EurocopaItália

Sacchi: “Espero que o título da Itália possa se tornar um exemplo para os técnicos italianos”

Histórico técnico italiano, Arrigo Sacchi agradece a Roberto Mancini pelo estilo ofensivo e critica os ingleses por tentarem uma espécie de Catenaccio na final

A final da Euro 2020 teve um time marcando um gol cedo e se defendendo a maior parte do jogo, enquanto outro que buscou o resultado. Curiosamente, quem jogou de modo mais defensivo foi a Inglaterra, quebrando o clichê que os italianos é que jogam sempre na defesa. A Itália foi campeã contra a Inglaterra nos pênaltis e consagrou um time que se tornou notório pelo jogo mais ofensivo. Este foi um dos motivos de crítica de Arrigo Sacchi, ex-treinador e atual comentarista, à seleção inglesa. Além disso, ele também elogiou Roberto Mancini e espera que o estilo de jogo da Azzurra seja uma inspiração no país.

LEIA TAMBÉM: O renascimento da Azzurra: Mancini recuperou o orgulho, redefiniu a identidade e redescobriu a paixão da seleção

“Os ingleses nos copiaram: eles marcaram um gol e então todo mundo ficou atrás defendendo, como aqueles times que ainda são fiéis a [Karl] Rappan, que inventou o Catenaccio no século passado”, escreveu Sacchi na Gazzetta dello Sport. “Talvez Southgate tenha pensado que ele estivesse jogando contra um time italiano que só sabe como defender e contra-atacar”.

Sacchi é um crítico do estilo defensivo. O Milan comandado por ele no final dos anos 1980 e começo dos anos 1990 é um dos maiores times de todos os tempos. Conquistou a Serie A, duas Champions e dois Mundiais de Clubes. Tornou-se em seguida técnico da seleção italiana, que chegou à final da Copa do Mundo de 1994, contra o Brasil. Naquela decisão, acabou perdendo a disputa nos pênaltis, ao contrário do que aconteceu na Euro 2020, quando a Itália venceu os ingleses nas penalidades.

“Começar com um defensor, Kieran Trippier, no lugar de Bukyo Saka já diz muito sobre a tática de Southgate, já que evidentemente ele não sabia muito sobre as ideias do seu colega, Roberto Mancini. Nós tememos que a Inglaterra fosse tentar copiar o desempenho de Áustria e Espanha, baseado em pressão, que causaram problemas à Azzurra”, analisou ainda o técnico.

LEIA MAIS: Southgate construiu as fundações e agora precisa ir além delas para que a Euro 2020 seja um começo e não um fim

Sacchi celebrou a conquista da Itália especialmente pelo estilo de jogo. Ele espera que o título inspire um futebol mais ofensivo. “Obrigado a Mancini, que deu à Nazionale um estilo de futebol ofensivo em um momento difícil para o nosso esporte. Eu espero que a obra-prima da Itália possa criar entusiasmo e se tornar um exemplo para os técnicos italianos renovarem e evoluírem suas ideias”, afirmou o ex-técnico. “Suas habilidades para serem protagonistas no campo, sua colaboração e as ideias de futebol que os orientam e iluminam para aumentar a sua coragem, entendimento e personalidade”, concluiu Sacchi.

A Itália consegue um título que fica marcado na sua história, até pela forma como conquistou, jogando na casa do rival, diante de um estádio cheio. Os italianos tiveram uma boa dose de sofrimento, mas conseguiram impressionar ao longo da Euro. Sacchi espera que o estilo ofensivo inspire outros técnicos italianos, mas a rigor, o que aconteceu, em parte, foi o contrário. Mancini bebeu muito da fonte do Sassuolo, Napoli e da Atalanta, dois times ofensivos e que cederam alguns jogadores à seleção. É muito possível que vejamos mais desse estilo, considerando que há clubes tentando uma abordagem de futebol mais ofensivo nos últimos anos na Itália.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo