Copa do Mundo

Seleção Brasileira: Diniz vive dilema entre a ousadia e a segurança para definir lateral direita contra o Uruguai

Yan Couto e Emerson Royal disputam a titularidade da posição na Seleção para o clássico contra o Uruguai

Yan Couto fez sua primeira partida com a camisa da Seleção no empate em 1 a 1 com a Venezuela, na última quinta-feira (12), na Arena Pantanal, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2026. Uma estreia que, mais do que nunca, é obra do destino. O lateral-direito só foi convocado após o corte de Vanderson devido a uma lesão no joelho. E ele nem era a primeira alternativa – Dodô, da Fiorentina, também estava lesionado. Depois, ele só entrou em campo devido a mais uma lesão, dessa vez de Danilo, no posterior da coxa esquerda.

O jovem de 21 anos parecia, de fato, destinado a atuar pelo Brasil. Dito tudo isso, é de se esperar que ele seja o titular pela primeira vez no duelo com o Uruguai, na próxima terça-feira (17), às 21h (horário de Brasília), no Estádio Centenário, em Montevidéu. Mas não é bem assim.

Emerson Royal foi convocado por Fernando Diniz para se apresentar à Seleção já na capital uruguaia. O lateral chega para substituir Danilo, cortado, na relação. E para transformar a lateral direita em um dilema para o treinador entre a ousadia de um garoto que acabou de estrear e a segurança de um lateral que é mais “zagueiro” e tem vasta experiência na Europa, além de mais minutos com a camisa do Brasil.

Yan é aposta ousada

Aos 21 anos, Yan Couto chegou à Seleção com cabelos pintados de rosa. Personalidade para conviver entre nomes consagrados como Neymar, Casemiro e Marquinhos. Personalidade também para entrar no lugar de outro experiente, Danilo, e não sentir o peso de estrear pela Seleção. O garoto foi chamado por Diniz no final do primeiro tempo do empate contra a Venezuela e deu conta do recado.

Pela direita, teve atuação segura para conter as investidas de Soteldo, jogador mais perigoso da seleção venezuelana. E ainda contribuiu com o ataque. Ele só não deu uma assistência na medida para Neymar marcar, porque foi o craque que errou na hora de finalizar – o chute saiu por cima, sem direção.


Quem viu os cabelos rosa do garoto em campo pode até ter se surpreendido. Mas Yan chama atenção por seu talento desde muito cedo. O lateral deu a assistência para o gol do título do Brasil no Mundial sub-17, em 2019. Suficiente para atrair os olhares de dois gigantes: Barcelona e Manchester City disputaram a contratação do garoto. Ele parecia destinado a assinar com o Barça… Até um certo Pep Guardiola aparecer na jogada.

Couto fechou com o Grupo City antes mesmo de estrear como profissional pelo Coritiba. Na Europa, ele rodou passou pelo Braga, de Portugal, antes de se firmar no Girona – que pertence ao mesmo conglomerado do City. Esta é a primeira temporada do garoto como titular absoluto da equipe, atual vice-líder da La Liga na Espanha. São sete jogos, com um gol e duas assistências até agora.

Royal pode dar mais segurança à defesa

A opção por Yan Couto é ousada também por suas características mais ofensivas. Por isso, Diniz pode optar por Royal para ter um sistema defensivo mais sólido e com mais força física. O lateral é zagueiro de origem e tem mais lastro de minutos pela Seleção, apesar de hoje não ser titular no Tottenham, atual líder do Campeonato Inglês. Por outro lado, ele ainda não fez um treino sequer com o treinador e precisará de um “intensivo” para assimilar as ideias do Dinizismo.

Além da experiência, um motivo para Emerson “furar a fila” e ser titular é o retrospecto defensivo da Seleção após a saída de Tite. O Brasil sofreu nove gols em seis jogos desde então. Com Diniz, a equipe foi vazada nas duas partidas em casa pelas Eliminatórias – Bolívia e Venezuela. O próprio treinador admite que espera que o Uruguai tenha uma postura mais agressiva por atuar em casa.

– Não dá para fazer uma previsão. Temos que estar preparados para todos os cenários. A tendência é de que eles tentem propor mais o jogo. A gente não sabe o que vai acontecer ao certo. Temos que estar preparados – disse Diniz, após o empate com a Venezuela.

Emerson Royal, Gabriel Jesus e Richarlison em lance da partida entre Arsenal x Tottenham válida pela nona rodada da Premier League 2022/23. Foto: Icon Sport.

Diniz convocou oito laterais para esta Data Fifa

Emerson Royal é nada menos do que o oitavo lateral convocado por Fernando Diniz nesta Data Fifa. O treinador perdeu todos os outros atletas da posição – seja na direita ou na esquerda – que ele chamou na primeira lista para os jogos contra Venezuela e Uruguai.

O primeiro a ser cortado foi Caio Henrique. O lateral-esquerdo do Monaco sofreu uma lesão no joelho esquerdo e deu lugar a Guilherme Arana, do Atlético-MG. Depois, os cortes vieram no plural. O técnico perdeu Vanderson, também do Monaco, e Renan Lodi, do Olympique de Marseille, novamente por problemas de joelho. Yan Couto, do Girona, e Carlos Augusto, da Inter de Milão foram convocados.

A Seleção se apresentou em Cuiabá com Danilo como único remanescente… Mas durou pouco. O lateral sentiu uma fisgada no posterior da coxa esquerda ainda durante o primeiro tempo do jogo contra a Venezuela. Foi substituído por Yan Couto, estreante da noite na Arena Pantanal.

Seleção é vice-líder e se prepara para clássico

A Seleção perde a liderança das Eliminatórias para a Argentina, única equipe com 100% de aproveitamento até agora. O Brasil agora é vice-líder, com sete pontos. A equipe agora tem pela frente um clássico do continente. Será contra o Uruguai, no Estádio Centenário, em Montevidéu, na próxima terça-feira (17), às 21h (horário de Brasília), pela quarta rodada.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo