Itália

Internazionale se mexe para driblar assédio da Premier League ao seu treinador

Pelo ótimo trabalho na Internazionale, Simone Inzaghi despertou interesse de Manchester United e Chelsea

Hoje, é difícil apontar um time que jogue mais que a Internazionale no futebol europeu. Líder absoluta da Serie A, o título nacional parece encaminhado pela ótima vantagem de nove pontos – com um jogo a menos – para a vice-líder Juventus. Em 2024, são 10 vitórias nos 10 jogos, um recorde na história do clube, que já conquistou a Supercopa Italiana nesta temporada e é um dos favoritos ao título da Champions League. Taticamente, o time é muito rico. Sempre montado no 3-5-2, ataca com muita gente, é intenso, pressiona muito e é dono de um repertório absurdo. Tudo isso, obviamente, traz muito holofotes ao técnico Simone Inzaghi, que despertou o interesse de Chelsea e Manchester United, segundo o jornal italiano Tuttosport.

Para fugir desse assédio dos ingleses, que poderia oferecer entre 8 e 9 milhões de salário ao comandante italiano, a direção da Inter se movimenta e quer estender o vínculo de Inzaghi. Renovado em setembro do ano passado, o atual vínculo do técnico finaliza no fim da próxima temporada, ou seja, no meio de 2025, e o salário anual está em 5,5 milhões de euros. A reportagem do periódico aponta que os dirigentes querem oferecer uma grande valorização nos vencimentos anuais do treinador para pelo menos 6 milhões, além de bônus por títulos, e dar mais um ano (2026) ou dois (2027) de renovação.

Isso que United e Chelsea atualmente têm treinadores, Erik Ten Hag e Mauricio Pochettino, respectivamente, ambos pressionados pelo desempenho e com baixa possibilidade de título e vaga na próxima Champions.

A preocupação da Inter pode aumentar também porque pelo menos três gigantes europeus irão ao mercado na próxima janela de transferências em busca de um novo treinador. Jürgen Klopp, no Liverpool, Xavi Hernández, no Barcelona, e Thomas Tuchel, no Bayern de Munique, deixarão seus cargos em junho desse ano por motivos (bem) diferentes e agitam o mercado. Apesar de Xabi Alonso ser o “queridinho” de dois dos três grandes europeus, um – ou dois, a depender da decisão dele – ficará sem o espanhol e Inzaghi, a depender também do sucesso nesta temporada, pode ser um alvo.

Inzaghi já levou Supercopa nesta temporada e vem mais por aí (Foto: Icon Sport)

A carreira de Inzaghi

Jovem para um técnico, Simeone Inzaghi, de 47 anos, trabalhou em apenas dois clubes na carreira. Ex-jogador com carreira toda construída no futebol italiano, fez a transição para beira do campo na Lazio, time que pendurou as chuteiras. Foi subindo nos “degraus” do clube: passou pelo sub-17, 19, foi auxiliar técnico até assumir o time principal em 2016. Nos cinco anos à frente dos Biancocelesti, fez um time competitivo e venceu uma Copa da Itália em 2019/20, além de duas Supercopas.

Assumiu a Inter para temporada 2021/22, substituindo Antonio Conte, campeão italiano em 20/21. Quase conseguiu o bi, mas perdeu o título para o rival Milan na última rodada e, com o domínio do Napoli em 22/23, nem chegou perto de competir. Ficou com fama de “copeiro” pelo ótimo desempenho nas competições mata-mata. Levou duas Copa da Itália e três Supercopas, mas o principal desempenho foi conduzir a Internazionale de volta à final da Champions após 14 anos. Na decisão contra o Manchester City, competiu muito, foi melhor que o rival em vários momentos e só não teve sorte melhor porque Ederson impediu dois gols claros. No fim, o título ficou com os ingleses com gol solitário de Rodri.

Inzaghi é um dos grandes técnicos da nova geração e o provável título da Serie A na atual temporada mostra que ele também sabe montar equipes competitivas em pontos corridos. A conquista da Europa não será fácil, principalmente pelo abismo financeiro com os outros favoritos, City e Real Madrid, mas fazer os Nerazzurri voltarem aos favoritos já é um feito a ser celebrado.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo