Mundo

Seis meses após a final da Euro da categoria, Alemanha e França se reencontram na decisão da Copa do Mundo Sub-17

Campeã europeia sub-17 em 2023, a Alemanha vai enfrentar a vice França na grande decisão do Mundial da Indonésia

A Copa do Mundo Sub-17 de 2023 termina neste sábado (2). No Estádio Manahan, em Surakarta, o torneio realizado na Indonésia desde o dia 10 de novembro será decido entre Alemanha e França, às 9h (de Brasília). A final por si só já gera uma grande expectativa, ainda mais com dois países tradicionais no futebol principal de seleções, mas a grande história dessa decisão é o reencontro das finalistas do último Campeonato Europeu da categoria.

No dia 2 de junho de 2023, a Alemanha venceu a França por 5 a 4 na disputa por pênaltis após um empate no tempo normal e sagrou-se campeã europeia sub-17 pela quarta vez. Exatamente seis meses depois, as duas nações vão reeditar a decisão com vários remanescentes do duelo em Budapeste, na Hungria. Os alemães visam ficar mais uma vez no lugar mais alto do pódio e conquistar um título inédito, enquanto os franceses vão atrás da revanche e do bicampeonato.

A campanha e os destaques da Alemanha

Ambas as equipes estão invictas na atual edição da Copa do Mundo Sub-17. A Alemanha não teve trabalho na fase de grupos e se avançou em primeiro lugar no Grupo F com vitórias tranquilas sobre México, Nova Zelândia e Venezuela. O primeiro verdadeiro desafio veio nas oitavas de final contra os Estados Unidos, em um triunfo dramático por 3 a 2. A Mannschaft esteve à frente no placar e sofreu o empate por duas vezes, mas um gol nos minutos finais da segunda etapa garantiu a classificação.

Nas quartas, mais um confronto complicado. Diante da Espanha, maior campeã europeia sub-17 com nove títulos e duas vezes vice-campeã mundial da categoria, um pênalti já no segundo tempo garantiu a vitória magra por 1 a 0. Mas nada se compara com a semifinal contra a Argentina. A Alemanha abriu o placar, sofreu a virada nos acréscimos do primeiro tempo e retomou a vantagem na segunda etapa. No último lance do jogo, quando o cronômetro já indicava 52 minutos jogados, Albiceleste deixou tudo igual novamente em 3 a 3. Na disputa de penalidades máximas, o goleiro Konstantin Heide defendeu duas cobranças e ajudou a seleção do Velho Continente a levar a melhor por 4 a 2.

Os atacantes Paris Brunner (Borussia Dortmund) e Max Moerstedt (Hoffenheim) são os artilheiros alemães no Mundial, ambos com quatro gols marcados. Outro destaque é o meio-campista Noah Darvich (Barcelona), autor de quatro assistências e um gol no torneio. Os três foram titulares na conquista do Europeu Sub-17 em junho, com Brunner sendo eleito o melhor jogador da competição e terminado como artilheiro, empatado com outros três jogadores com quatro gols.

A campanha e os destaques da França

A França fez uma campanha bem parecida nesta Copa do Mundo Sub-17, também vencendo cinco partidas e empatando uma na qual precisou triunfar na disputa por pênaltis. Na fase de grupos, liderou o Grupo E com 100% de aproveitamento, derrotando Burkina Faso, Coreia do Sul e Estados Unidos. As dificuldades só foram aparecem para Le Bleus no mata-mata.

Nas oitavas de final, empate em 0 a 0 com Senegal e vitória nos pênaltis por 5 a 3, com nenhum batedor francês desperdiçando sua cobrança e o goleiro Paul Argney brilhando com uma defesa. Na fase seguinte, um gol solitário já no fim do segundo tempo assegurou o triunfo por 1 a 0 sobre o Uzbequistão. Já na semifinal, a França sofreu contra o bom time de Mali e saiu perdendo, mas conseguiu a virada na segunda etapa após a expulsão de um jogador malinês.

Sem sombra de dúvidas, o grande nome da seleção francesa no torneio é Ismail Bouneb (Valenciennes), responsável direto por cinco dos dez gols da equipe com duas bolas na rede e três assistências. Até aqui, ele é o cara da França no mata-mata, tendo marcado os gols das vitórias sobre Uzbequistão e Mali. O ponto forte de Le Bleus, no entanto, é a defesa, que foi vazada somente uma vez em seis jogos. O também meio-campista Saïmon Bouabré (Monaco) é destaque e deve estar à disposição na final depois de ter ficado de fora da semi por uma pequena entorse no joelho.

Bouabré, inclusive, foi quem desperdiçou a sexta e última cobrança da França na decisão do Europeu Sub-17 contra a Alemanha. Apesar de não ter convertido a penalidade, ele foi eleito para a seleção do torneio. Além dele, o único francês que também esteve no time ideal da competição foi o lateral-esquerdo Nhoa Sangui (Reims).

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo