Libertadores Feminina

Arthur Elias encerra ciclo no Corinthians com lágrimas e ‘vira a chave’ em tempo recorde para assumir a Seleção

Arthur Elias teve pouquíssimo tempo para processar despedida do Corinthians e já estreia pela Seleção Feminina no próximo sábado (28)

Em uma semana, Arthur Elias vai realizar o que muitos treinadores não conseguem fazer em uma carreira inteira. De um sábado a outro, o técnico se despede do Corinthians com o tetracampeonato da Libertadores Feminina para estrear no comando da Seleção Feminina

O momento de auge, no entanto, também traz uma maratona cansativa. Foram mais de 17 dias na Colômbia para a disputa do torneio continental, com concentração total pelo formato intenso da competição, além da convocação para a Seleção no início do mês de outubro

A avalanche de compromissos quase não permitiu ao técnico um momento de reflexão sobre o fim de seu ciclo no time paulista. Assim, as lágrimas apareceram de forma espontânea depois do apito final que coroou o Corinthians campeão da América mais uma vez.

– Aproveito o tempo que tenho para comemorar com o time, mas na viagem (saindo da Colômbia) já vira a chavinha, né? Tudo o que a gente já tem planejado para esses confrontos contra o Canadá… Foi tudo muito intenso mesmo, mas é o trabalho – afirmou Arthur à reportagem da Trivela, na saída do Estádio Pascual Guerrero, em Cali.

Arthur Elias esteve no comando do Corinthians nas quatro conquistas da Libertadores Feminina (Foto: Divulgação/Conmebol)

Na coletiva de imprensa, o clima era de despedida e de olhos marejados. O técnico falou pausadamente e arranhou a garganta em algumas respostas, como se tentasse segurar as lágrimas. No entanto, ao deixar o palco da vitória sobre o Palmeiras, Arthur nem se preocupou em despistar. Ele admitiu que o choro de emoção tem também um toque de saudade – que ainda está por vir. 

–  Foi o final de um ciclo incrível. Tenho muito orgulho e sou muito grato a todas as pessoas que passaram por esse ciclo. Fiz muitas amizades aqui. Esse time tem uma união que fez muita diferença, além da capacidade técnica como time. Nunca mais vou viver nada como isso no futebol – acrescentou.

Arthur quer Seleção protagonista e de volta às origens

Nos dias 28 e 31 de outubro, o Brasil fará amistosos contra o Canadá. Será a primeira Data Fifa com jogos da Seleção Feminina desde a saída de Pia Sundhage. Isso porque Arthur optou apenas por realizar treinos na Granja Comary em sua primeira convocação. O tempo junto com as atletas foi necessário para implementar seu método de trabalho, que é baseado em resgatar a identidade e as raízes ofensivas da equipe brasileira.

– A ideia é a Seleção ser ofensiva e sempre agressiva na marcação, pressionando as jogadoras que estão com a bola, uma pressão alta. Isso faz parte do modelo, mas também da identidade que a Seleção Brasileira tem. Eu sempre faço isso de uma força que fique claro para as jogadoras que isso faz parte da nossa identidade, das nossas raízes, da história delas e da história do futebol feminino aqui no Brasil – contou Arthur em conversa exclusiva com a Trivela antes do início da Libertadores.

O show tem que continuar no Corinthians

No mesmo papo com a reportagem, Arthur também falou sobre as mudanças que vão acontecer no Corinthians no próximo mês. Mesmo sem confirmar o nome que vai assumir cargo no no Parque São Jorge, o técnico promete fazer uma “transição suave”.

A preocupação do professor com a passagem de bastão tem um bom motivo: a fase mata-mata do Paulistão Feminino. O Corinthians tem mais um Dérbi pela frente, na semifinal do estadual. O compromisso já terá a nova comissão técnica.

Segundo apuração da Trivela, Tatiele Silveira já tem acerto encaminhado com o Timão.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo