Brasil

Milito exalta valentia de Zaracho, mas sacrifício expõe elenco curto do Atlético-MG

Zaracho atuando com dores e exaltação a desempenho maior que ao resultado foram pautas de Milito pós-vitória contra o Inter

O Atlético-MG superou os 11 desfalques e o Internacional nesta quarta-feira (26) com a ajuda dos crias do clube. Mesmo voltando a vencer após três jogos, o técnico Gabriel Milito valorizou mais a atitude e valentia dos jogadores do que o resultado, inclusive do meia Matías Zaracho, que, no sacrifício, só aguentou apenas 20 minutos em campo.

A fase do Atlético não é das melhores, muito por conta dos vários desfalques que tem a cada partida. Mesmo assim, Milito sempre falou sobre a força do elenco, de como eles sempre querem vencer, buscando supera todas as adversidades.

A recompensa veio nesta quarta, quando o Galo bateu o Inter por 2 a 1, com gol no último lance da partida. Mas, por mais que a vitória tenha sido crucial e muito valorizada pelo treinador, Milito voltou a exaltar a valentia dos jogadores em primeiro lugar.

— Fico com o comportamento dos jogadores, a valentia, de saber sustentar o jogo nos momentos adversos da partida, e a confiança e a fé até o final para conseguir a vitória. O time demonstrou sua valentia que tem que ter qualquer time que quer estar nos primeiros lugares — afirmou Milito.

A partida foi boa, mas destaco muito o amor-próprio dos jogadores para, em um momento de dificuldade como vivemos, jogarem com valentia. Dou mais valor a isso que ao resultado — Gabriel Milito

O sacrifício de Zaracho

Qualquer torcedor do Atlético que escuta que Zaracho está jogando no sacrifício deve lembrar imediatamente da entrada que ele sofreu há quatro jogos, contra o Red Bull Bragantino, e imaginar que o problema seja no tornozelo.

Mas, Gabriel Milito revelou que o meia argentino está se sacrificando por conta de outro problema, que, inclusive, o fez deixar o campo com pouco mais de 20 minutos de bola rolando contra o Inter.

— Zaracho é um jogador muito importante para nós e tem um coração enorme. Ele está com uma dor no púbis, que é muito incômoda para qualquer jogador. Sabemos quando essa dor vai começar, mas nunca quando ela se vai. Depende do jogador. Com essa dificuldade, Zaracho tem jogado os últimos oito ou 10 jogos — revelou o treinador.

Por conta desse problema no púbis, Milito explicou que Zaracho deixou o campo com 24 minutos, pois estava sentido maior incômodo devido ao gramado mais pesado por conta da chuva e do barro.

Milito consolou Zaracho ao tirá-lo do campo ainda no primeiro tempo (Pedro Souza / Atlético)

Recuperação impressionante

A citada entrada sofrida por Zaracho contra o Bragantino rendeu a ele uma entorse no tornozelo esquerdo, que deixou a região inchada, como informou Milito. A expectativa era de que o retorno aos gramados fosse após 15 dias aproximadamente, mas, seis dias depois, no duelo contra o Palmeiras, o argentino já estava em campo e como titular.

Essa recuperação de Zaracho pegou todos de surpresa, mas parece que, realmente, foi algo que ficou para trás, já que ele não tem se queixado de dores ou sequer manca em algumas ocasiões nos jogos.

Sacrifício de Zaracho é mais um sinal do elenco curto do Galo

É válido exaltar o sacrifício feito por Matías Zaracho, mas também é importante ver como ele é mais um ponto que ratifica como o elenco do Galo é curto. Ter 11 desfalques é algo que mina qualquer clube no mundo, mas poderia ser um momento menos difícil se o grupo de jogadores tivesse todas as peças.

Zaracho, por exemplo, poderia estar tratando do incômodo no púbis caso o time tivesse outro jogador para a posição. O argentino é quase insubstituível, mas, principalmente pelo histórico grande de lesões, poderia estar sendo poupado até se recuperar totalmente.

O mesmo vale para outras posições nas quais jogadores não conseguiram ter descanso e acabaram “estourando”. O caso mais recente de Saravia, atleta que atuou praticamente todos os minutos com Milito. Antes dele, foi a vez de Otávio, único volante à disposição anteriormente.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander HeinrickSetorista

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo