Premier League

Mike Ashley rebate Rafa Benítez: “Escolheu a opção fácil, pegou o dinheiro e foi para a China”

Pouco mais de duas semanas após Rafa Benítez distribuir cutucadas em sua administração, Mike Ashley, dono do Newcastle, resolveu contra-atacar, dando sua versão da saída do técnico espanhol rumo à China. Vai ser difícil Ashley convencer os torcedores, que há tanto tempo expressam seu desprezo pelo mandatário e insatisfação com a maneira como o clube é gerido. Mas o dirigente resolveu abrir a boca mesmo assim.

[foo_related_posts]

Em entrevista ao Daily Mail, Mike Ashley afirmou que o motivo pelo qual Benítez deixou o clube foi por querer mais dinheiro.

“Se você aparece e diz as coisas que ele disse, imagina-se que (para ele) era clube em primeiro lugar, Rafa em segundo e dinheiro em terceiro. Eu diria que era primeiro o dinheiro, depois o Rafa e então o clube por último. Ele escolheu a opção fácil, pegou o dinheiro e foi para a China”, disse Ashley.

“Isso me decepciona. Se ele tivesse voltado para o Real Madrid ou ido para um dos seis principais clubes da Premier League, eu teria entendido. Mas se tratava de dinheiro, e tudo que ele tinha que fazer era dizer isso desde o início.”

Mike Ashley diz que Rafa “passou a perna” nele pela maneira como tratou a discussão sobre continuidade no clube na imprensa, deixando de citar, na visão dele, a questão financeira, e focando a falta de abertura do dono a investir mais em contratações. Com orçamento baixíssimo para os padrões atuais – entre £ 50 milhões e £ 60 milhões por temporada –, o clube demorou quase 14 anos inteiros para quebrar seu próprio recorde de contratação, ao assinar em janeiro deste ano com Miguel Almirón por £ 21 milhões, superando a cifra de £ 16 milhões paga por Michael Owen em 2005. Na atual janela, após a saída de Benítez, o recorde foi mais uma vez quebrado, com o brasileiro Joelinton chegando por £ 40 milhões.

“Todas as vezes com o Rafa era impossível (chegar a um acordo), sempre tinha algo a mais, e então mais uma coisa e mais outra coisa. Ele pediu um aumento de 50% de salário, e acho que fez isso porque sabia que não daria certo. E, se tivéssemos concordado com isso, acho que haveria alguma outra coisa”, argumentou.

Diante da revolta do torcedor por permitir que Benítez deixasse o clube, Ashley afirma que sempre quis manter o treinador, “por minha segurança pessoal”. “O que me intriga é por que qualquer torcedor acha que eu não o queria. Não sou a pessoa mais burra do planeta. Por que eu não iria querer excelência? Por que não iria querer esse treinador? Acuse-me de várias coisas, mas não disso”, defendeu-se.

Ashley vai além e diz que, enquanto falavam em renovação de um ano, ele gostaria, na verdade, de oferecer até mesmo oito anos de contrato para o técnico, já que, segundo ele próprio, vê o planejamento de um clube a médio ou longo prazo, e não imediatamente. O que, na realidade, pareceu mais um artifício para puxar o que diria a seguir: “Se você realmente me quer envolvido, preciso de tempo de você também. E essa era a ideia. Eu fiz isso antes com o Alan Pardew”.

Ou seja: queria que Rafa Benítez tivesse mais paciência para que ele começasse a investir no clube, ainda que um relatório da Deloitte de 2017/18 tenha colocado o Newcastle como 19º clube mais rico do mundo, com faturamento de € 201,5 milhões.

No início deste mês, apenas sete dias depois de chegar ao novo clube, o chinês Dalian Yifang, Benítez disparou contra o ex-time, afirmando que teve “mais reuniões com o presidente e o diretor geral nesta semana do que tive em três anos no Newcastle”.

Será que vimos o último capítulo dessa rixa?

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo