Mundo

Mali não sentiu a eliminação e atropelou a Argentina na disputa pelo terceiro lugar do Mundial Sub-17

A derrota de virada para a França na semifinal não pesou e Mali teve grande atuação para vencer a Argentina e ficar com o terceiro lugar da Copa do Mundo Sub-17

A grande campanha de Mali na Copa do Mundo Sub-17 de 2023, na Indonésia, não acabou na eliminação para a França na semifinal, na terça-feira (28). Nesta sexta (1), a seleção africana entrou em campo com a mentalidade de uma final e passou por cima da Argentina, vencendo por 3 a 0 em Surakarta e encerrando sua participação no torneio com a conquista do terceiro lugar.

Em um primeiro tempo avassalador, Ibrahim Diarra e Mamadou Doumbia marcaram para a seleção malinesa, enquanto Sekou Kone carimbou a trave esquerda da Argentina. Na segunda etapa, Hamdiou Makalou deu números finais ao confronto com aquele que possivelmente foi o gol mais bonito do Mundial e só não foi o responsável por uma goleada porque sua cobrança de falta parou no travessão. A Albiceleste, por sua vez, levou perigo em apenas duas oportunidades, ambas com Claudio Echeverri.

A vitória por 3 a 0 não garantiu apenas a medalha de bronze na Copa do Mundo Sub-17 de 2023, mas a segunda melhor campanha de Mali na história da competição. O país foi vice-campeão em 2015, quando foi derrotado pela Nigéria na final, e foi quarto colocado em 2017. Já A Argentina, que nunca chegou em uma decisão, perdeu a chance de igualar as campanhas que fez em 2003, 1995 e 1991.

Mali domina o primeiro tempo

Foi nítido que o terceiro lugar da Copa do Mundo Sub-17 significava mais para Mali do que para a Argentina. A seleção africana entrou em campo com o mesmo ritmo de seus outros compromissos pelo torneio, dominou o primeiro tempo e foi para o intervalo com grande vantagem. Logo com cinco minutos de partida, Hamdiou Makalou já exigiu grande defesa de Jeremías Florentín em batida colocada de dentro da área no ângulo esquerdo do goleiro. No lance seguinte, o próprio camisa 8 voltou a levar perigo em uma finalização cruzada para fora.

Mas quem abriu o placar para a equipe malinesa foi Ibrahim Diarra, artilheiro da equipe no Mundial Sub-17. Aos oito minutos, meia-atacante aproveitou a interceptação de Sekou Kone no campo de ataque, recebeu na ponta direita da área e chutou colocado após dominar de peito para acertar o canto direito de Florentín e marcar seu quinto gol no torneio.

A vantagem no marcador não diminuiu a pressão de Mali ou fez a Argentina entrar na partida. Aos 15, Kone acertou a trave esquerda da Albiceleste em arremate da entrada da área para encerrar o ritmo alucinante do início do jogo. No fim da etapa inicial, a seleção africana voltou criar boas oportunidades, sendo a primeira delas com Mamadou Doumbia em chute rasteiro no meio da meia-lua após boa jogada trabalhada pelo meio.

Na última chegada antes do intervalo, Mali aproveitou uma enorme desatenção da defesa argentina e ampliou. Makalou cruzou na área em cobrança de falta pela direita, a marcação albiceleste ficou parada pedindo impedimento e Doumbia apareceu sozinho quase na marca do pênalti para desviar de cabeça e superar Florentín.

Makalou faz o gol do Mundial e Florentín impede goleada

A Argentina voltou para o segundo tempo com duas alterações, uma delas sendo a entrada de Claudio Echeverri, um dos destaques da equipe e autor do hat-trick nas quartas de final contra o Brasil. Em campo, no entanto, pouca coisa mudou. Mali seguiu melhor e chegando com facilidade ao ataque, ampliando o placar para 3 a 0 já aos dois minutos. Depois de Doumbia disputar com dois defensores dentro da área, Diarra ficou com a sobra e encontrou Makalou. O camisa 3, então, marcou aquele que provavelmente foi o gol mais bonito da Copa do Mundo Sub-17 de 2023: colocou a bola entre as pernas de Juan Jiménez (que tinha acabado de entrar), deixou Jeremías Florentín no chão e passou por Dylan Gorosito com um lindo corte antes de tocar para o gol vazio.

A seleção malinesa só não goleou porque Florentín não permitiu. Quatro minutos depois do terceiro gol, o goleiro argentino levou a melhor sobre Doumbia em lance cara a cara na entrada da pequena área.  Aos 12, se esticou para desviar com a ponta dos dedos a bola para escanteio em chute colocado de canhota. O travessão também ajudou os hermanos, sendo carimbado por Makalou em uma cobrança de falta com força.

A Argentina, por sua vez, pouco apresentou. A Albiceleste até criou mais oportunidades na segunda etapa, mas foi pouco comparado ao que fez no restante do Mundial ou ao que fez Mali na disputa pelo terceiro lugar. Echeverri foi o responsável pelas duas melhores chances, exigindo boa defesa de Bourama Koné na primeira, em finalização pela esquerda da área após grande jogada individual, e tendo um gol anulado por impedimento. O camisa 10, no entanto, não conseguiu diminuir a vitória de Mali por 3 a 0.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo