La Liga

Campeão pelo Atlético, Luis Suárez desabafou: “Me menosprezaram”

Com 21 gols, Luis Suárez foi um jogador-chave para a conquista do 11º Campeonato Espanhol do Atlético de Madrid, depois de ser dispensado pelo Barcelona

Luis Suárez foi um dos escolhidos para deixar o Barcelona em um processo de reformulação do clube catalão para a atual temporada. Aos 33 anos, ele foi contratado pelo Atlético de Madrid, que abriu suas portas para o uruguaio. A forma como deixou o Barcelona ficou como uma mágoa, um tratamento que o seu amigo, Lionel Messi, também não gostou. Nos Colchoneros, Suárez mostrou ainda o que pode fazer. Seus 21 gols marcados foram fundamentais para a conquista do 11º título espanhol de La Liga. O mais importante desses gols foi neste sábado, o gol da vitória sobre o Valladolid, que garantiu a taça.

A saída do Barcelona foi complicada. Suárez foi um dos escolhidos para deixar o elenco depois da humilhante derrota por 8 a 2 para o Bayern de Munique, pela Champions. Em meio às especulações da sua saída, o próprio atacante se incomodou e se colocou à disposição, se fosse o caso, para sair. “Se pensarem que sou dispensável, não tenho problema em conversar”, disse em agosto.

Seu destino parecia ser a Itália. Suárez aceitou uma proposta da Juventus para defender a campeã italiana. Dependia apenas do jogador conseguir a nacionalidade italiana, que a sua esposa já tinha. Surgiu, então, uma denúncia de fraude no exame de cidadania que lhe daria o passaporte italiano. A transferência caiu por terra.

Foi quando surgiu o Atlético de Madrid. Sem Suárez, a Juventus procurou Álvaro Morata, que era do Atlético. Fechou a contratação e abriu espaço para que os Colchoneros trouxessem outro camisa 9. Suárez chegou para ser o centroavante que Diego Simeone queria. Mas a mágoa pela forma como foi tratado pelo Barcelona foi pesada. “Saio orgulhoso de entrar na história do clube”, disse o uruguaio em uma entrevista constrangedora que o Barcelona armou, com o presidente ao lado.

Lionel Messi não gostou da forma como o amigo e companheiro de clube foi tratado. “Você merecia uma despedida condizente com quem você é”, disse o craque dos blaugranas. Não foi pouco o que Suárez fez pelo Barcelona. Foram 198 gols, muitos títulos, entre eles a Champions League de 2014/15 no histórico ataque com Messi e Neymar. O tempo passou e a derrota para o Bayern deixou uma sensação de fim de ciclo para muitos daquele elenco. Só que Suárez foi o escolhido para deixar a equipe, ao menos entre os mais importantes do elenco. E deixou o clube de uma maneira que deixou rusgas.

“Obviamente, não recebi muito bem a mensagem do clube de que eles estavam procurando uma solução para que eu mudasse de ares por causa da maneira como eles fizeram, nada mais. É preciso aceitar quando um ciclo chega ao fim”, contou Suárez.

A estreia pelo Atlético veio em setembro. Com gol, claro. “Uma das minhas motivações foi poder mostrar que ainda podiam contar comigo. É uma questão de amor próprio. Depois de todos esses anos no Barça, eu queria demonstrar que ainda posso ser útil no mais alto nível, no elite do futebol espanhol”, explicou o atacante uruguaio.

“Estando no Atlético, você está na elite do futebol. Algumas pessoas não acreditavam que eu ainda poderia estar neste nível. Eu ainda tenho o mesmo entusiasmo. Espero que este ano, no próximo, por quantos anos forem, eu continue competindo e dando meu melhor até perceber que fui o mais longe que poderia. Mas ninguém se livrará de mim. Eu decido quando terminei”, bradou Suárez, ainda em setembro.

Por tudo isso, a conquista do título foi muito especial para o jogador. Suárez superou as desconfianças, mas não esqueceu a forma como foi tratado e nem o sentimento que o deixaram. Logo depois da vitória sobre o Valladolid, em que mais uma vez foi fundamental, Suárez deu entrevista, ainda à beira do gramado, emocionado.

Quando perguntado sobre a sensação que passava pela cabeça, Luis Suárez desabafou. “Muitas coisas. A situação que tive que viver. Começar a temporada da forma como me menosprezaram. O Atleti me abriu as portas para que pudesse demonstrar que estou vigente e por isso vou sempre ser agradecido por terem confiado em mim. Muita gente que estava comigo, minha mulher, meus filhos no meu dia a dia. São muitos anos no futebol. É o ano que mais sofremos por tudo”, declarou o jogador.

“O trabalho de um é ajudar a equipe e sendo atacante tenho que cumprir também com gols. A contundência necessária e foi uma demonstração a mais que o Atlético fez um grande ano, apesar do que tivemos de dificuldades. Demonstramos ser a melhor equipe, a mais regular”, afirmou ainda Suárez. “É especial. Por tudo que sofri. Aqui estão minhas estatísticas”.

Suárez foi perguntado também se acharam que o título seria perdido, depois de um excelente início de temporada e uma queda no segundo turno, que permitiu a aproximação de Real Madrid e Barcelona. “Não era o normal o primeiro turno que fizemos, e no segundo não tivemos a eficácia que vínhamos tendo. A equipe estava preparada para sofrer e sofrendo somos campeões”, respondeu o uruguaio.

Suárez tem contrato com o Atleti por mais uma temporada, até junho de 2022. Pelo que vimos neste ano, Suárez tem muito o que entregar a Diego Simeone e aos Colchoneros. Certamente ele espera que os torcedores possam voltar para sentir o calor da massa rojiblanca, que ele não teve ainda a oportunidade. Suárez sabe que escreveu um capítulo que o eternizou na história do clube de Madri, como já fizera no Barcelona.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo