Brasil

O ano do Grêmio foi ótimo, mas há um grande porém: sua defesa frouxa

Mesmo vice-campeão brasileiro, Grêmio sofreu muito com sua defesa em 2023, sendo o quarto time mais vazado do Brasileirão

Apesar dos bons resultados em 2023, com a conquista do hexacampeonato gaúcho e as campanhas de semifinal da Copa do Brasil e do vice-campeonato Brasileiro, o Grêmio teve uma grande preocupação na temporada que passou: seu sistema defensivo. Principalmente no Brasileirão, em que sofreu 56 gols nos 38 jogos, sendo a quarta equipe mais vazada da competição.

Alguns motivos levaram a isso, especialmente coletivos. Em algumas partidas, o Grêmio foi um time descompactado, com muito espaço entre os setores. O técnico Renato Portaluppi, porém, atribuiu diversas vezes os problemas defensivos à vocação ofensiva de seu time, que teve o segundo melhor ataque do campeonato, com 63 gols feitos.

— Alguém consegue observar de que maneira a gente joga? O quanto é ofensivo o time do Grêmio? Muitos jogadores não têm aquela característica de marcação. Como eu gosto da bola, de jogar para frente, de buscar o gol, é um risco que a gente corre. Para mim é muito fácil tirar dois atacantes, colocar mais dois jogadores de marcação no meio de campo, e nós vamos ter intensidade. Mas como eu gosto de jogar para frente… se vocês contarem nos dedos vão encontrar duas equipes, e olhe lá, que joguem tão ofensivamente como meu time. Então, no momento que você joga para dentro do adversário, em busca do gol, é lógico que você vai deixar espaços, porque tem um time bastante ofensivo — afirmou Renato após empate com o Fortaleza, no dia 30 de setembro.

Renato alternou esquemas táticos, com dois ou três zagueiros, e dois ou três volantes, mas o problema persistiu. Peças também foram trocadas, e a Trivela também analisa individualmente como foram os jogadores de defesa do Grêmio em 2023.

Como foram os goleiros do Grêmio em 2023?

Os goleiros do Tricolor Gaúcho deram o que falar em 2023. O ano começou com Brenno como titular, posto que foi tomado por Adriel na reta final do Campeonato Gaúcho. O jovem goleiro se destacou na conquista do hexacampeonato estadual, inclusive pegando pênalti. Porém, se envolveu em polêmicas por conta da troca de empresário para Pablo Bueno, o mesmo de Ferreira, e casos de indisciplina. Perdeu a titularidade e, posteriormente, foi emprestado para o Bahia.

A partir disso, Renato fixou Gabriel Grando como titular. Por mais que tenha sido decisivo nas classificações sobre Bahia e Cruzeiro, na Copa do Brasil, o goleiro nunca caiu nas graças da torcida gremista, que o cobrava pela grande quantidade de gols tomados, insegurança passada à defesa, e dificuldade no jogo com os pés, entre outros aspectos.

Na janela de transferências da metade do ano, Brenno foi vendido para o Bari, da Itália, e o Grêmio contratou Caíque, do Ypiranga, de forma inusitada. Após se destacar contra o próprio Tricolor no Campeonato Gaúcho, o goleiro formado no Vitória pediu uma oportunidade, via Instagram, para o vice-presidente de futebol Antonio Brum, o que acabou acontecendo.

Após estrear contra o Cuiabá, quando Grando está suspenso, demorou, mas Caíque finalmente mente assumiu a titularidade na reta final da temporada. E foi importante, com defesas difíceis, na vitórias sobre Goiás e Vasco. Terminou o ano com 100% de aproveitamento nos quatro jogos em que esteve em campo.

  • Gabriel Grando: 39 jogos, 58 gols sofridos
  • Adriel: 13 jogos, 7 gols sofridos
  • Brenno: 8 jogos, 5 gols sofridos
  • Caíque: 4 jogos, 3 gols sofridos

Como foram os laterais do Grêmio em 2023?

As laterais do Grêmio, problemáticas nos últimos anos, passaram por renovação em 2023. E contaram com uma grata surpresa, que foi João Pedro. O lateral-direito, que foi muito prejudicado pelas lesões ao longo da carreira, conseguiu atuar com regularidade, ainda que tenha sofrido dois problemas musculares. Com muita força, se destacou no Campeonato Brasileiro, inclusive marcando gols da vitória contra Santos e Palmeiras.

O outro reforço para lateral-direita, no entanto, não teve o mesmo sucesso. Fábio sofreu com as lesões, e, por mais que tenha revezado titularidade com João Pedro em alguns momentos, deixou a desejar, principalmente na parte defensiva.

No lado esquerdo, a primeira temporada de Reinaldo no Grêmio manteve o que foi visto na reta final da passagem pelo São Paulo. Contribuiu ofensivamente, sendo um dos principais assistentes de Suárez, mas apresentou sérios problemas defensivos, especialmente na reta final do campeonato.

O reserva da lateral-esquerda no início da temporada era Diogo Barbosa. Muito contestado pela torcida, ainda resquício do rebaixamento, em 2021, e da Série B, em 2022, ele acumulou más atuações, a mais comprometedora delas no empate em 3 a 3 com o RB Bragantino, e foi negociado com o Fluminense.

A partir disso, Cuiabano passou a ser o reserva imediato de Reinaldo. Porém, o jogador formado na base gremista acabou atuando, e até se destacando, jogando mais diantado, como meia ou ponta pelo lado esquerdo. Assim, chegou a marcar dois gols na temporada, contra Athletico-PR e Bahia. Uma lesão muscular prejudicou seu desenvolvimento, e o jovem jogador recebeu poucos minutos na reta final da temporada. Durante sua ausência, Wesley Costa, outro lateral-esquerdo da base, estreou como profissional contra o São Paulo.

Como foram os zagueiros do Grêmio em 2023?

Na zaga, 2023 foi mais um ano em que Geromel e Kannemann pouco atuaram juntos. Mas, desta vez, por conta de Geromel, que sofreu demais com as lesões e jogou somente sete vezes. Ainda na pré-temporada, teve lesão no joelho, e só conseguiu estrear no ano em agosto. Depois, mais dois problemas musculares impediram o ídolo gremista de estar em campo, fazendo com que o custo-benefício tenha sido péssimo, e deixando em dúvida a continuidade do zagueiro de 38 anos para 2024, já que tem contrato se encerrando neste mês.

Kannemann jogou bem mais, com a raça habitual. Porém, ficou marcado pelo excessivo número de cartões. Foram 29 amarelos em 47 jogos na temporada. E também três vermelhos, sendo um deles no jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil, após entrada em Everton Ribeiro, o que prejudicou muito o Tricolor Gaúcho na derrota por 2 a 0 para o Flamengo.

Bruno Alves foi quem mais jogou ao lado de Kannemann. Mas não teve a mesma regularidade de 2022, na campanha na Série B. Contestado, termina o ano disputando renovação de contrato com Bruno Uvini, que chegou para esta temporada. Depois de muitos problemas de lesão ao longo da carreira, o ex-zagueiro até conseguiu se manter saudável, mas oscilou nos jogos em que esteve em campo.

No meio do ano, chegou Rodrigo Ely. Com passagem na base do Grêmio, o gaúcho retornou após construir toda carreira profissional na Europa. Mostrou-se forte na bola aérea, mas ficou marcado pelo pênalti polêmico no jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil, contra o Flamengo, e por falhas no empate em 4 a 4 com o Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro.

Bem mais jovem que os companheiros, todos com mais de 30 anos, Gustavo Martins teve temporada de afirmação. Foi utilizado não só como zagueiro, mas também como primeiro volante e lateral-direito, o que demonstra versatilidade. Valorizado pela conquista dos Jogos Pan-Americanos com a Seleção Brasileira, termina 2023 com expectativa de aproveitamento ainda maior no ano que vem.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho, formado em jornalismo pela PUC-RS e especializado em análise de desempenho e mercado pelo Futebol Interativo. Antes da Trivela, passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo