Premier League

Rafa Benítez está de volta a Liverpool, mas para treinar o rival: é o novo técnico do Everton

Histórico no Liverpool, Rafa Benítez assume o desafio de levar o Everton a brigar no alto da tabela e chegar em melhor condição ao novo estádio, em 2024

Rafa Benítez está de volta à cidade de Liverpool, mas vai treinar o lado azul desta vez. O espanhol foi anunciado como treinador do Everton, com um contrato de três anos. Aos 61 anos, ele volta a uma cidade onde morou por seis anos, mas dirigindo o lado vermelho, o Liverpool. Ele será o sucessor de Carlo Ancelotti, que pediu demissão para assumir o Real Madrid no último dia 1º de junho.

“Eu estou muito satisfeito em vir para o Everton. Ao longo de todo este processo, fiquei muito impressionado com a ambição demonstrada pelos principais representantes do clube e seu desejo de fazer sucesso neste clube histórico”, afirmou Benítez em comunicado divulgado pelo Everton. “Eu acredito que este é um clube que está chegando a algum lugar. Estou determinado a ter um grande papel para ajudar este grande clube a alcançar suas ambições”.

O Everton afirma que fez um “processo de recrutamento robusto e de amplo alcance” nas últimas três semanas, com várias entrevistas com diversos candidatos. Entre eles, Nuno Espírito Santo, que deixou o Wolverhampton, além de uma tentativa de David Moyes, seu ex-técnico, que está no West Ham. Outros nomes cotados foram Christophe Galtier, que levou o Lille ao título da Ligue 1, Eddie Howe, ex-Bournemouth, e também o técnico da Bélgica, Roberto Martínez, outro ex-técnico do clube. Benítez foi o escolhido e volta à Inglaterra.

Será apenas o segundo técnico na história a treinar Liverpool e Everton. O primeiro foi William Edward Carclay, primeiro técnico da história do Everton, em 1888, e que tinha treinado o Liverpool em 1892. Depois disso, nunca mais houve quem mudasse de lado como técnico em Merseyside. Ainda que a rivalidade entre Everton e Liverpool não seja das mais ferozes ou violentas, é algo que causa um estranhamento.

A carreira de Rafa Benítez começou no Valladolid, em 1995/96, depois de passar pela base do Real Madrid, incluindo o Castilla. Depois, treinou também Osasuna, Tenerife e chegou ao Valencia em 2001. Foi por lá que conseguiu dois dos principais títulos da sua carreira: em duas temporadas, foi campeão de La Liga pelos Ches, em 2001/02 e em 2003/04. O trabalho no Valencia o credenciou para a primeira ida à Inglaterra.

O seu grande momento na Inglaterra foi no Liverpool, onde ficou de 2004 a 2010. Conquistou o marcante título da Champions League em 2004/05 no chamado Milagre de Istambul. Além deste, que foi o seu principal título, conquistou também uma Copa da Inglaterra, em 2005/06. Conquistou também a Supercopa da Uefa, em 2005/06, e a Supercopa da Inglaterra, em 2006/07.

Depois de deixar o Liverpool, treinou a Internazionale, então campeã da Tríplice Coroa com José Mourinho. Seu período na Itália foi curto e sem sucesso. Conquistou o título mundial de clube contra o Mazembe. Não foi suficiente para convencer os dirigentes: quatro dias depois, quando o time voltou à Itália, ele foi demitido.

Depois da Inter, Benítez já tinha treinado um rival, um clube contra o qual antagonizou em vários momentos: o Chelsea. Foi anunciado em novembro de 2012 e durou apenas até o fim da temporada, quando anunciou que deixaria o clube. Naquela temporada, conquistou o título da Liga Europa pelos Blues, em 2012/13. Logo em seguida, em julho de 2013, assumiu o Napoli. Foram dois anos no cargo, até 2015, com a conquista da Copa da Itália em 2013/14. De lá, ele partiu para o sonho da sua vida: o Real Madrid.

O Real Madrid era a sua casa, onde começou como técnico das categorias de base. Voltou, enfim, ao clube de coração. Algo que o Real Madrid também explorou em termos de marketing. Só que o trabalho não floresceu e ele acabou demitido em janeiro de 2016.

Foi em 2016 que ele voltou à Inglaterra. Assumiu, em março daquele ano, o Newcastle. Não evitou o rebaixamento, mas ajudou o time a subir novamente à Premier League. Ficou até 2019 no clube e deixou muitas saudades – e questionamentos ainda maiores ao dono, Mike Ashley. Naquele mesmo ano, Benítez foi para a China, onde treinou o Dalian Professional. Assumiu em julho daquele ano, o que suscitou críticas de Mike Ashley acusando o treinador de pegar o dinheiro e ir para a China. Deixou o clube em janeiro de 2021.

O anúncio de Rafa Benítez no Everton gera reações mistas entre os torcedores. Alguns acham que é uma boa ideia, outros não gostam de uma figura tão associada ao rival para assumir os Toffees. Alguns torcedores foram até além e cometeram crime: fizeram ameaças ao técnico dizendo “sabemos onde você mora, não assine”. As ameaças foram encaminhadas à polícia de Merseyside para investigação dos seus autores.

Os desafios de Rafa Benítez serão grandes. O time do Everton sob o comando de Carlo Ancelotti já não vivia um bom momento ao final da temporada passada. O time terminou em 10º lugar, em uma temporada que sonhou com competições europeias e não conseguiu se manter por lá na reta final. Será preciso uma reformulação.

Há bons jogadores no Everton e um time que tem potencial para brigar mais acima, mas com concorrentes de tanto peso como temos visto na Premier League, há pouco espaço para fases ruins. É preciso que o time renda bem sempre, com constância, algo que faltou na última temporada.

Em casa, o Everton não conseguiu ser confiável e esse será um desafio. Benítez conseguiu ir bem tanto no Newcastle quanto lá atrás, pelo Liverpool. Pelo Chelsea, teve bons momentos, mas viveu uma grande turbulência por causa da rivalidade com o Liverpool.

Até por esse episódio no Chelsea, Benítez sabe que precisará conquistar seus torcedores antes de qualquer coisa. Tirar essa pressão negativa será fundamental. E isso se consegue com postura e com resultados, claro. Mais do que isso: ele pode escrever um período histórico do clube, que tem como objetivo estar melhor do que hoje para quando seu novo estádio for inaugurado, em 2024. É um trabalho difícil.

O principal acionista do Everton, Farhad Moshiri, deu confiança ao treinador. “Rafa nos impressionou muito com seu conhecimento e experiência, mas, acima de tudo, sua paixão e fome que mostrou ao se juntar a nós”, disse o dirigente. “Nós estamos contratando Rafa porque acreditamos que ele trará sucesso ao nosso clube e aos Evertonians. Para colocar de maneira simples, precisamos estar competindo no alto da tabela e ganhar títulos”.

“Rafa é um vencedor provado, com grande experiência em treinar internacionalmente e nós asseguramos a melhor pessoa para conseguir isso para nós”, continuou Moshiri. Com essas palavras, o dirigente traz confiança de um lado, mas muita pressão de outro. Rafa Benítez não pode se acomodar: será uma missão mais dura do que o treinador teve, por exemplo, no Newcastle, onde não havia essa questão de rivalidade e também o time era pior – tanto que ele dirigiu a equipe na segunda divisão.

É bom que Rafa Benítez chegue bem ao clube e consiga resolver os problemas do time, que não são nem tantos quanto em outros clubes que chegou, como o próprio Newcastle. Por isso, a cobrança será alta e ele precisará mostrar que está à altura do desafio. Os trabalhos recentes deixam dúvidas, mas ele é, sem dúvida, um técnico de muito conhecimento tático e uma boa gestão de grupo. Precisará estar no seu melhor para levar o Everton a incomodar o chamado “Big Six” e se colocar na disputa por vagas europeias.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo