La Liga

Suárez: “O gesto do telefone era para as pessoas que sabem que tenho o mesmo número, não para Koeman”

Após a vitória sobre o Barcelona, Luis Suárez explicou suas comemorações e, sem convencer, negou ter provocado Koeman

Luis Suárez desequilibrou o Atlético de Madrid 2×0 Barcelona neste sábado, no Wanda Metropolitano, com um gol e uma assistência. E a comemoração de seu tento se dividiu em várias partes. Primeiro, o atacante juntou as mãos como um pedido de perdão. Depois, fez o tradicional gesto do Pistoleiro, beijando os dedos em referência aos três filhos. Por último, fingiu falar num telefone. Para muita gente, parecia uma provocação a Ronald Koeman, que comandava das arquibancadas por estar suspenso e foi um dos responsáveis pela dispensa do uruguaio do Barcelona. O veterano garantiu que não era uma afronta – o que não convenceu muito.

“O gesto era para as pessoas que sabem que tenho o mesmo número e que sigo usando o telefone. Não era para Koeman, de forma alguma. Se quiserem levar isso a sério… Tinha falado com meus filhos em tom de brincadeira que faria isso”, comentou Suárez, explicando também o pedido de perdão. “Eu sabia que, se marcasse contra eles, pediria perdão. Foi pelo respeito, pelo carinho, por ser um culé a mais, pela trajetória que tive no Barcelona, pelo momento que estão passando os companheiros e os torcedores. Por respeito”.

“Estou contente pela vitória da equipe, que é o que queremos. O rival era especial pelos momentos que vivi lá, mas meu trabalho é me dedicar 100% ao Atlético e hoje fizemos todo o possível para levar os três pontos. Os torcedores sofreram na temporada passada por não poderem desfrutar no estádio o título de La Liga. Sei o carinho que as pessoas têm por mim, trabalho duro e forte para manter o Atlético no alto”, complementou.

Suárez também exaltou a partida de Thomas Lemar e João Félix, igualmente importantes nos lances dos gols: “Quando o time tem jogadores de qualidade que fazem a diferença, você se sente mais cômodo. Ángel Correa e Antoine Griezmann também fazem isso quando jogam. É difícil ao treinador decidir quem vai jogar”.

Este foi o segundo confronto de Suárez com o Barcelona desde sua saída do clube. Ausente no primeiro turno de La Liga 2020/21, o Pistoleiro passou em branco no 0 a 0 da reta final da campanha passada, que não impediu os colchoneros de se sagrarem campeões. Já neste sábado, o craque foi à forra no Wanda Metropolitano. E talvez tenha dado sua contribuição para a demissão de Koeman, balançando no cargo durante as últimas semanas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo