Ásia/Oceania

Milinkovic-Savic no Hilal encerra sonho de consumo de vários times europeus

Milinkovic-Savic tem talento suficiente para se consolidar na primeira prateleira da Europa, mas prefere fazer dinheiro na Arábia Saudita

Sergej Milinkovic-Savic por muitos anos permaneceu como objeto de desejo nas janelas de transferência na Europa. Clubes como Juventus, Milan e Internazionale cresceram os olhos sobre o meio-campista de tamanha imposição na Lazio. Em outros momentos, o sérvio também indicou ter qualidade o suficiente para encabeçar algum clube da Premier League ou de La Liga – como o Manchester United e o Real Madrid, outros interessados no passado. Entretanto, Milinkovic-Savic vai preferir desfrutar anos de seu auge físico longe da Europa. Nesta quarta-feira, o meio-campista arrumou as malas e se tornou mais um reforço do futebol saudita. Ganhará um belo dinheiro com a camisa do Al-Hilal, em contrato assinado por três temporadas.

As cifras da venda de Sergej Milinkovic-Savic são, obviamente, dilatadas. A Lazio tinha apenas mais um ano de contrato com o jogador, mas ainda assim conseguiu embolsar €40 milhões por sua transferência. Não parece um valor tão alto pela qualidade e pela idade do meio-campista de 28 anos, mas, dentro das circunstâncias, a venda sai de bom tamanho. Enquanto isso, seu salário deve girar ao redor de €20 milhões anuais, conforme o jornal Repubblica. É também um valor acima da realidade para a maioria dos clubes europeus e o dobro do que recebia como estrela dos laziali.

De todos os reforços do futebol saudita até o momento, Milinkovic-Savic é aquele que tinha a maior possibilidade de se consolidar na primeira prateleira do futebol europeu. Aos 28 anos, o meio-campista poderia dar saltos maiores do que a Lazio, por tudo o que apresentou em oito temporadas na Serie A e também por sua forma recente. O sérvio foi o melhor jogador dos laziali na campanha que rendeu o vice-campeonato na Serie A e também figurou entre os melhores de sua posição na temporada. Entretanto, preferiu a oportunidade de engordar as suas contas na Arábia Saudita, por mais que permaneça com tempo para voltar à Europa em breve.

Milinkovic-Savic protagonizou a Lazio nos últimos oito anos

Sergej Milinkovic-Savic teve uma ascensão meteórica em sua carreira. O meio-campista nasceu na Espanha, quando seu pai, o ex-meia Nikola Milinkovic, atuava no futebol local. O garoto passou pelas categorias de base do Sporting, em Portugal, e do Grazer, na Áustria, enquanto acompanhava a família. Já seu salto como profissional aconteceu de volta à Sérvia, com a camisa do Vojvodina. Ganhou destaque na base e atuou por pouco tempo na equipe adulta, antes de ser contratado pelo Genk, por €1 milhão, em 2014/15. O jovem também ficou apenas uma temporada no Campeonato Belga.

A explosão de Sergej Milinkovic-Savic como um talento internacionalmente reconhecido aconteceu em junho de 2015. O meio-campista liderou a campanha da Sérvia rumo ao título do Mundial Sub-20 contra o Brasil e terminou eleito o terceiro melhor jogador da competição. Semanas depois, a Lazio pagou €12 milhões pela promessa de 20 anos. Não se arrependeu. Milinkovic-Savic se consolidou no Estádio Olímpico como um dos melhores jogadores da Serie A e também entre as grandes figuras dos laziali no período. Disputou 341 partidas pelo clube, com 69 gols e 59 assistências no período.

A partir de sua segunda temporada na Lazio, Milinkovic-Savic se tornou titular. E o meio-campista sempre entregou ótimos números, como um meio-campista de chegada ao ataque e capacidade na definição. Pela união de presença física e qualidade técnica, parecia fadado a triunfar em alto nível no futebol europeu. Os biancocelesti se beneficiaram disso, com campanhas de relevo na Serie A que renderam participações recorrentes na Champions League e na Liga Europa. Milinkovic-Savic ainda protagonizou os laziali na conquista da Copa da Itália em 2018/19, ao anotar um dos gols do título contra a Atalanta.

No entanto, mesmo com o interesse de outros clubes de peso sobre o jogador, a Lazio sempre preferiu manter Milinkovic-Savic. O clube avaliava que lucraria mais com o craque em seu elenco do que rendendo dinheiro aos cofres numa venda. Segundo o presidente Cláudio Lotito, os biancocelesti recusaram uma proposta do Milan na casa dos €140 milhões em 2018 – seriam €60 milhões iniciais e €80 milhões em bônus. A venda do sérvio só acontece num momento em que não existiam perspectivas de renovação de seu contrato. Já com a vaga na Champions League 2023/24, os laziali preferiram não ficar com as mãos abanando.

Quais os outros reforços do Al-Hilal?

Sergej Milinkovic-Savic é o terceiro reforço do Al-Hilal nessa nova era de investimentos no Campeonato Saudita. Maior vencedor do país e dominante durante os últimos anos, o clube é um dos gigantes locais financiados pelo fundo soberano do governo. O perfil dos reforços dos alviazuis se sobressai por serem atletas que poderiam seguir em alto nível na Europa. Rúben Neves chegou do Wolverhampton por €55 milhões, enquanto Kalidou Koulibaly veio do Chelsea por €23 milhões.

O Al-Hilal também confirmou a chegada de Jorge Jesus como seu novo treinador. Enquanto isso, outros estrangeiros presentes no elenco deixaram o clube. Luciano Vietto e Odion Ighalo saíram no fim de seus contratos. Gustavo Cuéllar assinou com o Al-Shabab, outro clube tradicional do Campeonato Saudita, mas que não será financiado diretamente pelo governo. Mais um que tende a sair é o meia Matheus Pereira, alvo de clubes brasileiros como o Cruzeiro e o Santos.

Os reforços dos quatro clubes sauditas financiados pelo governo:

  • Al-Hilal: Sergej Milinkovic-Savic (Lazio), Kalidou Koulibaly (Chelsea), Ruben Neves (Wolverhampton)
  • Al-Ahli: Édouard Mendy (Chelsea), Roberto Firmino (Liverpool)
  • Al-Ittihad: Jota (Celtic), N’Golo Kanté (Chelsea), Karim Benzema (Real Madrid)
  • Al-Nassr: Marcelo Brozovic (Internazionale)

Missão da Lazio será reinvestir o dinheiro para fortalecer conjunto

A Lazio perde uma referência imensa com a venda de Sergej Milinkovic-Savic. Os biancocelesti parecem um degrau abaixo para sonhar com o título na Serie A e também fazer uma campanha de relevo na Champions League. O trabalho de Maurizio Sarri é bom e se consolidou na última temporada, especialmente pela maneira como o treinador conseguiu fortalecer o coletivo a partir da segurança de sua defesa. No entanto, os laziali perdem um diferencial técnico.

O mercado atual da Lazio se concentra em apostas. Os únicos reforços do time são jovens que já estavam emprestados ao elenco: o ponta direita Matteo Cancellieri, de 21 anos, que veio do Verona; e o ponta esquerda Diego González, de 20 anos, que veio do Celaya e disputava a segundona do Campeonato Mexicano. Por outro lado, a única venda significativa realizada pelo clube foi mesmo a de Milinkovic-Savic. O dinheiro poderá auxiliar os laziali na hora de reinvestir em reforços.

A despedida de Milinkovic-Savic

Em suas redes sociais, Sergej Milinkovic-Savic endereçou um texto de despedida à Lazio, com referências ao seu apelido de “sargento” – um trocadilho feito com seu primeiro nome:

“Hoje é um dia estranho para mim, é difícil encontrar as palavras certas para me despedir de vocês. São oito anos desde minha chegada e nunca me esquecerei de tudo o que passamos juntos. A Copa da Itália, duas Supercopas, todos os gols e assistências. Vocês sempre me apoiaram e me deram a força de um real sargento. Tudo isso jamais será esquecido e sempre levarei no meu coração. A Lazio e todos os nossos companheiros eram uma verdadeira família”.

“Aprendi muito aqui e me tornei o homem que sou hoje. Obrigado também aos treinadores e a toda a equipe que trabalhou conosco. Também aos torcedores que, com sua paixão, nos ajudaram a conquistar resultados que pareciam impossíveis. A última alegria com o sargento foi a classificação para a Champions e espero que vocês alcancem muitas coisas mais. Forza Lazio! Vocês sempre serão minha segunda casa. Sargento”.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo