Eurocopa

Com o nível de atuação que teve contra a Turquia, Bale pode levar Gales muito mais longe na Euro

Capitão, ídolo e craque de Gales, Bale fez tudo: criou chances, deu muitos passes decisivos e até perdeu pênalti, mas ainda deu uma vitória que poderia ser mais confortável

Gareth Bale é um jogador bastante peculiar. O capitão da seleção de Gales vem de anos de baixa no Real Madrid, mas conseguiu se recuperar na última temporada, emprestado ao Tottenham. Na Eurocopa, se esperava que ele fosse o jogador que carregasse Gales a mais uma campanha de glória, como foi em 2016. Na primeira rodada, em um empate sem graça com a Suíça, ele não conseguiu. Contra a Turquia, nesta segunda rodada, Bale brilhou. Foi decisivo, deixou os companheiros na cara do gol várias vezes, deu passes para os dois gols e até perdeu um pênalti. Foi o nome da vitória por 2 a 0 dos galeses, que dá uma ótima chance de classificação ao time.

Os gols não foram dele, mas em ambos ele deu o passe decisivo. Só no primeiro tempo, Bale deixou Aaron Ramsey na cara do gol três vezes. Foram duas chances claras que o camisa 10 teve, frente a frente com o goleiro, uma com pouco ângulo, outra de frente, livre. O jogador da Juventus errou ambas. Na terceira, com um novo passe de Bale por cima sobre uma surpreendentemente frágil defesa turca. Desta vez, Ramsey marcou. Os galeses poderiam ter saído do primeiro tempo com a vitória praticamente encaminhada. Mas não foi assim.

O pênalti sofrido por ele aos 15 minutos do segundo tempo, ou você poderia dizer cavado por ele, acabou desperdiçado. Bale chutou por cima a chance de marcar. Isso, porém, não tirou o seu brilho. Ele continuou sendo o jogador que criava jogadas, levava perigo e fazia com que Gales fosse amplamente superior aos turcos.

Foram cinco passes-chave de Bale, que criaram chances de gol. Gales poderia ter vencido a partida com muito mais tranquilidade se os seus companheiros aproveitassem melhor as oportunidades que o camisa 11 conseguiu criar. A vitória por 2 a 0 parece até pouco diante de tantas chances criadas.

Com o futebol que jogou, Bale facilmente está entre os destaques de um grande clube europeu, como brilhou pelo Tottenham. O clima no Real Madrid não permite que ele permaneça em Madri, então é provável que ele tenha que procurar um novo destino depois da Euro. Com esse futebol interessados aparecerão e serão times importantes. Isso, claro, se ele não decidir se aposentar, como se especula.

Seria bom poder ver mais desse Gareth Bale que esteve em campo em Baku. Esse Bale, com 31 anos, tem muita lenha para queimar. Se ele jogar sempre assim, a chance de voltar a figurar entre os melhores será enorme. Com aquele Bale da primeira rodada, seria mais difícil imaginar Gales indo longe. Com esse Bale em campo, Gales se torna um time perigoso para qualquer adversário. Dá até para sonhar com uma improvável, mas possível, ida até as semifinais.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo