Brasileirão Série A

Flamengo de Tite atropela, se credencia ao título brasileiro e baixa a bola de Palmeiras e Abel

O Palmeiras não conseguiu se desvencilhar do ótimo jogo tático do Flamengo, que ganha moral no Campeonato Brasileiro

O Flamengo bateu o Palmeiras por 3 a 0 nesta quarta-feira (8), no Maracanã, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Arrascaeta e Pedro, que balançou as redes duas vezes. Foi uma exibição de gala de um Rubro-Negro que sabia o que queria, diante de um Alviverde que, travado por Tite, só apostava na genialidade de Endrick e nas bolas aéreas. No duelo entre treinadores “medalhões”, deu Tite, em atropelo que não parecia possível nem ao mais otimista.

Com o resultado, o Rubro-Negro atinge 56 pontos e, com um jogo a menos, está consolidado no G-6 e começa a sonhar com o título brasileiro. No momento, os comandados de Tite estão na quinta posição. O Alviverde, em compensação, estacionou na segunda posição, com três pontos a mais que o Flamengo, e ainda pode cair para terceiro caso o Grêmio vença o Botafogo na rodada.

Primeiro tempo de gala do Flamengo

O torcedor que pediu respeito e comprometimento ao elenco do Flamengo antes da bola rolar, recebeu uma mensagem inesperada para este time de 2023. Sim, os rubro-negros que entraram em campo praticaram um excelente futebol. Praticamente tudo deu certo para a equipe comandada por Tite na primeira etapa. O brasileiro deu um banho em Abel Ferreira, e o Palmeiras só teve uma grande oportunidade, desperdiçada por Breno Lopes. No mais, show dos mandantes.

O Rubro-Negro já havia assustado Weverton em finalizações de Pedro e Cebolinha quando conseguiu abrir o placar com o Artilheiro Reverência. O passe de Erick Pulgar, o melhor da equipe no segundo semestre, deixou o camisa 9 livre e sobrou tranquilidade para encobrir o goleiro do Palmeiras. Depois, o torcedor do Flamengo ainda viu seu amado uruguaio marcar o segundo, em grande jogada coletiva que começou com o goleiro Rossi e terminou na assistência do adaptado Everton Cebolinha.

Para quem esperava um jogo complicado, como tem sido nos últimos duelos entre as equipes, se enganou de maneira retumbante. É verdade que nem o mais otimista dos rubro-negros esperava tamanha dominância da equipe diante do Palmeiras. Restavam 45 minutos para Tite confirmar mais uma vitória no Flamengo, a segunda consecutiva.

Flamengo aproveita desequilíbrio do Palmeiras para consolidar vitória

Pedro comemora o primeiro gol na vitória do Flamengo contra o Palmeiras (Foto: Icon Sport)

Se existia um sentimento ruim do torcedor do Flamengo com o início do segundo tempo, pensando no ano ruim e nas inúmeras viradas sofridas, o receio terminou rapidinho. Logo no início da etapa complementar, Gustavo Gómez fez falta duríssima em Arrascaeta e, pela gravidade da infração, além de ter sido o “último homem”, e acabou expulso. Os palmeirenses chegaram a ensaiar uma reclamação, mas logo viram que se tratava de um lance feio.

Depois disso, tudo ficou mais fácil para o Flamengo. Futebol leve no Maracanã, quase artístico, envolvendo completamente um Palmeiras abatido. O terceiro gol veio como mera formalidade, em mais uma linda troca de passes. Arrascaeta roubou a bola, tabelou com Cebolinha e acionou Ayrton Lucas. O cruzamento do Beijinho achou Gerson, que só rolou, de cabeça, para Pedro finalizar. Foi o 33º terceiro gol do artilheiro na temporada, a mais goleadora de sua carreira.

Protestos da torcida do Flamengo antes de a bola rolar

Antes mesmo da bola rolar, a torcida do Flamengo deixou claro que estava lá para apoiar, mas não deixaria de cobrar jogadores e, especialmente, a diretoria. O elenco entrou em campo sobre pedidos de respeito e comprometimento com a camisa, um canto já popularizado na arquibancada. Depois, o presidente Rodolfo Landim, e o vice-presidente de futebol, Marcos Braz, foram hostilizados.

Postura da torcida muda com grande exibição

Como mencionado, nem o mais otimista dos rubro-negros esperava uma lavada dessas num Palmeiras que vinha embalado, na vice-liderança do Brasileirão. Por isso, ciente da mudança de postura dos jogadores e do resultado positivo, os torcedores do Flamengo embalaram canções, ovacionaram Pedro, Arrascaeta e Pulgar e tomaram conta do Maracanã. O curioso, no entanto, ficou para um grito em específico: “Seremos campeões”. Sonhar não custa nada.

Palmeiras só conseguiu jogar por 15 minutos

O primeiro tempo do Palmeiras foi bom por 15 minutos. Os dois times haviam chegado duas vezes com perigo até aquela altura – Breno havia perdido uma chance e arrumado um bom arremate do bico da área. Mas no primeiro momento do que viria a ser uma crônica desorganização defensiva, o Flamengo abriu o placar, com Pedro, aos 17.

O gol expôs uma grande desorganização do Palmeiras. Gómez estava mal posicionado e Luan se perdeu na cobertura. E essa descrição que você cabaou de ler, do primeiro gol, vale também para o segundo, de Arrascaeta: Rossi lançou com o pé, Cebolinha recebeu com espaço, arrumou e cruzou para Arrascaeta desviar de cabeça, em progressão, aos 28.

O Palmeiras ficou travado. O time não conseguia passar da intermediária do Flamengo. Piquerez, Veiga, Mayke, Ríos, pouco importava. Quem chegava com a bola naquele latitude, parava. Com uma linha que às vezes chegava a ter seis homens, Tite encaixotava Endrick também.

O time de Abel voltou sem Luan e Ríos, com Fabinho e Luis Guilherme, para a segunda etapa. A ideia era desmontar o 3-5-2, mas em vez disso, Gómez, expulso, desmontou o Palmeiras como um todo. O Flamengo fez o terceiro, aos 18, com muita facilidade. Após Piquerez dormir e perder para Arrascaeta, o Flamengo chegou em seis toques, com todo mundo tocando de primeira, até a conclusão de Pedro: 3 a 0.

Não fosse por Endrick arrancar com a bola sozinho, o Palmeiras não faria nada na partida. Com o 0 a 3, Abel começou a descansar jogadores. Quando tirou Veiga e Piquerez, deixou claro que já estava com a cabeça no Internacional.

No que toca à classificação e disputa pelo título, o resultado não é tão ruim. A questão é saber qual será o peso de uma derrota tão grande. Uma análise que vai além dos números.

Estátísticas

  • Posse de bola: Flamengo 53% x 47% Palmeiras
  • Finalizações: Flamengo 12 x 11 Palmeiras
  • Finalizações certas: Flamengo 6 x 1 Palmeiras
  • Faltas cometidas: Palmeiras 13 x 17 Flamengo

Próximos jogos do Palmeiras

11/11 – Palmeiras x Internacional – Arena Barueri, 21h30
25/11 – Fortaleza x Palmeiras – Castelão, horário a definir
29/11 – Palmeiras x América – Allianz Parque, horário a definir

Próximos jogos do Palmeiras

11/11 – Flamengo x Fluminense – Maracanã, 18h30
23/11 – Flamengo x Bragantino – Maracanã, horário a definir
25/11 – América-MG x Flamengo – Independência, horário a definir

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo