Futebol feminino

Brasil faz bom jogo na estreia de Arthur Elias e consegue vitória merecida diante do Canadá nos acréscimos

Depois de um primeiro tempo equilibrado, Brasil pressiona o Canadá na etapa final e consegue o gol nos acréscimos, conseguindo uma merecida vitória em Montreal

A estreia do técnico Arthur Elias na seleção brasileira foi com boa atuação e vitória por 1 a 0, em gol conquistado nos acréscimos do segundo tempo. A partida foi realizada no Saputo Stadium, em Montreal, e contou com casa cheia. O jogo ficou empatado até o final, quando, nos acréscimos, Debinha, que entrou no segundo tempo, marcou o gol da vitória.

Arthur Elias foi anunciado como técnico da seleção brasileira no dia 1º de setembro, após a saída da técnica sueca Pia Sundhage. O técnico do Corinthians, maior potência brasileira e sul-americana do futebol feminino nos últimos anos, foi uma escolha quase de consenso. O técnico encerrou o seu ciclo no Corinthians com o título da Libertadores Feminina, conquistada no último dia 23, diante do Palmeiras. Como mostramos aqui, há bons motivos para o considerar a melhor escolha para a Seleção.

Times com poucas alterações

Em um jogo que era de festa para o Canadá, já que a atacante Christine Sinclair se despede da seleção nesta data Fifa, foi o Brasil quem jogou melhor, especialmente pelo segundo tempo que criou muito e fez com que a goleira Kailen Sheridan saísse como grande destaque da partida.

Entre as titulares do time agora comandado por Arthur Elias, apenas uma não estava na Copa do Mundo: a centroavante Cristiane. Todas as demais estavam no grupo comandado por Pia Sundhage, sendo que o time titular também foi bastante similar.

Além da manutenção da goleira Lelê, a lateral Antônia, Lauren, que já foi titular em jogos da Copa, Rafaelle e Tamires. No meio-campo, Luana foi mantida, com Ary Borges centralizada ao seu lado. Adriana atuou pela direita, Geyse pela esquerda, com Marta e Cristiane no ataque. Marta tinha liberdade para recuar para armar as jogadas e também para se movimentar pelo meio. Cristiane servia como referência no ataque.

O Canadá levou a campo oito jogadoras que foram campeãs olímpicas em 2021, em Tóquio. O time comandado por Beverly Priestman não fez uma grande Copa do Mundo, sendo eliminado na primeira fase, assim como o Brasil. As canadenses caíram no grupo B e ficaram atrás da anfitriã, Austrália, e da Nigéria. Empataram com a Nigéria, venceram a Irlanda e foram goleadas pela Austrália.

Equilíbrio no primeiro tempo

O primeiro tempo foi bastante movimentado. O Canadá ficava mais com a bola, mas o Brasil usava a velocidade para atacar e resolver os lances rapidamente. Com isso, tínhamos dois times que trocaram alguns ataques com perigo.O Canadá precisou fazer uma mudança aos 21 minutos, quando Jessie Fleming se lesionou e deu lugar a Julia Grosso.

Aos 27 minutos, as canadenses comemoraram um gol, que não valeu. Jula Grosso cruzou e Vanessa Gilles tocou de cabeça, livre, e colocou no fundo da rede. A zagueira, porém, estava impedida e o gol foi anulado pela própria arbitragem de campo.

O Brasil chegou novamente com perigo aos 29 minutos. Adriana cruzou rasteiro da direita para a segunda trave e Tamires apareceu livre, mas furou a bola e desperdiçou a chance. O Brasil chegava bem, mas errava nas decisões na hora de fazer o passe ou mesmo para finalizar.

A Seleção buscava o gol e aproveitava o bom momento. Adriana, em um chute de fora da área, colocou no ângulo e a goleira Kailen Sheridan fez uma boa defesa para mandar para escanteio. Só que o Canadá também ameaçava e, aos 40 minutos, Julia Grosso fez uma linda jogada pela esquerda, driblando as marcadoras e chutando cruzado, mas Adriana Leon não conseguiu chegar na bola.

A melhor chance do Canadá no jogo veio aos 46 minutos. Em uma grande jogada de Nichelle Prince pela esquerda, que avançou, não foi marcada por ninguém e tocou rasteiro para trás. Adriana Leon, de frente pro gol, bateu mal e Prince, tentando salvar uma bola que ia para fora, tentou se colocar no caminho para fazer o gol, mas a bola bateu nela e saiu. Ela estava impedida e o lance acabou invalidado.

Brasil vai muito bem e pressiona

Arthur Elias decidiu mexer já no intervalo. Cristiane e Geyse deixaram o gramado para aa entradas de Gabi Nunes e Debinha. A atacante Bia Zaneratto também entrou em campo aos 14 minutos, quando substituiu Marta. A camisa 10, que atua na NWSL, nos Estados Unidos, foi muito aplaudida no estádio em Montreal.

Debinha teve uma grande chance aos 16 minutos. Gabi Nunes ajeitou em uma jogada de pivô para Debinha, que saiu na cara do gol e finalizou de esquerda, mas a goleira Sheridan defendeu uma bola forte, mas que veio em cima.

Aos 22 minutos, a atacante Christine Sinclair, veterana e maior jogadora da história do Canadá, entrou em campo. Ela já anunciou a aposentadoria e está em sua turnê de despedida do futebol. O estádio fez muita festa com a entrada da principal jogadora do Canadá nas últimas décadas e que esteve em incríveis seis Copas do Mundo, mesmo número de Mundiais disputados por Marta.

O Brasil fez mais uma mexida no time aos 23 minutos, com Angelina no lugar de Luana. O Brasil fazia um bom segundo tempo, chegando ao ataque e trabalhando em velocidade e chegava com mais perigo que o time da casa.

Aos 26 minutos, Ary Borges arriscou de fora da área e Sheridan precisou jogar paras escanteio. Em seguida, em cobrança de escanteio, Rafaela ajeitou para Debinha finalizar, a goleira Sheridan fez a defesa e Antonia chutou no rebote para nova defesa, mas a lateral estava impedida.

O momento era do Brasil no jogo, que pressionava. Debinha avançou pela esquerda aos 28 minutos, tentou o cruzamento e Jade Rose cai com o braço direito na bola, mas a árbitra não marcou pênalti, apontando para o apito para dizer que viu e não considerou infração.

Mais uma mexida de Arthur Elias aos 36 minutos, colocando uma jogadora que ele conhece bem: Gabi Portillo, recentemente campeã da Libertadores pelo Corinthians e comandada pelo técnico que agora está na seleção. Ela entrou no lugar de Adriana para atuar no mesmo lado direito.

O Canadá conseguiu uma chance no final. Em cobrança de falta de Julia Grosso, a defesa brasileira bobeou e a bola sobrou para Vanessa Gilles finalizar e exigir boa defesa de Letícia. Logo depois, em escanteio, o Canadá novamente teve a chance em um bate e rebate dentro da área, mas a bola ficou com a goleira Letícia.

Já nos acréscimos da partida, o Brasil recuperou uma bola na intermediária ofensiva com Antonia, a bola sobrou para Debinha e, de fora da área, atacante chutou, a bola desviou em duas zagueiras, Kadeisha Buchanan e Vanessa Gilles, e desta vez não deu para a goleira Sheridan: 1 a 0 para o Brasil, aos 48 minutos do segundo tempo.

Apesar do gol nos acréscimos, a vitória é absolutamente merecida para o Brasil. Depois de um primeiro tempo bem equilibrado, o Brasil fez um segundo tempo de ótimo nível, criando muitas chances e mereceu o resultado.

Excelentes sinais para o Brasil

É só o primeiro jogo e não dá nem para dizer que o time tem a cara do técnico, mas os sinais foram muito positivos. O Brasil sofreu muito contra o Canadá em anos recentes, com essa mesma base dos dois times. Foi um bom sinal ver o nível de atuação, com um time ofensivo, tentando chegar bastante ao ataque.

Ao final do jogo, Marta, em entrevista ao Sportv, chegou a dizer que definiria esse início de ciclo com alegria, com alegria de jogar. O que vimos foi um time bastante competitivo e que foi melhor que o Canadá ao longo dos 90 minutos, o que, por si, é um bom sinal. O Canadá também não vive a sua melhor fase e, como falamos, não fez uma boa Copa. Mesmo assim, é uma equipe que precisa ser respeitada e o Brasil se mostrou superior.

As mudanças feitas no time para o segundo tempo deixaram uma boa sensação, especialmente com as entradas de Debinha e Bia Zaneratto, duas jogadoras que tiveram boas atuações. Um novo confronto com o próprio Canadá em três dias será interessante para observar um pouco mais desse time.

Canadá e Brasil fazem outro jogo na terça

As duas seleções voltam a se enfrentar em amistoso na próxima terça-feira (31), às 19h30 (horário de Brasília). O jogo será em no Wanderers Ground, em Halifax, Nova Scotia. Assim como o jogo deste sábado, a transmissão da partida será feita pelo Sportv.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo