Inglaterra

Arsenal anuncia Gabriel Jesus, em um negócio que parece unir a necessidade do clube com a do jogador

O Arsenal precisava de um atacante e Gabriel Jesus precisava de mais minutos em campo e, portanto, a transferência parece atender às necessidades de ambos

Um dos negócios mais falados e mais dados como certos nesta janela era a transferência de Gabriel Jesus para o Arsenal. Nesta segunda-feira, o clube anunciou a contratação do brasileiro, que chega por £ 45 milhões e parece ser algo bom para todos os envolvidos. Aos 25 anos, Jesus chega para ser o camisa 9 do Arsenal, ao menos no número de camisa que vestirá. O contrato assinado é de cinco anos com os Gunners, até 2027.

O Arsenal precisava de um atacante e consegue um ótimo com Jesus; o brasileiro precisava de mais minutos em campo, o que conseguirá nos Gunners; e o Manchester City precisava vender o jogador, já que contratou Julian Álvarez e Erling Haaland nesta janela e precisava fazer caixa. É um negócio que contempla bem as três partes.

Havia uma necessidade latente de atacantes no Arsenal. A saída de Pierre-Emerick Aubameyang em janeiro para o Barcelona e de Alexandre Lacazette para o Lyon ao final da temporada, ambas sem gerar nenhuma receita ao clube, deixaram a equipe com menos opções ofensivas. A permanência de Eddie Nketiah, de 23 anos, foi um alívio. O jogador também poderia sair sem custos, mas decidiu permanecer. Ainda assim, era uma necessidade ter um jogador de mais peso ofensivo.

A negociação foi bastante arrastada. O clube está há seis meses negociando com o agente do jogador, Marcello Pettinati, para garantir que o clube estava em uma boa posição para contratá-lo. É a quarta contratação do Arsenal na temporada depois das chegadas de Fabio Vieira, Matt Turner e Marquinhos.

Gabriel Jesus: “Acompanhava o Arsenal quando era mais novo por causa de Henry”

“Acompanhava o Arsenal quando era mais novo por causa de [Thierry] Henry]”, contou Gabriel Jesus em sua primeira entrevista pelo novo clube. “Obviamente, eu não acompanhava muitos times europeus, mas quando vi alguns dos jogadores que atuaram por aqui, fiquei ‘wow, este clube é grande’. Quando joguei contra o Arsenal, ficava olhando o Emirates e era um estádio muito bom, então estou empolgado em jogar aqui”.

“Estou muito feliz em assinar com este grande clube. Desde o primeiro dia quando eu sabia que podia jogar pelo Arsenal, eu fiquei feliz. Conheço a comissão técnica, alguns dos jogadores, os brasileiros. Sei que há muitos grandes jogadores. Eles são jovens e ainda sou jovem também, então estou feliz em estar aqui para ajudar. Vim para ajudar, para aprender e tentar fazer o meu melhor”.

Arteta: “Conseguimos o jogador que todos queríamos”

Gabriel Jesus é apresentado pelo Arsenal (divulgação)

“Estamos muito satisfeitos que conseguimos garantir a transferência de Gabriel. Todo mundo que conhece futebol bem sabe das qualidades de Gabriel Jesus”, afirmou o diretor técnico do Arsenal, o brasileiro Edu Gaspar.

“Gabriel é um jogador que admiramos por um longo tempo. Ele tem 25 anos e está estabelecido como jogador de seleção brasileira que consistentemente demonstrou que é um jogador no mais alto nível. Estamos ansiosos para vê-lo se juntando aos seus companheiros antes da nova temporada. Todos damos as boas-vindas para Gabriel ao Arsenal”, continuou.

Mikel Arteta e Gabriel Jesus são velhos conhecidos. O técnico do Arsenal foi assistente de Pep Guardiola no Manchester City desde a chegada do treinador ao clube, em julho de 2016, até dezembro de 2019, quando saiu para assumir o Arsenal. Portanto, conhece bem Gabriel Jesus porque estava no Manchester City quando ele chegou e o treinou diversas vezes como assistente. Sua presença no Arsenal é considerada fundamental para convencer Gabriel Jesus a ir para o Arsenal.

“Estou muito empolgado. O clube fez um tremendo trabalho em recrutar um jogador dessa estatura. Conheço Gabriel pessoalmente muito bem, e todos nós conhecemos bem ele do seu tempo na Premier League e sendo bem-sucedido aqui”, afirmou Arteta. “Essa é uma posição que está no nosso radar por um longo tempo agora e conseguimos um jogador que todos queríamos, então estou realmente feliz”.

Bons números e títulos ao longo dos cinco anos de Manchester City

Os números de Gabriel Jesus são ótimos. Ele marcou 95 gols em 236 jogos pelo Manchester City, mesmo sendo reserva nas últimas temporadas. Foram cinco temporadas jogando pelo Manchester City, desde que foi contratado pelo clube e chegou em janeiro de 2017. Conquistou quatro títulos da Premier League no período, uma Copa da Inglaterra e três vezes a Copa da Liga.

Na última temporada, Gabriel Jesus cresceu em importância no time de Pep Guardiola. Mesmo ainda sendo reserva na maioria das vezes, conseguiu fazer muitos gols e foi importante em diversos jogos. Com isso, se valorizou um pouco mais. Na temporada 2021/22, foram 41 jogos, com 13 gols marcados e outras 12 assistências. Números ótimos de um jogador que não é um artilheiro nato, mas ajuda muito na criação de jogadas, além de ser dedicado ao time. Em termos de posição, atuou 23 vezes centralizado e outras 17 vezes como ponta, predominantemente pela direita.

O currículo de Gabriel Jesus na seleção brasileira também é muito bom: são 56 jogos e 19 gols marcados desde a sua primeira convocação, em setembro de 2016. O jogador foi o titular na Copa do Mundo de 2018, mas acabou criticado por suas atuações e por não ter feito nenhum gol. Perdeu espaço, mas recuperou na Copa América de 2019, quando se tornou titular ao longo da campanha atuando na ponta direita e foi importante ao longo dos jogos. Também conquistou a medalha de ouro olímpica pelo Brasil na Rio-2016.

Em ano de Copa do Mundo, com Gabriel Jesus precisando mostrar serviço, a transferência chega em ótima hora. Será uma chance para o atacante mostrar que pode ser muito útil, inclusive como centroavante, uma posição que ele deve ser usado por Arteta. Com a necessidade do Arsenal, ele deve ter uma continuidade que não tem no City há muito tempo, sendo titular e até uma referência do time. É a chance de Jesus mostrar o que pode fazer assumindo essa responsabilidade.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo