Sul-Americana

Um mês depois, Internacional volta a jogar em partida importante pela Sul-Americana

Depois do adiamento de jogos devido às enchentes no Rio Grande do Sul, Colorado enfrenta o Belgrano nesta terça-feira (28), na Arena Barueri

Depois de exatamente um mês, e uma tragédia climática que assolou o Rio Grande do Sul, inundando o Beira-Rio e adiando jogos, o Internacional volta a campo nesta terça-feira (28). E não é para um confronto qualquer. Diante do Belgrano, às 21h30 (horário de Brasília), na Arena Barueri, o Colorado precisa de um bom resultado, sob risco de ter a classificação para a próxima fase da Copa Sul-Americana comprometida.

Com nove pontos em cinco jogos, o Belgrano é o líder do Grupo C da Sul-Americana. Se vencer, a equipe argentina chegará aos 12 e não poderá mais ser alcançada pelo Delfín, que tem cinco pontos em quatro partidas, e pelo próprio Inter, que somou cinco pontos em três duelos. Nesse cenário, restaria ao Colorado buscar a segunda vaga da chave e disputar o playoff contra um dos terceiros colocados da fase de grupos da Libertadores.

Naturalmente, o Inter almeja o primeiro lugar para se classificar diretamente para as oitavas de final da Sul-Americana e, assim, não inchar ainda mais um calendário que se tornou extremamente apertado devido ao adiamento de jogos. Ao todo, o Colorado precisará recuperar oito partidas nas próximas semanas, não só pela competição continental, mas também pelo Campeonato Brasileiro e pela Copa do Brasil.

Falta de ritmo de jogo preocupa o Internacional para enfrentar o Belgrano

Os 30 dias sem atuar desde o empate em 1 a 1 com o Atlético-GO, no dia 28 de abril, pelo Brasileirão, prejudicaram o ritmo de jogo do elenco colorado, que também ficou dez dias sem treinar por conta do alagamento no CT Parque Gigante. A retomada foi feita no Complexo Esportivo da PUCRS, em Porto Alegre, e a delegação está concentrada desde semana passada no Otho Hotel, em Itu, no interior de São Paulo.

Todo esse contexto aumenta o desafio da noite desta terça-feira (28). Em entrevista ao canal oficial do Inter, o lateral esquerdo Renê reconheceu a dificuldade do confronto com o Belgrano, ao mesmo tempo em que salientou que o grupo de atletas colorado buscou se preparar da melhor maneira possível.

— Jogo difícil. Já seria difícil, depois do que aconteceu, desse período em que estamos sem treinar na nossa casa, se preparando aqui em São Paulo [ainda mais]. Estamos fazendo o máximo possível para que cheguemos na melhor forma nesse jogo. Sabemos que vai ser um jogo difícil, mas estamos preparados para enfrentar qualquer desafio, e vamos em busca da vitória — comentou Renê.

Internacional precisará se acostumar a jogar fora do Beira-Rio também como mandante

O lateral esquerdo do Inter também falou sobre o transtorno de não poder jogar no Beira-Rio. Depois do jogo contra o Belgrano, na Arena Barueri, o Colorado já tem jogos confirmados, como mandante, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, e no Heriberto Hülse, em Criciúma.

— Vamos ter que mentalizar que independente do lugar a gente vai ter que sempre dar nosso melhor. Sabemos que vai demorar um pouco para voltarmos a jogar na nossa casa, diante do nosso torcedor, que estamos acostumados. Mas é mentalizar que podemos, sim, vencer fora de casa. Claro que às vezes o mando vai ser nosso, mas vai ser fora de casa, em um campo que a gente não conhece, sem o apoio da nossa torcida. Mas é mentalizar que podemos conseguir as vitórias, e começar já nesta terça-feira, com este jogo pela Sul-Americana — projetou Renê.

Coudet tem elenco praticamente completo à disposição

A notícia boa é que, com o tempo sem jogar, o Inter pode contar com o retorno de vários jogadores que estavam no departamento médico. São os casos do volante Aránguiz, dos meias Hyoran e Alan Patrick e dos atacantes Wanderson, Lucca e Enner Valencia.

Com praticamente todo elenco à disposição, o técnico Eduardo Coudet vai ter boa dor de cabeça para montar o time do Inter. A defesa está praticamente definida, com Rochet, Bustos, Vitão, Mercado e Renê, mas sobram dúvidas do meio para frente. Ao menos dez jogadores — Thiago Maia, Fernando, Aránguiz, Bruno Henrique, Maurício, Alan Patrick, Wesley, Wanderson, Borré e Enner Valencia — brigam por seis vagas na equipe.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho, formado em jornalismo pela PUC-RS e especializado em análise de desempenho e mercado pelo Futebol Interativo. Antes da Trivela, passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo