Brasileirão Série A

Com menos de 10% dos minutos na retomada do Palmeiras, Artur ‘sumiu’ por teimosia de Abel e pode deixar o clube

Destaque do Palmeiras no Brasileiro começou a perder espaço quando foi deslocado para a esquerda do ataque

Fora do time titular do Palmeiras, desde a eliminação na semifinal da Copa Libertadores, Artur vive um ano repleto – tanto dentro, quanto fora de campo. Atualmente reserva do time de Abel Ferreira, o jogador tambem passa por uma guinada profissional.

Recentemente, o atacante rompeu a parceria que mantinha há alguns anos com o super-agente Nick Arcuri, um dos mais reconhecidos brasileiros no mercado internacional do futebol.

A troca de representante é só mais uma das muitas mudanças experimentadas por ele na temporada. Que pode até culminar com sua saída para outro clube.

A Trivela apurou com fontes do Palmeiras que o jogador segue dentro dos planos de Abel Ferreira para 2024, ainda que, hoje, ele seja um reserva com pouquíssimo espaço na equipe. Mas que uma negociação não seria barrada pelo técnico.

Na busca de contar com Artur como cliente, alguns empresários têm trazido ofertas e sondagens para o jogador. Dentre as quais, uma aproximação do Zenit, da Rússia, revelada pelo jornalista Jorge Nicola.

Essa não é a primeira vez no ano que um clube da Europa procurou o Palmeiras por Artur. No meio do ano, houve uma oferta de outra equipe, e o Palmeiras não o negociou, devido ao seu então pouco tempo no clube.

De lá para cá, porém, muita água passou sob essa ponte.

“Vítima de Abel” e da lesão de Dudu

Grande contratação do Palmeiras para 2023, ao custo de R$ 40 milhões, Artur começou o ano no Red Bull Bragantino. Após o Paulista, foi negociado com o Alviverde, que o revelou para o futebol e que o recomprou três anos depois de tê-lo vendido.

O camisa 11 chegou com tudo no Alviverde e logo se tornou o destaque que colocou Endrick no banco de reservas. Mas, a partir de agosto, começou a cair de produção. Seu último gol aconteceu exatamente em 30 de julho, na vitória por 4 a 1 sobre o América-MG no Campeonato Brasileiro.

A rota descendente do cearense ganhou contornos irreversíveis com a lesão de Dudu, em 27 de agosto. Um ponta direita canhoto de primeira linha, Artur se tornou um ponta-esquerda inócuo no 4-3-3 que tinha Mayke improvisado no ataque.

Brasileiro Serie A
# Seleção J V E D +/- Pontos
1 Palmeiras

Palmeiras

38 20 10 8 31 70
2 Gremio

Gremio

38 21 5 12 7 68
3 Atletico Mineiro

Atletico Mineiro

38 19 9 10 20 66
4 Flamengo

Flamengo

38 19 9 10 14 66
5 Botafogo

Botafogo

38 18 10 10 21 64
6 Bragantino

Bragantino

38 17 11 10 14 62
7 Fluminense

Fluminense

38 16 8 14 4 56
8 Athletico Paranaense

Athletico Paranaense

38 14 14 10 8 56
9 Internacional

Internacional

38 15 10 13 1 55
10 Fortaleza EC

Fortaleza EC

38 15 9 14 1 54
11 Sao Paulo

Sao Paulo

38 14 11 13 2 53
12 Cuiaba

Cuiaba

38 14 9 15 1 51
13 Corinthians

Corinthians

38 12 14 12 -1 50
14 Cruzeiro

Cruzeiro

38 11 14 13 3 47
15 Vasco da Gama

Vasco da Gama

38 12 9 17 -10 45
16 EC Bahia

EC Bahia

38 12 8 18 -3 44
17 Santos

Santos

38 11 10 17 -25 43
18 Goias

Goias

38 9 11 18 -17 38
19 Coritiba

Coritiba

38 8 6 24 -32 30
20 America MG

America MG

38 5 9 24 -39 24

Ainda que não admita e evoque explicações intra-muros para justificar a escolha, a opção de Abel pela inversão de Artur, momentaneamente matou o time e o jogador.

De uma vez só, Abel perdeu seus dois ponteiros. E, diante do futebol ínfimo que ele vinha jogando, sua ida para o banco tornou-se uma opção lógica.

Assim como Rony, Artur foi um dos escolhidos para deixar o time titular quando algo precisava ser feito para que o Verdão voltasse a jogar bem.

– No futebol, queremos sempre estar na melhor forma, queremos sempre a perfeição e buscar o melhor de nós. Mas há fases. Ele chegou muito bem, melhor do que esperava, chegou a voar. Mas depois é normal, ao longo do tempo, o time também não ajudou, outra vez não foi tão bem. Os jogadores têm o seu momento, e devem ser capazes de ler o momento – disse Abel Ferreira, após a vitória por 1 a 0 sobre o Bahia.

67 minutos em 700

Somando todo seu tempo em campo desde que virou reserva, Artur jogou 67 minutos nos cerca de 700 (7 jogos mais acréscimos) que colocaram o Palmeiras na liderança do Campeonato Brasileiro:

11, contra o Coritiba,
18, contra o São Paulo,
33, contra o Bahia e
5, contra o Internacional.

Contra Botafogo, Athletico-PR e Flamengo, nem sequer entrou em campo. Contra o Internacional, último confronto do Palmeiras, entrou no gramado da Arena Barueri aos 44 do 2º tempo.

Faltando quatro jogos para o fim do Brasileirão, não é possível vislumbrar o camisa 11 voltando para o time titular que briga pela conquista do bicampeonato.

Uma lástima, considerando que Artur foi o jogador que mais atuou na Libertadores (12 jogos), campeonato no qual foi artilheiro (5 gols).

Ele é também o 4º artilheiro do time no ano (10 gols). E certamente tinha potencial para terminar o ano de uma maneira muito mais relevante para a equipe.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023
Botão Voltar ao topo