Libertadores Feminina

‘Rainha da América’ aos 19 anos, Priscila brilha na Seleção e se firma como referência no Internacional

Destaque da Libertadores Feminina em 2023, atacante do Inter assumiu papel fundamental no ataque e está sendo monitorada de perto por Arthur Elias

Toda vez que uma edição de Copa Libertadores termina, a expectativa que permanece é quem ficará com a coroa real da América, entregue anualmente pelo periódico uruguaio El País. Na temporada passada, uma grata surpresa foi escolhida: Priscila, atacante do Internacional, de apenas 19 anos, conquistou a maioria de votos entre os 202 jornalistas que participaram da votação, deixando para trás Milene, do Corinthians, e Bia Zaneratto, ex-Palmeiras.

– É gratificante conquistar isso individualmente. É mérito do meu trabalho, do meu esforço… Mas também é tudo um conjunto. Se não tivesse preparador, se não ter uma fisioterapeuta, se não tem um treinador, um auxiliar ali, me ajudando, não seria possível. As minhas companheiras de clube também. O Internacional foi muito importante (nessa conquista), numa participação inédita para a gente. Infelizmente, não conseguimos conquistar o terceiro lugar e nem chegar à final, mas fizemos uma grande campanha, mesmo quando poucos acreditavam na gente – contou Pri, em um papo exclusivo com a Trivela, enquanto estava concentrada com a Seleção sub-20 na Granja Comary.

Neste domingo, sua Majestade entrará em campo para disputar mais uma partida decisiva em sua curtíssima carreira. No Beira-Rio, a partir das 10h30 (horário de Brasília), Inter e Corinthians disputam vaga na semifinal da Supercopa Feminina.

Priscila é prova de que o sucesso começa na base

Priscila ainda é muito jovem, só completará 20 anos em agosto, mas se comporta como uma veterana. Isso porque a jogadora soma inúmeras experiências em grandes competições, desde as categorias de base, tanto pelo seu clube quanto vestindo a amarelinha.

E foi o desempenho  de 2023 que fez com que ela entrasse no radar do exigente Arthur Elias, treinador da Seleção Feminina principal. Primeiro, ela ajudou a equipe a levar o bicampeonato Brasileiro Sub-20 e, na sequência, foi artilheira da Libertadores, com oito gols marcados. Além disso, foi artilheira das Coloradas no ano, com 22 gols marcados.

Por fim, Priscila ganhou seu espaço no time principal do Brasil e não decepcionou. No primeiro de dois amistosos contra o Japão, entre o fim de novembro e começo de dezembro, Pri saiu do banco para fazer o golaço da vitória brasileira na Neo Química Arena.

Ou seja, ela tem provado com resultados o que todos já esperavam dela: antes uma promessa, agora uma realidade. Priscila é a confirmação de que investir em categorias de base é fundamental para desenvolver grandes atletas no futebol feminino.

– 2023 foi o melhor ano da minha carreira, com certeza. Em tão pouco tempo, eu consegui conquistar muitas coisas individuais… Mas eu falo que tudo isso foi do conjunto, de clube e seleção, de eles estarem preparando as jogadoras desde as categorias de base para jogar na principal. Igualmente o Inter, que está preparando meninas para chegarem no profissional e conquistar seu espaço – afirmou a atacante.

De ouvidos atentos para Rosana

Durante o mês de janeiro, Pris esteve entre as convocadas para um período de treinos com a Seleção sub-20, já com o pensamento nos amistosos diante do Paraguai, nos dias 25 e 28 de fevereiro. Por ser uma das experientes da base, Pri tem a confiança da técnica Rosana e leva essa relação para além das quatro linhas. Ouvir e absorver a sabedoria da treinadora é lei.

– A Rosana trabalha de um jeito muito parecido com o Arthur Elias, o estilo de jogo deles também é parecido. Então, eu tive essa facilidade de entender o ataque. E é isso que eles têm conversado e alinhado, para que a gente chegue bem na principal. A Rosana sempre me chama para conversar, para poder ajustar a questão de posicionamento, principalmente quando jogamos defensivamente, e também me auxilia muito na parte mental. Tem sido muito bom trabalhar com ela.

Priscila
Priscila, do Inter, em treino com a Seleção sub-20 na Granja Comary (Foto: CBF)
Botão Voltar ao topo