Sul-Americana

Após 5 anos, Cruzeiro volta a disputar torneio internacional e enfrenta altitude

O Cruzeiro enfrenta a Universidad Católica, na altitude de Quito, no Equador, às 21h (de Brasília) desta quinta-feira (4), na estreia da Copa Sul-Americana

O Cruzeiro está de volta às competições internacionais após cinco anos e inicia nesta quinta-feira (4) sua jornada em busca do inédito título da Copa Sul-Americana. O primeiro desafio do clube celeste será contra a Universidad Católica, do Equador. As equipes se enfrentaram na altitude de Quito, 2.850 metros acima do nível do mar, às 21h (confira onde assistir). O jogo vale pela primeira rodada do grupo B do torneio.

A partida acontece em meio às finais do Campeonato Mineiro, onde o Cruzeiro tem a vantagem de jogar a partida de volta, que será disputada no domingo (7), no Mineirão, às 15h30, pelo empate. Isso ocorre pela Raposa ter conquistado a melhor campanha da primeira fase e empatado a ida em 2 a 2, numa Arena MRV com 100% do público de atleticanos. No fim de semana, a situação se inverte e a torcida única será celeste.

Mesmo que seja apenas o primeiro jogo da Copa Sul-Americana de 2024, o Cruzeiro precisa ficar atento, já que apesar de menos conhecida que sua xará chilena, o Universidad Católica (EQU) é um time perigoso e se trata da segunda força do grupo B. Se perder na estreia, o time celeste terá que se recuperar nas rodadas seguintes e torcer contra o rival equatoriano, para que a classificação em primeiro na chave não fique ameaçada. Tropeçar no Mineirão se tornará algo impensável.

Larcamón pode mandar um Cruzeiro diferente a campo

Tal proximidade com uma final tão importante para o Cruzeiro pode fazer com que o treinador argentino Nicolás Larcamón poupe atletas no jogo de logo mais. Dois desfalques já são certos. O ponta Arthur Gomes e o centroavante Juan Dinenno, titulares do time, nem viajaram para o Equador após “identificação de desgaste acentuado depois do clássico”, como informou o clube mineiro. Em suas vagas, foram relacionados os jovens Kaiki, lateral-esquerdo, e Vitinho, meia.

Os principais cotados para a vaga da dupla são Álvaro Barreal e Robert, que brigam por espaço no lado esquerdo do ataque estrelado, mas que podem até mesmo jogar juntos, e Rafael Elias Papagaio, substituto imediato de Dinenno. Rafa Silva ainda corre por fora.

Mas as mudanças não devem parar por aí, não só pelo clássico, mas pelo desgaste costumeiramente causado pela altitude e também para preservar atletas importantes que enfrentarão uma sequência pesada de jogos a partir deste mês de abril. Antes do dia 30, serão oito partidas. E depois disso, o calendário seguirá sem dar tréguas.

Escalação do Cruzeiro

Alguns nomes com menos minutos em 2024 podem ser utilizados, como é o caso do lateral-direito Wesley Gasolina, do ala-esquerdo Kaiki e dos gringos Lucas Villalba e José Cifuentes. Mas a escalação definitiva do Cruzeiro é uma incógnita e só será possível ter certeza do que Nico Larcamón planejou uma hora antes da bola rolar, quando houver a divulgação de forma oficial.

Sendo assim, é difícil apostar numa escalação definitiva, mas esta deve passar perto de: Rafael Cabral; Wesley Gasolina, Zé Ivaldo, João Marcelo, Lucas Villalba (Neris); Lucas Romero, José Cifuentes e Matheus Pereira (Mateus Vital); Robert, Álvaro Barreal e Rafael Elias Papagaio.

Relacionados do Cruzeiro

  • Goleiros: Rafael Cabral, Anderson e Léo Aragão;
  • Zagueiros: João Marcelo, Lucas Villalba, Neris e Zé Ivaldo;
  • Laterais: Kaiki, Helibelton Palacios, Marlon, Wesley Gasolina e William;
  • Volantes: Filipe Machado, José Cifuentes, Lucas Romero, Lucas Silva, Ramiro;
  • Meias: Mateus Vital, Matheus Pereira e Vitinho;
  • Atacantes: Álvaro Barreal, Rafael Elias Papagaio, Rafa Silva e Robert.

Universidad Católica (EQU) busca surpreender

Tendo uma altitude de 2.850 metros ao seu lado, o Universidad Católica, segundo time mais forte do grupo, tentará surpreender o Cruzeiro no Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito. A equipe equatoriana não está, historicamente, entre as grandes forças de seu país, mas, por outro lado, vive o melhor momento de sua trajetória.

Hoje, após quatro partidas disputadas, ocupa a quarta colocação do Campeonato Equatoriano, mas com dois jogos a menos, pode se tornar líder caso tenha bons resultados nos confrontos que faltam. Em 2023, foi o sexto colocado da primeira etapa da competição, e o sétimo da segunda, sendo uma equipe de meio de tabela num torneio de 16 equipes. A Trivela contou como joga o Universidad Católica.

O principal jogador da equipe é o camisa 10 argentino Facundo Martínez, de 39 anos, grande ídolo que chegou ao clube em 2010. O atacante equatoriano Jhon Cifuente, de 31 anos, é outra grande arma do Universidad Católica e faz um grande início de temporada, marcando três gols em quatro jogos.

Outro atleta perigoso é o panamenho Ismael Díaz, atacante de 26 anos, que já defendeu o Porto, de Portugal. O goleiro venezuelano Rafael Romo, de 34 anos, que surgiu como uma promessa sul-americana no início da década passada, é uma opção de segurança no gol.

Provável escalação do Universidad Católica (EQU)

A tendência é que o time equatoriano seja escalado pelo treinador Jorge Celico com: Rafael Romo; Gregori Anangonó, Exon Gustavo Vallecilla, Fausto Grillo e Layan Loor; Kevin Minda e Facundo Martinez; Kevin Quevedo, Luciano Nieto e Ismael Díaz; Jhon Cifuente.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo