Brasileirão Série A

Mano Menezes quer mudar bastidores para tirar Fluminense do Z4 do Brasileirão

Novo técnico tenta implementar mudanças no dia a dia para trazer leveza e nova postura ao pesado ambiente do clube por conta da lanterna

Mano Menezes pode até parecer, mas não é um homem de poucas palavras. O gaúcho de 62 anos se transforma à beira do campo, mas fora dele, é simpático e tem a voz calma. E essas são as armas que o técnico pretende usar para salvar o Fluminense da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Além de observar o treinador em duas entrevistas coletivas e no empate por 1 a 1 com o Internacional, a Trivela conversou com fontes ligadas ao Tricolor para entender suas características.

Quem acredita que a mudança no Flu será meramente tática está bastante enganado.

— O grupo do Fluminense é o grupo que assumi e vou defender — afirmou, em coletiva.

Mano troca treinos longos de Diniz por atividades mais curtas

A Trivela apurou que uma mudança já foi comunicada: em vez dos treinos longos promovidos por Fernando Diniz, as atividades serão mais curtas e intensas com Mano Menezes.

O treinador crê que a equipe precisa ser mais compacta e trocar a aproximação em torno da bola por um jogo mais posicional, no qual sofrerá menos.

— Quando o adversário te pressiona e você vai, você traz consigo um jogador que vai apertar e roubar. No segundo tempo, cometemos sete vezes o mesmo equívoco de buscar a bola próximo. Tem que ter calma para levar a bola lá, com qualidade para fazer mais jogadas de gol, concluir mais — opinou.

O técnico não irá admitir publicamente, mas já sabe que alguns jogadores têm problemas físicos no Fluminense. As muitas lesões musculares em 2024 são um diagnóstico claro. Além disso, há atletas um pouco abaixo do que podem. Também por conta do desgaste físico e mental do trabalho.

Mano tenta trazer leveza a ambiente pesado do Fluminense

A fala tranquila é uma mudança perceptível no dia a dia, já que, nos últimos dois anos, o Flu se acostumou com o doce, mas irascível Fernando Diniz. Mano é mais direto e tranquilo não só dentro das quatro linhas, mas nas tratativas.

A começar pelos elogios ao antecessor. Embora tenha suas discordâncias táticas, o técnico quer tirar o que há de melhor no trabalho de Diniz e comunicou isso em suas primeiras conversas com a equipe. Sua ideia é ajustar posicionamentos e acertar a equipe para que a parte individual volte a aparecer.

Ganso é um dos jogadores que Mano Menezes quer ajudar a potencializar no Fluminense - Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC
Ganso é um dos jogadores que Mano Menezes quer ajudar a potencializar no Fluminense – Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Como já publicara a Trivela nas últimas semanas, algumas posturas e cobranças de Fernando Diniz já não surtiam mais o mesmo efeito. O elenco estava, sobretudo, desgastado pelo dia a dia. E paradoxalmente, triste pela saída do técnico que o levou às glórias. Mano quer curar essas feridas.

Para isso, sua arma será a leveza. O elenco do Fluminense é unido e sem atritos. Não há problemas ou desgaste entre os jogadores. A situação ruim no Campeonato Brasileiro, entretanto, deixa o ambiente pesado.

Dentro de campo, novo técnico quer time mais competitivo

Além da parte tática, uma preocupação de Mano Menezes é com o nível de competição do Fluminense. O técnico sabe que, para sair da situação difícil, a equipe precisa brigar mais sem bola.

Guga voltou a ser utilizado com Mano Menezes e aumentou nível de competitividade do Fluminense - Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC
Guga voltou a ser utilizado com Mano Menezes e aumentou nível de competitividade do Fluminense – Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Para isso, testa formações mais robustas na defesa, já reposicionada, e no meio-campo. As perseguições mais longas dos zagueiros não existem mais, e os volantes ainda não se acostumaram, mas cobrirão um espaço diferente do campo. Em vez de coberturas espaçadas, a ideia do treinador é defender melhor o meio.

O “funil”, setor do campo onde atacantes buscam flutuar entrelinhas, é o grande problema da marcação do Flu para Mano. É necessário melhorar o posicionamento e a forma de pressionar para defender melhor a área e evitar gols como o que a equipe sofreu do Internacional.

— Abrimos muito a linha por dentro. Sabíamos que o adversário trabalha bem por dentro, foi na ânsia de pressionar, e abriu as linhas. A gente precisa de calma, induzir o adversário a fazer algo que a gente quer primeiro e depois retomar — diagnosticou.

O Fluminense volta a campo contra o Fortaleza, no domingo (7), às 16h (de Brasília), pelo Campeonato Brasileiro. A equipe segue na lanterna, com apenas seis pontos em 14 jogos.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo