Champions League

A crise entre Mbappé e Luis Enrique não ajuda em nada o PSG às vésperas de uma decisão na Champions

Com Luis Enrique e Mbappé sem sintonia, o PSG tem motivos de sobra para se preocupar com a volta das oitavas de final da Champions League

Nesta terça-feira (5), às 17h (horário de Brasília), o PSG enfrenta a Real Sociedad, na Reale Arena, pelo jogo de volta das oitavas de final da Champions League. Apesar de ter vencido a partida de ida por 2 x 0, os Parisienses têm motivos de sobra para se preocupar. Isso porque a crise entre Kylian Mbappé e Luis Enrique não ajuda em nada às vésperas de uma decisão na temporada.

Mesmo sendo a estrela, referência técnica e capitão do Paris Saint-Germain, o atacante tem sido substituído bem antes do apito final nos últimos jogos. O estopim foi quando o técnico espanhol sacou o camisa 7 dos Parisienses ainda no intervalo do empate com o Monaco por 0 x 0, na última sexta-feira (1), fora de casa, pela 24ª rodada da Ligue 1.

Decisão no mínimo curiosa, já que Mbappé é o artilheiro do PSG em 2023/24. Outro detalhe dessa história – que já não pode ser encarado como coincidência – é que Luis Enrique mudou seu comportamento em relação ao astro francês após a informação da saída do atacante vazar na imprensa. A tendência é que o camisa 7 dos Parisienses feche com o Real Madrid para 2024/25.

Só que, até lá, o Paris Saint-Germain tem uma temporada em curso em que briga por todos os títulos que disputa. Obviamente, o mais importante deles é a Liga dos Campeões, cujo sonho pode virar pesadelo em caso de eliminação diante dos Txuri-urdin. E como os Parisienses estão lidando com o atrito entre o craque o comandante? Os bastidores estão quentes? Isso é o que a Trivela vai te responder.

As diferenças de Mbappé e Luis Enrique no PSG

Segundo o jornal francês L'Equipe, tudo começou no dia 15 de fevereiro. Naquele dia, Kylian Mbappé comunicou a todos no PSG que não iria renovar seu contrato para se tornar um agente livre no término da temporada. A ocasião também marcou a última conversa direta entre o atacante e Luis Enrique. Ou seja, de lá para cá, o camisa 7 não vinha tendo um contato direto com o treinador.

E isso é mais por culpa do espanhol. Dois dias depois, Mbappé começou no banco de reservas contra o Nantes e entrou em campo no decorrer do jogo. Já no dia 25, o atacante foi substituído por Luis Enrique aos 20 minutos do 2º tempo contra o Rennes. Por último, o camisa 7 do Paris Saint-Germain não jogou mais do que 45 minutos contra o Monaco. Tudo isso levantou dúvidas na cabeça do astro francês em relação ao treinador.

Em coletiva de imprensa, Luis Enrique chegou a justificar sua decisão como uma tentativa de “construir o futuro” dos Parisienses sem Kylian Mbappé. Além disso, a comissão técnica entende que o atacante está menos envolvido com o restante do grupo e menos focado no PSG desde o anúncio (não oficial) de sua saída. As más atuações também podem ser justificadas pela pancada que ele sofreu no tornozelo no início de fevereiro.

Ao ser sacado ainda no intervalo contra o Monaco, Kylian Mbappé não ficou no banco com seus companheiros, mas sim se dirigiu às arquibancadas para assistir ao restante do jogo ao lado de sua mãe. A atitude do atacante pode ser vista como uma falta de respeito. Por isso, a pergunta que não quer calar é: Luis Enrique vai continuar tratando sua estrela dessa maneira na partida contra a Real Sociedad pela Champions League?

Provavelmente não

Vale ressaltar que, em meio a esse cenário, Mbappé tem procurado evitar declarações polêmicas contra o técnico do PSG, argumentando que respeita a decisão do espanhol. No sábado (2), um dia depois do ocorrido na Ligue 1, o técnico se sentou para conversar com o atacante, tentando acabar com qualquer tipo de desconforto antes da decisão valendo vaga nas quartas de final da Liga dos Campeões.

Ou seja, se Kylian Mbappé jogar bem contra os Txuri-urdin, não deve ser substituído. Caso contrário, Luis Enrique não quer dar privilégios ao camisa 7 e pode tirá-lo da partida antes do apito final. Essa é uma forma do treinador dizer aos demais jogadores que confia neles para o projeto do Paris Saint-Germain. Gonçalo Ramos e Kolo Mouani são os reservas imediatos do craque francês.

Mbappé chegou a confessar no vestiário que o imbróglio com Luis Enrique está o incomodando, mas não deseja estragar o clima nos bastidores para o jogo contra a Real Sociedad. Dentro de campo, é praticamente impossível o atacante causar problemas para o PSG, já que ele quer se despedir em paz com a torcida – e, quem sabe, com o título inédito da Champions League. A ver como o camisa 7 e o técnico espanhol vão se comportar amanhã (5).

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo