Mundo

Alemanha bate Argentina nos pênaltis em duelo gigantesco e garante vaga na final do Mundial Sub-17

Em confronto marcado por duas viradas, Alemanha e Argentina fazem duelo de "gente grande" no melhor jogo da competição

Em um jogão de bola, a garotada da Alemanha e da Argentina jogaram como gente grande e proporcionaram um espetáculo de futebol pelas semifinais do Mundial Sub-17. Sul-Americanos e europeus pelo placar de 3 x 3 no tempo normal, em partida realizada na manhã desta terça-feira em Surakarta. Brunner duas vezes e Moerstedt marcaram os gols do time alemão, enquanto o artilheiro Ruberto marcou os três gols da equipe portenha.

O jogo foi marcado por duas viradas de placar e mostrou a força e resiliência da Alemanha, que saiu na frente aos nove minutos do primeiro tempo, sofreu a virada levando dois gols de Ruberto ainda nos primeiros 45 minutos, mas teve calma para avançar o time e aproveitar duas falhas incríveis do sistema defensivo da Argentina para virar novamente o placar para 3 x 2. No último lance do jogo, Ruberto recebeu passe de Echeverri e empatou a partida mais uma vez.

Uma curiosidade sobre a atuação do goleiro alemão é que o jogador substituiu o arqueiro titular Max Schimidt, que se lesionou e não disputou esta semifinal. Seu reserva mostrou muita segurança e praticou pelo menos quatro defesas incríveis no tempo normal para garantir o empate. Na decisão de penalidades, o jovem arqueiro do Unterhaching defendeu duas cobranças e ajudou a Alemanha a se classificar para a final do Mundial Sub-17. Agora, os alemães esperam o vencedor de França e Mali para conhecer seu adversário na grande decisão da Copa do Mundo da categoria, que acontece no próximo dia dois de dezembro.

Ataque argentino dá show e abre vantagem no 1º tempo

O Jogo mal começou em Surakarta e a Alemanha já foi abrindo o marcador. No primeiro ataque efetivo da Nationalef, Brunner, aos oito minutos, recebeu pela esquerda, balançou o corpo, se livrou da marcação e chutou forte, fazendo a bola passar por baixo do goleiro Florentin. No minuto seguinte, a Argentina tentou o empate. Ruberto, o nome do primeiro tempo, recebeu da entrada da área e chutou firme à esquerda da meta do goleiro Heide.

Se fechando mais e apostando nos contra-ataques para criar perigo, a Alemanha apostava na velocidade de sua transição para criar chances. Após mais uma jogada de transição, aos 15 minutos, Moerstedt recebeu do lado esquerdo da área e chutou firme para boa defesa do goleiro argentino. Na base do abafa, a Argentina quase conseguiu o empate com Albarracín, aos 21 minutos. Após jogada pela esquerda, a bola sobrou para o camisa oito da Argentina, que chutou da entrada da pequena área, obrigando o goleiro Heide a fazer uma defesa monumental.

Buscando o empate ainda na primeira etapa, a Argentina tentava chutar de fora da área para marcar o seu primeiro gol. Retraída em seu campo de defesa, a partir da primeira metade do primeiro tempo, a Alemanha já não conseguia mais sair em velocidade para criar perigo e se desvencilhar da pressão imposta pelos sul-americanos. Aos 34, Yalcinkaya teve mais uma boa chance para o time da Alemanha, em nova jogada de velocidade, mas pelo lado direito, o camisa 18 do time europeu cortou a marcação e chutou firme, na rede, mas pelo lado de fora.

No minuto seguinte, a Argentina finalmente chegou ao seu gol de empate. Dylan Gorosito recebeu a bola na linha de fundo, se livrou da marcação e rolou para trás, deixando Ruberto na boa para empatar a peleja em Surakarta. O gol animou os argentinos, que criou mais uma chance em seguida. Após mais uma jogada pelo lado esquerdo, Etcheverri chutou da entrada da área após mais uma jogada de linha de fundo, mas dessa vez, fez boa defesa.

Brunner teve uma chance de ouro para marcar o segundo gol. O camisa sete estava livre do lado esquerdo da área e nem esperou receber a bola no pé para chutar com perigo sobre a meta de Florentín. E como quem não faz toma, a Argentina virou o placar com o seu artilheiro. Ruberto recebeu no meio da área, passou como quis pela marcação e mandou a bola no ângulo do goleiro Heide, virando o marcador em Surakarta e fechando o placar em 2 x 1 para os argentinos.

Ruberto salva Argentina de derrota e leva o jogo para os pênaltis

Logo no primeiro minuto da segunda etapa, após uma linda troca de passes do ataque da Argentina, Acuña recebeu na entrada da pequena área e chutou sobre o gol de Heide. Em seguida, Moerstedt recebeu passe sensacional de Darvich e chutou cruzado, para defesa espetacular do goleiro Florentin. Aos 12 minutos, a Alemanha chegou ao gol de empate. Se no jogo coletivamente o jogo estava da Alemanha não acontecia, na base da individualidade, Brunner mostrou toda a sua qualidade ao retomar a posse de bola no campo de ataque, carregar e mandar um chute lindo, colocado, no canto esquerdo de Florentin, que se esticou todo e nada pôde fazer.

O gol de empate alemão mexeu com o time argentino, que começou a errar mais do que poderia. Em mais uma falha da defesa sul-americana, a Alemanha se aproveitou para virar o jogo mais uma vez. Após cruzamento de Brunner pela esquerda, Villalba cortou mal e o artilheiro Moerstedt tocou de cabeça para mandar ao fundo do barbante e botar os europeus na frente em Surakarta. A frieza tão característica do time alemão foi fundamental para a garotada europeia se manter em condições de passar à frente do marcador e construir um belo resultado.

Aos 34 minutos, Harchaoui mandou um chute forte de fora da área e obrigou o goleiro Florentin a fazer grande defesa. Na reta final da partida, a Alemanha se aproveitou de sua frieza e resiliência em campo para conseguir controlar o encontro e colocar o jogo sob seu comando. Após levar o 3º gol, o time da Argentina sucumbiu psicologicamente, mas na base do abafa, ainda teve algumas chances, uma delas, com Mastantuono, que avançou no meio da defesa alemã e chutou forte no canto, obrigando Heide a fazer mais uma grande intervenção.

Se de um lado a Alemanha teve frieza para fazer 3 x 2, do outro a Argentina teve muita raça e coração, para no último lance do jogo, empatar o confronto com Ruberto, que marcou seu terceiro gol na partida, empatando o duelo e mandando a decisão para os pênaltis.

Fator Heide faz a diferença e classifica a Alemanha para a final do Mundial Sub-17

Heide fez pelo menos quatro defesas no tempo normal e foi um dos principais responsáveis por guardar a meta alemã e garantir o empate por 3 x 3. Nas penalidades máximas, o jovem goleiro de apenas 17 anos entrou de vez nas graças do torcedor e quem sabe do técnico Christian Wuck, que pode escalar o goleiro na grande decisão. Foram duas defesas do arqueiro alemão na série de cobranças que fechou o placar em 4 x 2 em favor dos europeus, que marcaram com Moreira, Ramsak, Harchaoui e Brunner, enquanto o zagueiro Jeltsch errou.

Pelo lado argentino, que chegou a torcar o goleiro Florentin por Villalba, acertou suas cobranças com Giménez e Villalba, enquanto Mastantuono e Echeverri erraram.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Existe um ditado que diz que o bom filho a casa retorna não é? Pois bem, sou Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia, de volta ao site após quatro anos, e agora redator do Trivela, um dos maiores portais de futebol do Brasil. Sou jornalista, especializado em Marketing digital e narrador do Portal Futebol Interior e também da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo