Futebol feminino

‘Eu não sou o Arthur, sou o Lucas’: Piccinato vai implementar estilo próprio no Corinthians Feminino

Trivela traz motivos para acrditar que o trabalho de Lucas Piccinato tem potencial para manter as Brabas do Timão no topo do futebol feminino

A consequência de assumir um projeto de sucesso é a alta expectativa em torno da nova gestão. Mas isso não parece um problema para Lucas Piccinato, técnico que comandou o Internacional na temporada passada e, desde dezembro, foi anunciado no comando do Corinthians Feminino. Com muita personalidade, o novo comandante alvinegro decretou de vez o fim da “Era Arthur Elias” e disse que vai implementar seu próprio DNA na equipe.

– Tenho que colocar aquilo que eu acredito, a nossa cara, o meu modelo, a minha forma de jogar. Eu não sou o Arthur, eu sou o Lucas e, aos poucos, tentar implementar isso da melhor forma possível, sem que aconteça uma troca muito abrupta – afirmou em sua primeira entrevista coletiva como técnico das Brabas do Timão.

– A temporada passada foi de muitos títulos, todos os possíveis, mas todas as equipes fizeram o Corinthians suar sangue. Se a gente ficar achando que o que foi construído foi suficiente, vamos nos frustrar. Temos que trazer nossas ideias, adaptar o que não tenha sido tão bom, pegar o que foi construído e aproveitar.

Por mais que muitos torcedores pensem que “em time que está ganhando não se mexe”, a Trivela traz dois pontos fundamentais para acreditar que o trabalho de Piccinato tem potencial para manter o Corinthians no topo do futebol feminino.

Sucesso de integração com as categorias de base

Quando Lucas chegou ao São Paulo, após o trabalho com as categorias de base no Centro Olímpico, a palavra de ordem foi focar no desenvolvimento de atletas jovens. O sucesso da empreitada do treinador dispensa comentários. Aliás, Jaque e Vitória Yayá, ambas atuando no Corinthians, floresceram sob o trabalho do professor no Tricolor Paulista.

– Eu trabalhei muito tempo da minha vida com categorias de base, é algo que está dentro do meu trabalho e não consigo tirar. Vou ter sempre olhar muito forte para as jogadoras mais jovens dentro do clube. O Corinthians tem excelentes jogadoras jovens, as categorias de base têm muito talento, e a gente sempre vai olhar com muito carinho para tentar aproveitar esses talentos na equipe profissional – disse.

– São dois motivos para isso. Primeiro, porque se investe muito na base aqui e a gente precisa fazer esse investimento dar o retorno. E, em segundo, porque cada vez mais o mercado do futebol feminino tem se tornado um cenário bem agressivo, onde os valores estão aumentando de forma estratosférica e, às vezes, uma jogadora da base bem formada, que consegue suportar a pressão de subir para o profissional, pode resolver o problema e fazer com que não você não tenha que investir no mercado.

Conhecimento tático e coragem para realizar mudanças

Lucas Piccinato sempre levou consigo a ideia de que uma equipe com um sistema de jogo definido é mais difícil de ser batida, mesmo não esteja em seu melhor momento ou estado psicológico. É evidente que nem sempre o modelo ideal vai funcionar, mas o profundo conhecimento de Piccinato sobre a modalidade já se provou eficiente num passado recente.

Por exemplo, durante a Libertadores Feminina de 2023, realizada na Colômbia, o Internacional foi o quarto colocado em sua primeira participação no torneio continental. O grande responsável pelo resultado foi Piccinato, que mudou o estilo de jogo das Gurias Coloradas e tornou o time mais veloz e ofensivo pelas pontas.

Uma das grandes sacadas do treinador à frente das Gurias foi a estratégia de utilizar Belén Aquino e Tamara “Bolt” como as “donas” do contra-ataque. A estratégia mudou o patamar do Inter, que fez frente ao Corinthians na semifinal naquela competição. A equipe colorada fez um jogaço no tempo regulamentar e só caiu na disputa por pênaltis. 

– Óbvio que temos muito a melhorar, mas construímos muita coisa nesse período com o Inter. Acho que o principal foi o entendimento técnico para unir velocidade e objetividade – disse Piccinato à Trivela, em outubro de 2023, após ficar com o quarto lugar da Libertadores. 

Botão Voltar ao topo