Eurocopa

É por você, Eriksen: Dinamarca goleia a Rússia em Copenhague e vai às oitavas

Com uma goleada por 4 a 1, Dinamarca chega a três pontos, consegue a segunda vaga do Grupo B e vai enfrentar Gales nas oitavas de final

A Dinamarca conseguiu uma classificação emocionante para as oitavas de final, mesmo depois de ter perdido os dois primeiros jogos. A goleada por 4 a 1 nesta segunda-feira, em Copenhague, combinada com a derrota da Finlândia para a Bélgica, classificou os escandinavos para as oitavas de final como segundos colocados. Depois de estrear na Euro com uma derrota em um jogo que nem deveria ter acontecido, contra a Finlândia, os dinamarqueses ainda perderam também da Bélgica, em um jogaço. Vencem este último jogo e conseguem a vaga de maneira emocionante para seguir adiante na competição.

Os dois times entraram em campo com a esperança de avançarem, mas a Rússia chegava em posição melhor. Com três pontos, tinham vencido a Finlândia na rodada anterior, os russos sabiam que um empate era praticamente garantia que o time avançaria. Até pela situação do grupo, foi a Dinamarca que tomou a iniciativa da partida, tendo mais a bola e buscando os espaços. Só que diferente do que aconteceu contra a Bélgica, a seleção dinamarquesa não conseguiu se impor.

Havia dificuldade de encontrar espaços em uma defesa com cinco jogadores. Porque embora a formação fosse teoricamente um 3-4-2-1, os russos recuaram os alas para formarem a defesa, o que fechou muito os espaços. Então, a Dinamarca precisava rodar a bola em busca do gol e tentou alguns cruzamentos.

A Rússia chegou com muito perigo aos 17 minutos. Golovin partiu com a bol, em arrancada, foi passando pelos adversários e finalizou já dentro da área, mas acabou chutando fraco, no meio do gol, o que facilitou a vida do bom goleiro Kasper Schmeichel. A Dinamarca chegou bem aos 29 minutos. O meio-campista Pierre-Emile Hojbjerg chutou de longe e levou muito perigo, mas mandou para fora.

Um golaço para abrir o placar

Precisando do gol, os dinamarqueses apertaram um pouco o ritmo depois dos 30 minutos. O time passou a atacar pelos lados do campo, buscando cruzamentos, que a defesa Rússia afastava. As tentativas de entrar na área eram frustradas pela Rússia, que conseguia se segurar. Então, se não dava de fora, a Dinamarca tentou de fora mesmo.

Depois de uma pressão no campo de ataque, Mikkel Damsgaard recebeu perto da meia-lua, dominou e ajeitou rápido o corpo, sem dar tempo da marcação chegar, e chutou de fora da área. Um chute colocado, bonito, no alto e um golaço. O goleiro Matvey Safonov ficou perdido e deu o famoso golpe de vista, só olhando a bola entrar pelo alto: 1 a 0. A torcida vibrou demais no Estádio Parken.

A Rússia tinha dificuldades em acionar o seu centroavante e capitão, Artem Dzyuba. O camisa 22 ficava em meio aos zagueiros dinamarqueses e tentava segurar a bola quando chegava até ele, mas foram poucas as vezes que isso aconteceu.

Rússia erra e Dinamarca amplia

A Dinamarca voltou para o segundo tempo sabendo que precisava de mais gols. Até porque na outra partida do grupo entre Finlândia e Bélgica, o empate por 0 a 0 persistia, o que levava a seleção finlandesa aos quatro pontos e ficando em segundo lugar. Seria preciso ao menos melhorar o saldo para continuar tendo chances.

Sendo assim, a Dinamarca apertou o ritmo para tentar aumentar a contagem em Copenhague. Aos 13 minutos, a Rússia errou feio e deu de graça o gol para os dinamarqueses. O goleiro Safonov saiu jogando com Daler Kuzyaev, que passou para Roman Zobnin, que recuou para o goleiro Safonov. Ou assim ele pretendia, ao menos. Só que o passe foi ruim e, na verdade, só foi para os pés de Yussuf Poulsen. O atacante dinamarquês só teve o trabalho de rolar para o fundo da rede.

A Dinamarca cresceu no jogo. Passou a criar mais chances. Aos 18 minutos, Martin Braithwaite recebeu e tocou para Kasper Dolberg, que quis dominar a bola em vez de bater de primeira e se complicou, perdeu o domínio da bola e a defesa tirou.

Rússia diminui e tensão no Estádio Parken

A torcida chegou a comemorar um gol da Bélgica no outro jogo, mas o tento acabaria anulado pelo VAR por impedimento, o que jogou água no chopp dos escandinanvos. O time ainda estava em terceiro. E as más notícias continuariam.

A Rússia reagiu aos 25 minutos. O árbitro Clement Turpin, da França, marcou pênalti do zagueiro Jannik Vestergaard sobre o atacante Aleksandr Sobolov. Pareceu uma decisão dura do árbitro, já que a falta foi bastante questionável. A Rússia não tinha nada a ver com isso e Dzyuba cobrou no meio do gol e diminuiu: 2 a 1.

Os russos, empolgados, tentaram aproveitar o momento. Foram dois ataques consecutivos que o time rondou a área adversária, causando um certo arrepio nos torcedores presentes ao estádio. A Dinamarca voltaria à carga pouco depois, tentando novamente tomar as rédeas da partida.

Bélgica ajuda e Dinamarca deslancha

Pouco depois, a torcida dinamarquesa comemorou novamente um gol que não aconteceu em Copenhague: a Bélgica marcou o seu gol em São Petersburgo, desta vez sem anulação do VAR, e assim deixou a Finlândia com três pontos. Isso significava empate triplo entre Dinamarca, Finlândia e Rússia, o que era vantagem aos dinamarqueses.

Não demoraria para a seleção dinamarquesa dar motivos para sua torcida comemorar. Em um cruzamento, Martin Braithwaite tocou de cabeça para Safonov fazer a defesa, a bola sobrou para Jens Stryger Larsen que tocou para o meio para Braithwaite finalizar e novamente Safonov defender. Só que a bola sobrou fora da área e o zagueiro Andreas Christensen chegou finalizando com força, no alto, e marcou um golaço: 3 a 1 para os dinamarqueses. Eram 34 minutos do segundo tempo.

A Dinamarca aproveitou o momento e deu alegrias aos torcedores. Um contra-ataque rápido que Hojbjerg acionou Joakim Maehle, que avançou, puxou para o meio e chutou rasante para vencer mais uma vez o goleiro Safonov: 4 a 1 para os dinamarqueses, aos 37 minutos. O jogo estava definido. Na comemoração, Maehle ainda fez o número 10 com as mãos, lembrando de Christian Eriksen, o craque do time, que viveu todo aquele drama no primeiro jogo.

No outro jogo, a Bélgica abriu 2 a 0, graças a um gol de Romelu Lukaku, o que significava que, àquela altura, a Dinamarca estava classificada como segunda colocada no seu grupo. Depois de tudo que aconteceu com a equipe com a situação de Christian Eriksen, haveria motivos para celebrar.

Dinamarca contra Gales

A classificação da Dinamarca às oitavas de final como segunda colocada do Grupo C leva o time a um confronto com Gales nas oitavas de final. O jogo será no próximo sábado, dia 26, em Amsterdã. Um jogo que pode ser bem interessante, já que teremos Gareth Bale do outro lado tentando levar os galeses a mais uma campanha histórica, como foi em 2016, quando o time foi até a semifinal.

A Rússia, por sua vez, está eliminada na fase de grupos como quarto colocado do grupo por conta do saldo de gols. Um resultado bastante decepcionante para um time que foi até as quartas de final da Copa do Mundo em casa, em 2018. A Finlândia, por sua vez, fica com um saldo negativo, -2, o que significa que dificilmente vai classificar. Vai depender de outros resultados, mas fica em situação complicada.

Ficha técnica

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo