Sul-Americana

Corinthians: insatisfação de Matías Rojas contrapõe otimismo de Luxemburgo após classificação

Meia Matías Rojas deu entrevista que mostrou que elenco não concorda tanto com falas de Luxemburgo sobre avanço na Sul-Americana

O Corinthians carimbou a vaga na semifinal da Sul-Americana depois de vencer o Estudiantes nos pênaltis por 3 a 2, em La Plata, na Argentina. Apesar da classificação, o jogo feito pela equipe brasileira foi muito abaixo do que o já apresentado pelo time de Vanderlei Luxemburgo: em 90 minutos de partida, o Timão finalizou apenas 7 vezes, enquanto os argentinos 30.

Logo depois da partida, em coletiva, o técnico Vanderlei Luxemburgo disse estar feliz, elogiou a estratégia do Corinthians na partida e rebateu as críticas feitas ao desempenho do time em campo. 

Porém, a satisfação do comandante não atingiu o paraguaio Matías Rojas, que em entrevista para uma TV argentina disse que não se lembrava de ter sofrido tanto em uma partida e que ele e os companheiros não estavam felizes com o desempenho. 

– Não me recordo de uma partida que tinha sofrido tanto estando dentro campo. Nos defendemos, sabíamos que (o Estudiantes) era um grande rival. São partidas de Copa e jogamos como tal. Conseguimos o que queríamos, mas não estamos satisfeitos com o rendimento. Vamos passo a passo para conseguir o objetivo principal – afirmou o meia.

A insatisfação do camisa 10 e de outros jogadores do elenco deram a torcida alvinegra a esperança de que comodismo não tenha se instaurado no elenco, mas também a certeza de que as realidades diferentes após a partida pela Sul-Americana entre técnico e jogadores mostram que talvez o tempo de Luxemburgo à frente do Corinthians possa ter chegado ao fim. 

A chegada de Matías Rojas

Rojas chegou ao clube no dia 11 de julho, e quatro dias depois estreou com a camisa alvinegra, na partida com o América-MG, pela Copa do Brasil de 2023, e já demonstrou habilidade e entrosamento com o elenco.

Antes do Parque São Jorge, Rojas teve passagens pelo Cerro Porteño, Lanús, Defensa y Justicia e Racing, onde atuou em 125 partidas, marcou 26 gols e deu 15 assistências.

Para ter o jogador por quatro temporadas, o Timão pagou entre luvas e comissão 1,8 milhão de dólares por 80% dos direitos econômicos. Na transação não foi necessário nenhum pagamento ao Racing, já que o contrato com o time argentino tinha acabado. 

A chegada de Rojas foi pensada em aliviar um pouco mais o meio do campo e ajudar Renato Augusto, que precisa ter a sequência de jogos reduzida para evitar lesões mais sérias. 

Porém quem acabou lesionado foi o argentino, com um trauma no pé esquerdo depois de uma entrada dura em jogo do Brasileirão. Rojas ficou três semanas no departamento médico, e voltou a ficar à disposição de Luxemburgo no dia 18 de agosto.

Na partida da volta pela Copa do Brasil, contra o São Paulo, o camisa 10 começou no banco, e só entrou na metade do segundo tempo, o que foi o bastante para ele conseguir boas finalizações e cruzamentos que levaram perigo ao gol adversário, mas que pararam na boa noite do goleiro Rafael. 

Rojas ainda não balançou as redes com pelo Corinthians, mas deu a assistência para o gol de Gil na partida de ida contra o Estudiantes, em Itaquera, e o que credencia ainda mais ele como titular na equipe alvinegra. Pedido que a torcida vem fazendo antes mesmo da eliminação para o São Paulo no Morumbi. 

Agora o Timão espera o vencedor de Fortaleza e América-MG para saber o adversário da semifinal da Sul-Americana, mas antes disso precisa arrumar a casa para o derbi de domingo na Neo Química Arena. 

Próximos jogos do Corinthians

  • Corinthians x Palmeiras, pelo Brasileirão – 3 de setembro (domingo), às 16h (horário de Brasília) – Neo Química Arena, em São Paulo;
  • Fortaleza x Corinthians, pelo Brasileirão – 14 de setembro (quinta-feira), às 19h (horário de Brasília) – Castelão, em Fortaleza;
  • Corinthians x Grêmio, pelo Brasileirão – 18 de setembro (segunda-feira), às 21h (horário de Brasília) – Neo Química Arena, em São Paulo.
Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância, paixão que se tornou profissão. Além do futebol me mantenho por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhei como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo