La Liga

Suárez: “Teria ficado no Barcelona. Baixaria meu salário se tivessem me pedido”

Saída conturbada do Barcelona deixou mágoas em Suárez, que criticou a forma como aconteceu, mas ainda mostrou carinho pelo clube

O atacante Luis Suárez vive um bom momento na sua carreira. Aos 34 anos, joga pelo Atlético de Madrid, onde foi campeão espanhol em sua primeira temporada, 2020/21. Nesta, em 2021/22, o clube é o principal candidato ao título de La Liga. Apesar disso, a forma como saiu do Barcelona deixou feridas abertas. Em entrevista a Gerard Romero, na Twitch, o atacante comentou sobre o que magoou na sua saída do clube catalão.

O Barcelona vive uma reformulação do seu elenco e Luis Suárez foi um dos primeiros a ser negociado para aliviar a folha salarial, ainda em 2020. Lionel Messi saiu no ano seguinte, assim como Antoine Griezmann, que voltou ao Atlético de Madrid e agora é companheiro de Suárez. “Posso te dizer que teria ficado no Barcelona. Para ajudar, baixaria meu salário se tivessem me pedido”, afirmou o atacante uruguaio.

Suárez voltou a criticar Ronald Koeman, técnico que assumiu o posto e acabou o dispensando. O jogador foi dispensado pelo telefone, o que, evidentemente, gerou uma mágoa. Logo que foi campeão, o jogador desabafou dizendo que tinha sido menosprezado.

Com Koeman balançando no cargo, Suárez foi perguntado sobre um gol seu derrubá-lo. “É o destino”, ele disse. Na comemoração, ele fez o gesto de um telefone, o que foi interpretado como uma provocação a Koeman por tê-lo dispensado desta forma, mas ele disse que não foi isso. Na entrevista, ele contou como foi a conversa entre ele e o técnico holandês.

“Durou 40 segundos. Não é a forma de se despedir de uma lenda. Primeiro me disse que não estava nos seus planos e logo me disse que se não resolvesse o meu contrato, iria jogar contra o Villarreal. Houve coisas que não foram concretas. Faltou personalidade para me dizer as coisas claras, se ele não me queria ou se era o clube que não me queria”, disse.

“Foram dias muito difíceis por tudo que deu ao clube. Falei com Sofía e Leo depois do telefone. Foi um ano complicado para todos. Messi pediu para sair e me largaram. As duas famílias passaram muito mal. Eu voltei para casa muito mal depois de treinar”, contou. “Sempre serei agradecido ao Barcelona por confiar em mim nas circunstâncias de 2014. A única coisa que me queixei foi de como comunicaram que não contavam comigo”.

Chutado do Barcelona, Luis Suárez acertou com o Atlético de Madrid, onde foi crucial para a conquista do título espanhol. Novamente tem sido importante na campanha de 2021/22, na qual os Colchoneros talvez sejam os principais candidatos ao título, em um trabalho mais longo do técnico e um elenco que se mexeu pouco. O Barcelona foi adversário no dia 2 de outubro e, jogando no Wanda Metropolitano, o time de Suárez venceu por 2 a 0 com um gol e uma assistência de Suárez.

“Vi um Barcelona animicamente mal. As imagens falam por si só. Me doeu, mas dentro de campo são meus rivais. O estado anímico ajuda sempre o rival”, comentou o atacante sobre o jogo. Ele ainda falou diretamente aos torcedores do clube catalão. “Gostaria que os culés tivessem paciência com a mudança que estão vivendo. Com o tempo, vão poder trazer novos jogadores, segue sendo uma das maiores equipes”.

Na temporada passada, o Atlético de Suárez superou o Barcelona de Messi. Já em termos de seleções, a Argentina de Messi atropelou o Uruguai de Suárez nesta data Fifa. É conhecido que Suárez e Messi são amigos próximos e Gerard Romero perguntou se eles voltariam a jogar juntos.  “Se voltarei a jogar com Leo? Nunca se sabe. Se dentro de um ano, dois ou três quiser ir a uma equipe e Leo aparece ali, poderia ser”, respondeu o uruguaio.

O jogador ainda comentou também sobre como a mudança do Barcelona para o Atlético afetou a sua família. “Meu filho, apesar de ser torcedor do Barcelona, estava contente com a vitória [sobre o Barcelona], porque sabe que o papai trabalho no Atleti e que me entrego ao máximo a ele”.

Suárez foi perguntado sobre Antoine Griezmann e disse que falou com o atacante antes da negociação ser confirmada. “Três dias antes de Griezmann ser contratado, intuí que ele seria vendido. Falamos depois do jogo contra o Villarreal. Pensei que o Atleti esperaria até o final para contratá-lo. Sempre tive uma boa relação com ele no Barcelona. Nunca tivemos nenhum problema. Comemos churrasco juntos, temos uma relação muito boa”, contou.

O centroavante ainda comentou sobre o futuro do Barcelona, em que Xavi Hernández é especulado como possível futuro técnico. “Se Xavi assumir o clube agora, sem um projeto claro devido aos problemas econômicos, ele pode colocar em risco o seu legado. Se ele vier, teriam que oferecer um projeto sem dificuldades econômicas. Ele também tem a desvantagem de ter amigos no vestiário. Mas ele é realmente a pessoa mais adequada. Ele sabe tudo que deve ser feito para ter sucesso no clube, mas deve escolher o momento, precisa ter a paciência dos torcedores. Capaz que ele queira um nove com experiência”, brincou.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo