Brasileirão Série A

Entenda por que nova lesão de Geromel é considerada normal

Zagueiro Pedro Geromel, do Grêmio, sofreu lesão muscular depois de se recuperar de problema no joelho

Recuperado de lesão no joelho, Pedro Geromel voltou a jogar uma partida oficial depois de dez meses na vitória do Grêmio por 3 a 0 sobre o Cruzeiro, no último domingo (27), pelo Campeonato Brasileiro. Foram pouco mais de 45 minutos de boa atuação, até que sentisse fisgada na coxa esquerda. Na terça-feira (29), após ressonância magnética, o zagueiro teve confirmada lesão de grau 1 no músculo bíceps-femoral.

Por mais frustrante que seja, o novo problema do ídolo gremista é visto com normalidade por especialistas. Isso ao considerar a gravidade da lesão anterior, e o tempo de parada e recuperação.

Recuperação da lesão no joelho foi mais longa do que o esperado

Geromel se machucou ainda durante a pré-temporada. Em treinamento no dia 5 de janeiro, sofreu lesão meniscal no joelho esquerdo, e passou por cirurgia no dia seguinte.

A recuperação foi bem mais longa do que os três meses inicialmente previstos pelo Departamento Médico do Grêmio. Em 5 de maio, exatamente quatro meses após a lesão, Geromel convocou entrevista coletiva para explicar sua condição. Revelou que, além do problema no menisco, também teve edema ósseo, não diagnosticado inicialmente. Projetou que três ou quatro semanas depois poderia voltar a treinar normalmente.

Sua primeira atividade com bola aconteceu em 28 de junho. A partir daí, a evolução foi lenta, mas gradativa. Participou de jogo-treino com o São José no dia 3 de agosto. Chegou a aparecer na lista de relacionados para a partida contra o Fluminense, no dia 13, mas após conversa com Renato optou por apenas treinar para aprimorar a parte física. O último teste foi com o Novo Hamburgo, no dia 23. Enfim, a estreia oficial na temporada 2023 ocorreu contra o Cruzeiro.

— Estava agoniado já. Tinha dado uma coletiva para vocês, falei que voltaria em três, quatro semanas, e já se passaram três meses. Tem sido difícil para mim, mas eu me preparei bastante. Tenho feito tudo como deve ser feito para retornar no mais alto nível. Não adianta eu voltar e não estar bem, porque se não ao invés de ajudar vou acabar atrapalhando — comentou o zagueiro após a partida na Arena.

Lesão muscular no retorno de lesão articular é corriqueiro

Geromel sentiu a nova lesão nos acréscimos do primeiro tempo. Em disputa de bola próximo à linha lateral, se esforçou e esticou demais a perna. Ele tentou continuar na partida, mas foi substituído por Rodrigo Ely ainda antes do intervalo.

— Ainda bem que foi na posterior, né? É uma coisa diferente — disse o jogador.

A conformação de Geromel faz sentido. Como explica à Trivela, o preparador físico Márcio Vitória, a maior preocupação quando um atleta retorna de lesão é não haver reincidência.

— O que é muito importante, quando se faz a recuperação de um atleta lesionado, é não ter recidiva. Que ele não tenha lesão no mesmo lugar. Hoje em dia a grande luta dos preparadores físicos, fisioterapeutas, fisiologistas, é essa — conta Márcio.

Com a experiência de quem trabalha em clubes profissionais do Rio Grande do Sul há 25 anos, Vitória explica que lesão muscular depois da recuperação de lesão articular, como é caso de Geromel, é comum.

— Por mais que o atleta esteja preparado, tenha feito toda parte de retreino, tenha cumprido todos protocolos de recuperação, é um risco que se corre. Sempre tem uma compensação. Panturrilha, posteriores de coxa, porque tem compensação no movimento, sobrecarregando, muitas vezes, um lado mais do que o outro. Aí que acaba acontecendo a lesão fora daquela que aconteceu anteriormente — completa o preparador físico.

Menos mal para o zagueiro gremista que o problema, desta vez, não é grave. Em média, o tempo de recuperação de lesão de grau 1 do músculo bíceps-femural é de 10 a 12 dias. Geromel desfalcará o Grêmio no domingo (3), contra o Cuiabá, mas pode retornar no duelo do dia 14, contra o Bragantino.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo