Espanha

João Félix é um flop? Ele começou bem no Barcelona, mas já caiu de novo e deixa muitas dúvidas

João Félix até empolgou no início, mas velhos problemas voltaram a aparecer pelo Barcelona

A ida de João Félix ao Barcelona parecia o movimento perfeito para o jogador, que já tinha falado no sonho de vestir a camisa azul-grená enquanto ainda estava no Atletico de Madrid. Contratado por empréstimo no último dia da janela de transferências, começou com tudo, “deu match”. O Barça, um time mais propositivo que o rival da capital, dava mais oportunidades para que o português tocasse na bola, participasse do jogo, marcasse gols ou distribuísse assistências (a Trivela analisou o bom início de temporada do atacante).

– Certamente [prefiro jogar] neste estilo [de jogo do Barcelona], eu e todos os jogadores. Se você perguntar a todos os jogadores, se perguntar também aos jogadores do Atlético [de Madrid], eles certamente prefeririam jogar mais tempo no ataque. Se não responderem, estão mentindo. Claro que todos os jogadores querem atacar, ter a bola e marcar gols – provocou Félix, em dezembro do ano passado, à ESPN.

No entanto, o início bombástico se transformou em decepção. Antes, falava-se em plano do Barcelona para comprá-lo em definitivo, agora há dúvidas se realmente vale seguir. O atacante voltou a mostrar velhos problemas: a falta de intensidade e concentração, além de pouca dedicação na marcação, que também o atrapalharam nos Colchoneros.

Não é porque o time catalão fique mais de 60% do tempo com a bola que quer dizer se abster de marcar. Muito pelo contrário, pois um dos princípios dos Culés, além da posse, é a intensidade para recuperá-la o mais rápido possível – o que João Félix não tem feito. Um exemplo disso aconteceu na trágica derrota de 4 a 2 para o Girona, em dezembro, na qual o português não mostrou nenhuma vontade para marcar o brasileiro Yan Couto no início da jogada do primeiro gol dos Blanquivermells.

Ele não inicia um jogo como titular em La Liga desde 20 de dezembro, quando foi substituído no intervalo no jogo com o Almería, e passou a ser um reserva, escalado apenas em partidas menos importantes da Copa do Rei contra adversários quase amadores.

Saindo do banco, João Félix deu mostra nas últimas partidas de sua qualidade. Na semifinal da Supercopa da Espanha fez uma jogada espetacular, com direito a caneta, e deu uma bela assistência para Lamine Yamal. Frente ao Betis, marcou um golaço que tirou o empate do placar. Frente ao Athletic Bilbao na última quarta-feira (24), no entanto, entrou sem ajudar muito o Barcelona, que terminou eliminado da Copa do Rei.

Ninguém dúvida do talento do português e algumas atuações na temporada mostram como é um jogador diferente. Mas precisa de regularidade, se mostrar motivado e ligado em todas as partidas, o que não vemos ainda.

Vai ficar? Empresário confirma interesse do Barça em manter João Félix

Em meio ao mau momento, o empresário de Félix decidiu garantir sua permanência na Catalunha. Em entrevista ao jornal português Record na última semana, Jorge Mendes disse que o clube planeja contratar tanto o atacante quanto João Cancelo, outro português, emprestado pelo Manchester City.

– Posso dizer que o Barcelona está planejando contratar João Cancelo e João Félix em caráter permanente. Eles querem que os dois jogadores fiquem além deste verão [janela de transferências após o fim da temporada]. João Félix teve um desempenho muito bom. As pessoas no clube estão muito felizes com ele e não há dúvida de que ele é um jogador de futebol maravilhoso – disse o agente.

O Barcelona tem uma relação forte com Mendes, especialmente o presidente Juan Laporta e o diretor de futebol Deco. Seria, no mínimo, contestável um clube desse tamanho, com dívidas e sofrendo para inscrever atletas pelas regras de fair play de La Liga, contratar João Félix por uns bons milhões de euros (Atleti investiu 127 e quer recuperar parte disso) apenas pela influência de Mendes – não que isso não tenha acontecido antes.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo