EuropaLigue 1

Elye Wahi causa expectativas no Lens e caprichou em seu primeiro gol pelo clube

Elye Wahi era pretendido pelo Chelsea, mas preferiu se transferir ao Lens por €30 milhões e anotou um belo gol para inaugurar sua contagem pelo clube

Era natural que o Lens não conseguisse reproduzir nesta temporada o desempenho que teve na Ligue 1 2022/23. O Sang et Or fez uma campanha fantástica, em que se tornou a principal ameaça ao título do Paris Saint-Germain e garantiu uma honrosa volta à Champions League depois de 21 anos. O sucesso, contudo, provocou a saída de protagonistas como Seko Fofana e Loïs Openda. A reconstrução não é tão simples e, mesmo com bons reforços, os aurirrubros passaram as cinco primeiras rodadas sem vencer. A recuperação começou mais recentemente e, nesta sexta, o Lens chegou à segunda vitória. O triunfo por 1 a 0 sobre o Strasbourg teve como grande destaque o belo gol de Elye Wahi, enorme aposta da equipe na última janela de transferências.

O Lens realizou algumas boas contratações, como a compra do promissor volante Andy Diouf e do lateral Ruben Aguilar. Ainda assim, nenhum reforço se equiparava a Elye Wahi. O Sang et Or decidiu reinvestir €30 milhões dos €38,5 milhões recebidos pela venda de Openda. Wahi era pretendido por outros clubes de relevo, como o Chelsea e o West Ham, mas se comprometeu com o Lens por acreditar no projeto e por ganhar uma vitrine na Champions. As expectativas eram naturais com o centroavante de 20 anos, já com um excelente currículo para a idade.

Wahi é cria da base do Montpellier. O centroavante pintou a partir dos 17 anos no time principal e vinha de três temporadas na Ligue 1. Anotou 10 gols pela equipe em 2021/22 e estava entre as grandes revelações do campeonato em 2022/23, com 19 gols e seis assistências. Era fácil justificar o tamanho do investimento do Lens. Além do mais, Wahi também é recorrente nas seleções de base. Passou por diferentes categorias e atualmente integra a equipe sub-21 da França. Como um centroavante de bons recursos técnicos e faro de gol, era pertinente prestar atenção.

Wahi ainda não estava à disposição do Lens nas duas primeiras rodadas da Ligue 1, quando o time perdeu para o Brest e empatou com o Rennes. Sua estreia aconteceu no segundo tempo da derrota para o PSG. E a titularidade não evitou os tropeços contra Monaco e Metz na sequência. Também não seria uma boa estreia na Champions, com o empate por 1 a 1 com o Sevilla. Somente nesta semana é que Wahi passou a apresentar seus predicados à torcida aurirrubra.

A recuperação do Lens

No domingo passado, Wahi ainda não anotou seu primeiro gol, mas foi decisivo na virada por 2 a 1 sobre o Toulouse no Estádio Bollaert-Delelis. Num lance brigado na entrada da área, o atacante acabou fazendo um corta luz para Morgan Guilavogui definir a vitória. Já era um respiro para o Sang et Or, depois de uma sequência tão dura de resultados. E a reação dos aurirrubros na temporada teve sequência nesta sexta-feira, com o triunfo para cima do Strasbourg no Estádio de La Meinau.

Não foi uma partida com muitas chances de gol. Até por isso, Wahi fez tanta diferença para o Lens. Em sua única finalização, o centroavante garantiu o triunfo por 1 a 0. Foi um bonito lance do garoto, após tabelar com Florian Sotoca. O detalhe especial veio pela maneira como limpou a marcação, com um drible de letra. Da entrada da área, mirou o canto e conseguiu vencer o goleiro Matz Sels. O jovem ainda não justifica totalmente o dinheiro gasto pela diretoria, mas dá bons sinais.

O Strasbourg permanece à frente na tabela, em sexto, com dez pontos. A equipe dirigida por Patrick Vieira vinha bem, com o garoto Ângelo Gabriel entre os destaques. Já o Lens deixa a zona de rebaixamento e sobe ao 13° lugar, com sete pontos. Treinado por Franck Haise, o Sang et Or segue com boas alternativas no elenco – Brice Samba, Kevin Danso, Andy Diouf, Florian Sotoca e Angelo Fulgini formam uma ótima base. É verdade que o calendário exigirá bastante, especialmente com a participação paralela na Champions. A decolagem dos aurirrubros dependerá do desabrochar de seus talentos. Por seu potencial, Wahi pode fazer muito mais.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo