cartões amarelos — o mais gritante para Bustos, que matou contra-ataque que vinha sendo puxado por Gustavo Nunes, e deixou os ânimos da partida acirrados. Outro erro grave foi ao não marcar falta clara de Bruno Henrique em João Pedro, aos 25 minutos. Na continuidade do lance, o Inter teve longa posse de bola até conseguir o gol de empate, explorando uma falha recorrente no Grêmio de Renato.

Seja com dois, três ou quatro volantes, o Tricolor costuma deixar espaço entre a linha de defesa e a de meio de campo. Alan Patrick fez o que quis por ali no Gre-Nal anterior, pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro do ano passado. Desta vez, Maurício inteligentemente se posicionou no setor, na meia lua da grande área, e girou e chutou rasteiro, no cantinho de Marchesín, após receber o passe do camisa 10.

O Inter quase virou um minuto depois, em cruzamento de Bruno Henrique da direita e conclusão de Alan Patrick. O Colorado era quem mais tentava diante de um Grêmio retraído. Mas a reta final do primeiro tempo foi truncada, com muitas dividades, faltas e algumas entradas ríspidas. Villasanti, inclusive, teve um sangramento no nariz após disputa com Renê. Daronco nada marcou. Os três minutos de acréscimo, que viraram quatro após falta que Alan Patrick cobrou desviado na barreira, foram poucos.

Em alucinante início de segundo tempo, Grêmio volta à frente com Villasanti

O segundo tempo começou mais aberto, com trocação e jogadas de velocidade em ambos os lados. Nas primeiras tentativas, os defensores levaram vantagem. Vitão conseguiu parar Gustavo Nunes no mano a mano, e Enner Valencia foi travado duas vezes, uma por Kannemann e outra por Rodrigo Ely. Mas aos 10 minutos, após receber passe de Gustavo Nunes, Villasanti, principal referência gremista desde a saída de Luis Suárez, invadiu a área, ganhou dividida de um Renê em dia ‘não' e tocou na saída de Anthoni para recolocar o Grêmio na frente.

A curiosidade é que, pouco antes do gol, Renato colocaria Pavón para deixar o Tricolor mais ofensivo. Novamente com vantagem no marcador, voltou atrás e manteve a cautelosa formação. O empate imediato do Inter quase saiu aos 15, quando Wanderson arriscou de fora da área, a bola desviou e Marchesín, no contrapé, conseguiu se reerguer e defender no canto direito.

O Grêmio teve chance de ouro para ampliar aos 17, em contra-ataque de quatro contra quatro. Sempre muito forte nas arrancadas, João Pedro passou como quis por Renê, que não cometeu a falta para não ser expulso, uma vez que já tinha cartão amarelo. Depois do lateral direito gremista invadir a área e ser travado, a bola sobrou limpa para Gustavo Nunes, que isolou.

Estrela de Coudet brilha, e Alario empata em promeiro toque na bola

Como quem não faz leva, o Inter marcou um minuto depois. E com a estrela de Eduardo Coudet. O treinador deixou o Inter ainda mais ofensivo com a entrada de Alario no lugar de Bruno Henrique. E, em seu primeiro toque na bola, o centroavante recebeu de Maurício, girou e bateu de canhota, rasteiro, no canto esquerdo de Marchesín, que não conseguiu fazer a defesa.

O jogo era alucinante. Embalado pelo gol, o Inter quase virou pouco depois. Wanderson encarou a marcação de João Pedro, foi para o fundo e cruzou de canhota na boca do gol. Alario chegou dividindo de cabeça com Kannemann, que conseguiu afastar pela linha de fundo. Daronco marcou falta do centroavante argentino no zagueiro conterrâneo.

A resposta de Renato veio aos 22 minutos, quando abriu mão de Dodi na ponta direita e enfim colocou Pavón. André Henrique entrou junto, na vaga de João Pedro Galvão. A partir da mudança, o Grêmio passou a atacar mais. No jogo de xadrez entre os treinadores, a resposta de Coudet aconteceu aos 29, recompondo o meio de campo com a saída de Enner Valencia e a entrada de Bruno Gomes, que reestreou com a camisa colorada.

Sentindo a queda física em sua equipe, Coudet voltou a mexer, em troca tripla, depois de Aránguiz chutar para defesa de Marchesín e Alan Patrick mandar por cima, aos 36 minutos. Rômulo, Lucca e o estreante Wesley entraram nos lugares de Aránguiz, Maurício e Wanderson. Alan Patrick voltou à função de meia centralizado, com Bruno Gomes na direita e Wesley na esquerda. A primeira participação de Wesley foi boa. Aos 39 minutos, após receber lançamento de Renê, tocou de cabeça já colocando na frente e superando João Pedro. Porém, o chute do bico esquerdo da grande área saiu fraco, nas mãos de Marchesín.

Apesar da manutenção da liderança do Inter com o empate, o Grêmio não se expunha. Seguia com as linhas baixas, mas especulava nos contra-ataques com seus pontas, em especial Nathan Fernandes, que entrou na esquerda no lugar de Gustavo Nunes. Descansado, o jovem atacante cavou faltas ao ser agarrado por Bustos aos 42, e derrubado por Rômulo, que recebeu cartão amarelo, aos 44. Na segunda cobrança, no corredor central, Reinaldo cobrou bem, e a bola passou com perigo, perto do travessão.

Em pênalti polêmico, Alan Patrick vira, e confusão se estabelece no final do jogo

A polêmica arbitragem de Daronco teve seu episódio capital aos 48 do segundo tempo. Alan Patrick driblava Kannemann, que se atirou e agarrou o camisa 10 colorado próximo à linha da grande área. Daronco assinalou o pênalti, e como não há VAR na primeira fase do Campeonato Gaúcho — apesar da tentativa da dupla Gre-Nal para que somente o clássico tivesse — a decisão foi definitiva. Com muita tranquilidade e categoria, Alan Patrick deslocou Marchesín para marcar o gol da virada, e da vitória colorada.

Como Gre-Nal sem confusão não é Gre-Nal, ela se estabeleceu em campo aos 53 minutos da segunda etapa, após desentendimento entre Bustos e Reinaldo. Reservas e membros das comissões técnucas das duas equipes invadiram o campo, e o preparador de goleiros do Inter, Leonardo Martins, foi expulso. Na beira do campo, o presidente colorado, Alessandro Barcellos, e o vice-presidente de futebol gremista, Antônio Brum, bateram boca. Ao final do jogo, os jogadores gremistas e Renato foram reclamar muito com Daronco, enquanto os colorados fizeram a festa com a torcida.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo