Copa da Itália

O Frosinone esperou os titulares do Napoli entrarem para golear e fazer história na Copa da Itália

Em pleno Diego Maradona, o Frosinone aproveitou os erros do Napoli no segundo tempo, construiu uma grande goleada e avançou às quartas da Copa da Itália pela primeira vez

A primeira grande zebra da Copa Itália 2023/24 aconteceu nesta terça-feira (19). Em pleno Estádio Diego Armando Maradona, o Frosinone goleou o Napoli por 4 a 0 e avançou pela primeira vez na historia às quartas de final da Copa da Itália. Depois de um primeiro tempo em que os donos da casa criaram as melhores chances, o time comandado por Eusebio Di Francesco aproveitou os vacilos do adversário na defesa para marcar quatro vezes na segunda etapa. Além do resultado elástico, outro fato curioso foi que todos os gols saíram justamente depois de Walter Mazzarri colocar quatro de seus principais jogadores em campo: Giovanni Di Lorenzo, Stanislav Lobotka, Victor Osimhen e Khvicha Kvaratskhelia.

Enzo Barrenechea abriu o placar para os Canarini aproveitando cobrança de escanteio. Pouco depois, Giuseppe Caso recebeu um presente de Natal antecipado de Di Lorenzo e não desperdiçou ao ficar frente a frente com o goleiro Pierluigi Gollini. Nos acréscimos, Walid Cheddira marcou em cobrança de pênalti (cometido por Di Lorenzo) e Abdou Harroui fechou a goleada.

A derrota acachapante e a eliminação na Copa da Itália deixam ainda mais complicado o momento turbulento do Napoli. Os Partenopei se recuperavam da sequência de três reveses consecutivos para Real Madrid, Internazionale e Juventus, respectivamente, e vinham de duas vitórias consecutivas. Desde a chegada do técnico Walter Mazzarri, foram três triunfos, quatro derrotas, oito gols marcados e 14 sofridos.

É a segunda vez seguida que o Napoli é eliminado precocemente nas oitavas de final da Copa da Itália. Na temporada passada, no entanto, o time era líder isolado da Serie A e fazia uma brilhante campanha que culminaria no primeiro Scudetto em 33 anos. Agora, é o atual quinto colocado no Campeonato Italiano, com 14 pontos a menos que a líder Inter, e só terá a Champions League e a Supercopa da Itália como possibilidades de título.

O Frosinone, por outro lado, vive grande fase. Recém-promovido à Serie A, ocupa a 13ª posição e está a sete pontos de distância para a zona de rebaixamento. Na Copa da Itália, tentará fazer ainda mais história enfrentando nas quartas de final quem levar e melhor no confronto entre Juventus e Salernitana, marcado para o dia 4 de janeiro.

Napoli cria as melhores chances em primeiro tempo equilibrado

Tanto Napoli quanto Frosinone optaram por poupar seus principais destaques e entraram em campo no Diego Armando Maradona com equipes quase inteiramente reservas. Os suplentes fizeram um duelo equilibrado no primeiro tempo, mas de poucas oportunidades claras de gol. Os donos da casa criaram as melhores chances e até balançaram a rede antes do intervalo, mas viram o VAR corrigir erro da arbitragem e manter o placar em 0 a 0.

A primeira chegada do Napoli foi aos 15 minutos, com Jesper Lindström recebendo com liberdade dentro da área após boa troca de passes pelo lado direito e finalizando com força para exigir grande defesa de Michele Cerofolini. O goleiro do Frosinone ainda fez outra intervenção aos 21, quando Giacomo Raspadori cunduziu da entrada da área até próximo da linha de fundo pela esquerda e, mesmo com pouco ângulo, arriscou de canhota.

Os visitantes ameaçaram pela primeira (e única) vez na primeira etapa aos 28 minutos, com Giuseppe Caso escapando em velocidade pela esquerda e deixando Alessandro Zanoli no chão com um corte dentro da área. O camisa 10, no entanto, hesitou na hora do arremate e acabou mandando em cima de Leo Ostigard. A demora quase custou caro, já que Caleb Okoli vacilou aos 35 minutos e entrou a bola dentro da área nos pés de Giovanni Simeone, que driblou Cerofolini e completou para meta vazia. Para sorte dos Canarini, o gol foi anulado pelo VAR por um toque de braço de Lindström na origem do lance.

Na reta final, o Napoli ainda levou certo perigo em outras duas oportunidades. Primeiro, Simeone arriscou de longe e quase foi ajudado por um desvio na marcação no meio do caminho, mas a bola foi para fora após passar perto da trave esquerda do Frosinone. Nos acréscimos, foi a vez de Raspadori chutar de fora da área em cobrança de falta pela esquerda e exigir que Cerofolini sujasse o uniforme novamente.

Titulares do Napoli entram, Di Lorenzo vacila e Frosinone goleia

O segundo tempo começou igual ao primeiro. O Napoli era levemente superior e tinha as melhores chegadas ao ataque, mas mesmo assim criava poucas oportunidades reais de abrir o placar. A melhor delas foi em cobrança de falta de Mário Rui, que explodiu a trave direita de Cerofolini aos oito minutos. O Frosinone, por sua vez, não ameaçava o goleiro Pierluigi Gollini, que até aos 20 minutos precisou apenas fazer uma defesa tranquila em tentativa de Caso de fora da área.

Mesmo assim, parecia que o Napoli a dominaria a partida em algum momento e pressionaria em busca da vitória. Afinal, Walter Mazzarri colocou os titulares Giovanni Di Lorenzo e Stanislav Lobotka aos nove minutos e Victor Osimhen e Khvicha Kvaratskhelia aos 18. A diferença de nível técnico entre as equipes, no entanto, não fez diferença e o Frosinone saiu na frente dois minutos após a entrada da melhor dupla de ataque da Serie A passada. Enzo Barrenechea aproveitou o escanteio batido por Luca Garritano, subiu sozinho na pequena área perto da primeira trave e encobriu Gollini com um desvio de cabeça.

Em vantagem, os visitantes baixaram ainda mais suas linhas de defesa. Já os Partenopei se lançaram ao ataque apostando na qualidade individual de seus destaques. Acontece que justamente Di Lorenzo, capitão da equipe, acabaria com qualquer possibilidade de reação. O lateral-direito equivocadamente tentou recuar após ganhar disputa no meio-campo e acabou acionando Caso em velocidade. O camisa 10 dos Canarini teve frieza ao ficar na cara do gol e bateu colocado na saída de Gollini para ampliar aos 25 minutos.

Nos acréscimos, o Frosinone ainda garantiria uma goleada aproveitando a exposta defesa do Napoli. Primeiro, Di Lorenzo cometeu uma falta boba dentro da área em Francesco Gelli, que foi mais rápido e tocou na bola antes do defensor. Walid Cheddira se encarregou da cobrança do pênalti e converteu, mandando alto no meio da meta mandante.

No último lance da partida, foi a vez de Kvaratskhelia ser desarmado e proporcionar novo contra-ataque mortal. Abdou Harroui recebeu enfiada de bola de Pol Lirola no meio da defesa do Napoli, ficou de frente com Gollini e finalizou colocado rasteiro para dar números finais ao jogo.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo