Brasil

‘Vida ou morte’, mas nem tanto: como o Vasco encara o clássico com o Flamengo, no primeiro grande teste do ano

Com um começo de temporada irregular, o Vasco tem no clássico com o Flamengo o seu primeiro grande desafio neste Carioca. E comissão técnica indicou que sabe ponderar a importância do duelo deste domingo, no Maracanã

Depois da luta contra o rebaixamento no último Campeonato Brasileiro, o Vasco iniciou 2024 com a expectativa e a promessa de dias melhores. Mas, com mudanças importantes no departamento de futebol e no elenco, o Cruz-Maltino vem tendo um início de temporada irregular, que pese, é claro, ainda ser o “recomeço” de trabalho. E, agora, neste domingo (4), o Vasco tem o seu primeiro grande teste do ano no clássico com o Flamengo, às 19h (horário de Brasília), no Maracanã, pelo Campeonato Carioca. Mas a comissão técnica de Ramón Diaz sabe que não é esta partida que vai ditar como será a temporada do clube.

Na partida, válida pela sexta rodada da Taça Guanabara, o Vasco vai enfrentar o seu primeiro adversário da Série A do Campeonato Brasileiro. É verdade que o Cruz-Maltino já enfrentou e venceu, neste ano, o San Lorenzo, tradicional time argentino e que vai disputar a Copa Libertadores de 2024. Mas o duelo foi em um amistoso de pré-temporada, com muitos testes nos dois times, principalmente no próprio lado vascaíno. Mas, é claro, no clássico com o Rubro-Negro, o time de Ramón Diaz vai ter o confronto mais difícil até o momento nesta temporada.

E o Vasco já chega para a partida com o sinal de alerta ligado. Desde quando passou a disputar o Campeonato Carioca com o elenco principal, depois de dois jogos com um time cheio de garotos da base e alguns atletas que não vinham sendo aproveitados por Ramón Diaz, o Cruz-Maltino só venceu uma das três partidas. Depois da vitória sobre o Madureira, o Cruz-Maltino empatou com o Bangu e, na última quinta-feira, perdeu para o Nova Iguaçu. Neste último jogo, com um time misto, mas com uma péssima atuação.

Depois de poupar alguns titulares na última rodada, o Cruz-Maltino deve ter força máxima no Maracanã. Ramón Diaz também conta com o retorno de Jair, que estava suspenso contra o Nova Iguaçu. Na última quinta, nomes como Medel, João Victor, Lucas Piton, Payet e Vegetti começaram no banco de reservas, com alguns entrando no segundo tempo.

O clássico, é claro, também é importante para o Vasco pela tabela de classificação da Taça Guanabara. Com os dois últimos tropeços, o Cruz-Maltino caiu para a sétima colocação, com oito pontos conquistados. A diferença para o G-4 é de apenas um ponto, mas, com muitos times embolados, uma derrota pode complicar a situação do clube, além de, é claro, aumentar a desconfiança por este começo irregular de temporada.

Auxiliar e filho de Ramón Diaz, Emiliano falou sobre a importância do clássico para o Vasco (Foto: Leandro Amorim/Vasco)

Vasco encara clássico como ‘vida ou morte’, mas nem tanto…

Depois da derrota para o Nova Iguaçu, Emiliano Diaz, auxiliar e filho do técnico Ramón Diaz, falou sobre o clássico deste domingo, com o Flamengo. E o argentino deixou em aberto dois pontos sobre o duelo com o Rubro-Negro. Para ele, o clube deve encarar os clássicos como “vida ou morte”. No entanto, ele também ponderou que o time ainda está em preparação e que de nada ainda fazer um bom Campeonato Carioca e depois lutar contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

– Clássico a gente tem que jogar vida ou morte, como todo jogo que estamos jogando. Vamos jogar com tudo o que a gente tem. Estamos em preparação. Ano passado chegamos à semifinal do Carioca e terminamos o ano brigando contra o rebaixamento. Temos um plano e não vamos sair dele, aconteça o que aconteça. Queremos que o Vasco seja sólido. Não queremos repetir os erros do ano passado, não nos preparar bem para Brasileirão e Copa do Brasil. Vamos com o que planejamos – afirmou Emiliano Diaz.

Clássicos de 2023 servem de inspiração e alerta

Na última temporada, Vasco e Flamengo se enfrentaram três vezes, com duas vitórias rubro-negras e uma vascaína. No primeiro duelo, também pela Taça Guanabara, o Cruz-Maltino, sob o comando de Maurício Barbieri, venceu por 1 a 0 um jogo que foi muito movimentado e com o time adversário sendo superior. O Flamengo perdeu oportunidades, mas o Vasco também teve as suas chances e conseguiu marcar no começo do segundo tempo, com Puma Rodríguez aproveitando uma sobra na entrada da área. Em desvantagem, o Flamengo pressionou, mas Léo Jardim fez grandes defesas e segurou a vitória do Vasco. Mas, como bem alertou Emiliano Diaz, a vitória no começo do ano não representou como seria o ano do clube.

No Brasileiro, o Flamengo levou a melhor nos dois turnos. No entanto, os jogos tiveram cenários muito diferentes. No primeiro, o Vasco estava no seu pior momento da temporada e foi totalmente dominado pelo Rubro-Negro, que goleou com facilidade por 4 a 1. Algumas semanas e mais algumas derrotas depois, Maurício Barbieri seria demitido do Cruz-Maltino.

No returno, com Ramón Diaz, mesmo com um time tecnicamente inferior, mas fazendo uma boa campanha de recuperação, o Vasco conseguiu fazer um jogo equilibrado com o rival, que lutava na parte de cima da tabela do Brasileirão. A partida foi equilibrada, com chances para os dois lados, mas o Flamengo foi efetivo e venceu por 1 a 0, com gol de Gerson na segunda etapa, em lance em que a finalização desviou na zaga do Vasco e complicou a situação de Léo Jardim. Para o Cruz-Maltino, ficou o gosto de que o time poderia ter conseguiu pelo menos um ponto, que, naquela altura, seria importante na luta contra o rebaixamento.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo