Brasil

Característica marcante de Barreal pode ser potencializada por Matheus Pereira no Cruzeiro

Contratado pelo Cruzeiro, o argentino Álvaro Barreal tende a fazer uma forte dupla com Matheus Pereira, camisa 10 da equipe celeste

Apesar de ainda não ter sido anunciado pelo Cruzeiro, o ala argentino Álvaro Barreal já está em Belo Horizonte e será jogador do clube pelo menos até o fim de 2024. Emprestado pelo FC Cincinnati, dos Estados Unidos, o garoto de 23 anos chega para suprir a carência de extremos no elenco celeste. Por se tratar de um atleta talentoso, de características ofensivas, mesmo também sabendo marcar, e com histórico de participação em gols, o torcedor celeste já se enche de expectativa por sua estreia.

Outro ponto que anima o cruzeirense com a chegada do Barreal é a provável parceria que o argentino fará com outro canhotinho do elenco do Cruzeiro: o meia Matheus Pereira.

Camisa 10 da Raposa, Matheus Pereira é a referência técnica do elenco celeste e já mostrou que tem um passe telegrafado, capaz de encontrar seus companheiros em posições inesperadas, dando-os condições claras de definir as jogadas com maior liberdade. Por seu talento e estilo de jogo clássico, o meia rapidamente caiu nas graças da torcida, que sonha com que o atleta tenha uma passagem longa com a camisa do seu time de coração.

E analisando as principais características e o estilo de jogo de Matheus Pereira e Álvaro Barreal, podemos imaginar que os dois irão se completar e que têm plenas condições de formarem uma bela dupla. A Trivela falou sobre o estilo de jogo do argentino.

Matheus Pereira pode potencializar Barreal

Álvaro Barreal é um extremo rápido e inteligente, que gosta de atacar os espaços do campo e surgir como elemento surpresa no setor ofensivo, para dar o último passe ou finalizar. Seu estilo de jogo lhe conferiu um bom número de participações em gol nas últimas temporadas.

O argentino é um jogador que ajuda na construção, recuando para receber a bola dos zagueiros ou do lateral-esquerdo e, em seguida, buscando o passe em progressão, tentando encontrar jogadores mais avançados. Mas ele não para por aí. Normalmente, ao encontrar o meia ou quem esteja na fase seguinte de construção, Barreal acelera, se tornando mais uma opção de ataque. Por não ser um jogador de defesa, raramente ele fica parado após soltar a bola.

Álvaro Barreal tabela com companheiro e já se projeta para receber a bola em profundidade
Álvaro Barreal tabela com companheiro e já se projeta para receber a bola em profundidade – Foto: YouTube/Reprodução

Seu foco sempre é atacar o lado esquerdo, aproveitando espaços nas costas ou entre os defensores adversários, seja para chegar até o fundo e cruzar — algo que deve ser muito explorado tendo ele a companhia de Juan Dinenno, centroavante especialista no cabeceio —, ou cortar para dentro, mesmo não sendo destro, confundindo, assim a marcação.

Mais uma vez Barreal se aproveita de espaço nas costas da defesa adversária para ser lançado em ótimas condições para definir o lance
Mais uma vez Barreal se aproveita de espaço nas costas da defesa adversária para ser lançado em ótimas condições para definir o lance – Foto: YouTube/Reprodução

Pensando nessas características de Barreal, algo marcante em seu estilo de jogo, é muito importante que seu time tenha jogadores que consigam “o encontrar” e, consequentemente, o acionar, durante essas movimentações. E quem pode fazer isso melhor que o 10, Matheus Pereira?

As pré-assistências de Matheus Pereira

Matheus é um jogador que possui um passe altamente qualificado, em especial as bolas em profundidade, tendo o meia uma precisão fora do normal. E mesmo tendo as assistências como sua principal virtude, Pereira também participa ativamente de um momento do ataque pouco valorizado em relação a gols e passes para gol, mas igualmente importante: a pré-assistência.

A pré-assistência, basicamente, é o passe que encontra o jogador que vai fazer a assistência. E em muitas situações, é essa bola que deixa o caminho livre. A tendência é que Matheus Pereira e Álvaro Barreal sejam uma dupla forte nesse tipo de situação, com o argentino procurando Matheus na saída de bola e, em seguida, atacando o espaço. E tendo o camisa 10 a opção de lançar o argentino, com certeza este será um movimento comum de Pereira.

Dois exemplos recentes desse tipo de jogada de Matheus Pereira são os gols do Cruzeiro na partida desse domingo (25), a vitória por 2 a 0 contra o Pouso Alegre, no Parque do Sabiá, em Uberlândia. O camisa 10 deu a pré-assistência nos dois gols da Raposa, achando os laterais Marlon e William, que fizeram ultrapassagens e, após passes do meia, ficaram livres para cruzar para a área e encontrar companheiros bem posicionados. Veja:

Com movimentos rápidos e precisos, Matheus Pereira tem tudo para colocar Barreal em condições de definir as jogadas com tranquilidade, seja para Dinenno na área, para quem chega de trás — espera que seja José Cifuentes, volante equatoriano com boa infiltração —, William, que costuma aparecer como elemento surpresa, ou para o próprio Álvaro.

Por ser não ser um goleador, tendo a característica de um criador de jogadas, que privilegia o passe, Matheus Pereira muitas vezes passa despercebido. Mas tendo Barreal para tornar suas pré-assistências mais frequentes, a tendência é que o camisa 10 seja cada vez mais imprescindível no time do Cruzeiro.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo