Espanha

Suárez comemora a volta à boa fase: “Ninguém se livrará de mim. Eu decido quando terminei”

Poucos acreditavam, ele parecia próximo da aposentadoria, mas Luis Suárez, 34 anos, deu a volta por cima e lidera a tabela de artilharia com gols essenciais à campanha fantástica do Atlético de Madrid, caminhando para conquistar o título do Campeonato Espanhol. Ao mesmo tempo em que mandou um recadinho aos infiéis, o uruguaio admitiu que também está um pouco surpreso pelo nível que alcançou no Wanda Metropolitano, mas que essa reviravolta tem tudo a ver com a sua personalidade teimosa.

Após uma temporada muito fraca, Suárez foi praticamente dispensado pelo Barcelona. No último instante, o então presidente blaugrana Josep Bartomeu exigiu alguma compensação porque não queria liberá-lo de graça para um rival. A primeira metade da temporada mostrou que ele deveria ter pedido muito mais do que € 6 milhões de euros: 21 gols em 36 partidas por todas as competições.

“Eu ainda sinto que estou aproveitando o momento em que estou, na elite do futebol”, disse Suárez, à ESPN. “Estando no Atlético, você está na elite do futebol. Algumas pessoas não acreditavam que eu ainda poderia estar neste nível. Eu ainda tenho o mesmo entusiasmo. Espero que este ano, no próximo, por quantos anos forem, eu continue competindo e dando meu melhor até perceber que fui o mais longe que poderia. Mas ninguém se livrará de mim. Eu decido quando terminei”.

Suárez ainda se lembra dos ensinamentos do seu antigo treinador do Nacional. “Eu era criticado quando tinha 18 anos e ele dizia: ‘Não foque nos gols que um garoto de 18 anos está perdendo, se ele está perdendo sete ou oito. Foque no fato de que ele está tentando uma terceira vez, uma quarta vez. É isso que o fará chegar longe’. Essas palavras ficaram comigo e eu sou assim”, afirmou.

O próprio Suárez admitiu que não esperava estar no momento em que está com o Atlético de Madrid e deu muitos créditos ao seu novo treinador. “Cada treinador tem seu jeito de ser, sua filosofia de futebol. Simeone é um treinador que dá muita confiança aos jogadores, ele faz com que você dê mais do que pensava que poderia. Na preparação para os jogos, ele corrige muitas coisas. Até comigo, na minha idade, ele ainda me corrige e eu certo sem problemas porque ele é o treinador por um motivo. Na minha idade, você pode pensar que sabe tudo, que você fez tudo, mas há detalhes táticos que você precisa aprender. É para isso que existe o técnico”.

Suárez disse que uruguaios e argentinos têm uma maneira muito intensa e parecida de viver as partidas. “O que muda é que às vezes você tem um treinador que explica uma situação e diz: ‘se você correr entre esses dois defensores, você pode ter uma chance de marcar’. Um treinador pode falar com você assim. Mas outro treinador dirá: ‘se você correr entre esses dois treinadores, você marcará, e depois marcará mais dois ou três’. São os treinadores que o motivam, que o empolgam, são as mensagens que ficam com você e isso ajuda muito”, encerrou.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo