Brasil

Mudança de rota no meio do caminho foi essencial para o Vasco se salvar no Campeonato Brasileiro

Depois de começo desastroso com Mauricio Barbieri, chegada de Ramón Diaz e reforços experiente garantiram a permanência do Vasco na Série A do Brasileiro

O início do Vasco no Campeonato Brasileiro até parecia animador, mas a realidade logo bateu na porta e o clube viveu mais uma temporada de drama e tensão na principal competição nacional. Lutando contra o rebaixamento durante todo o Brasileirão, o Cruz-Maltino passou por uma grande correção de rota no meio do ano, mas, mesmo assim, só conseguiu garantir a permanência na Série A, evitando o que seria o quinto rebaixamento do clube, nos minutos finais da última rodada do Brasileiro. Graças a um grande trabalho de Ramón Diaz com os reforços que chegaram no Vasco na segunda janela de transferências de 2023.

Depois de um Campeonato Carioca razoável, mais pelos resultados do que pelas atuações, e do fracasso na Copa do Brasil, o Vasco iniciou o Campeonato Brasileiro surpreendendo. Na primeira rodada, o Cruz-Maltino venceu o Atlético-MG, em pleno Mineirão, por 2 a 1. Ainda nas rodadas iniciais, o Vasco conseguiu outros dois bons resultados, empatando com o Palmeiras e o Fluminense. Mas a derrota para o Bahia, em São Januário, já era um indício de que o clube teria problemas na competição.

O time de Maurício Barbieri emendou uma sequência de dez jogos sem vencer, sendo seis derrotas seguidas. Dentre elas, algumas marcantes e traumáticas, como a goleada por 4 a 1 para o Flamengo e e o 1 a 0 para o Santos, em São Januário, em um jogo que ficou marcado por uma declaração polêmica de Barbieri, que exaltou o fato do Peixe nunca ter sido rebaixado, enquanto o Vasco voltava da Série B.

Mauricio Barbieri conquistou apenas seis pontos em 12 partidas pelo Vasco no Brasileiro (Foto: Icon sport)

Mas a mais traumática dessas derrotas foi justamente a última dessas seis, que fez o técnico Maurício Barbieri ser demitido. No fim de junho, o Vasco perdeu por 1 a 0 para o Goiás, em São Januário. Revoltados com a péssima sequência do time, torcedores do Vasco arremessaram sinalizadores, copos e latas no campo, além de tentarem invadir o gramado. A confusão foi ampliada por uma resposta desproporcional da Polícia Militar, que atirou balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo a esmo, causando uma correria generalizada. No dia seguinte, o Vasco anunciou a demissão de Barbieri.

No entanto, os efeitos daquela derrota foram além do campo. Pela confusão generalizada, o Vasco foi punido no STJD, com a perda de quatro mandos de campo, e ainda teve São Januário interditado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que se baseou em um relato elitista de um juiz e deixou o estádio fechado por mais de 80 dias, gerando revolta e uma onda de protestos contra a decisão. O Vasco só conseguiu a liberação de São Januário depois de assinar um TAC com o Ministério Público.

Chegada de Ramón Diaz e reforços mudaram a cara do Vasco

Depois de três jogos com o interino William Batista, o Vasco optou por uma mudança de rota. Após apostar na juventude de Maurício Barbieri, o clube foi atrás da experiência de Ramón Diaz. Naquele momento, o clube dividia a lanterna da competição com o América-MG, com nove pontos em 14 jogos. Como era de se esperar, o início do argentino não foi fácil. O Vasco perdeu as duas primeiras com Ramón Diaz, para Athletico-PR e Corinthians. Mas, com a vitória por 1 a 0 sobre o Grêmio, em São Januário – a primeira do clube na Colina -, na 18 rodada, uma chave virou no clube.

Além de Ramón Diaz, o Vasco também procurou jogadores mais experientes. E nomes como Vegetti, Medel, Maicon, Paulinho e Payet foram essenciais para o time iniciar uma grande campanha de recuperação. Mas a situação era tão difícil que o clube só deixou a zona de rebaixamento pela primeira vez após vencer o América-MG, em jogo atrasado da 15 rodada, no fim de setembro.

Vegetti foi um dos reforços que ajudaram a mudar a cara do time do Vasco no returno do Brasileiro (Foto: Icon sport)

Ainda com alguns momentos de irregularidade – compreensíveis pela situação do time na tabela -, o Vasco chegou a voltar para o Z-4. Mas, com uma campanha digna de G6 do Brasileiro, Cruz-Maltino chegou na última rodada fora da zona de rebaixamento e dependendo apenas das próprias forças para se salvar. Em um jogo dramático, o heroi improvável Serginho garantiu a vitória por 2 a 1 sobre o Red Bull Bragantino e evitou o rebaixamento do Vasco.

O que deu certo para o Vasco no Campeonato Brasileiro

A aposta na experiência de Ramón Diaz e em jogadores mais rodados na janela do meio do ano foi essencial para a reviravolta do clube no Campeonato Brasileiro. O Vasco foi certeiro em contratações como a de Medel, que foi importante na zaga e logo virou capitão do time, e do atacante Vegetti, que fez dez gols em 21 jogos. Ramón Diaz também foi importante para dar mais confiança para jogadores como Zé Gabriel e Gabriel Pec.

A manutenção de Léo Jardim como titular do time também se mostrou uma ótima decisão. Após um momento de irregularidade no primeiro turno e muitos pedidos de oportunidades para Ivan, o goleiro voltou a sua melhor fase e também foi essencial para o Vasco evitar o rebaixamento.

Mesmo com começo irregular, Payet foi responsável direto por seis pontos do Vasco no Brasileiro (Foto: Icon sport)

O que deu errado para o Vasco no Campeonato Brasileiro

O primeiro turno do Vasco no Campeonato Brasileiro escancarou a falha no planejamento do Vasco, que deu prioridade a reforços para o setor defensivo na primeira janela do ano. Sem um meia criativo, o Cruz-Maltino sofria para fazer boas jogadas ofensivas e, claro, fazer gols. Além disso, a falta de experiência do elenco também ficou explícita no momento de crise, quando o time de Barbieri tinha muitos garotos formados na base do clube.

O que esperar do Vasco em 2024

Depois do drama em 2023, o Vasco deve ser mais ousado na montagem do elenco para a próxima temporada. A chegada de Alexandre Mattos deixa claro essa opção de ser muito ativo no mercado de transferências. Depois de uma grande reformulação no elenco entre 2022 e 2023, agora o Vasco já tem uma base para o grupo que vai disputar o Campeonato Brasileiro do próximo ano, o que deve facilitar o trabalho de Ramón Diaz. Com um elenco melhor e manutenção do treinador, a expectativa é de que o Vasco brigue, ao menos, na primeira página da tabela do Brasileirão.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel RodriguesSetorista

Jornalista formado pela UFF e com passagens, como repórter e editor, pelo LANCE!, Esporte News Mundo e Jogada10. Já trabalhou na cobertura de duas finais de Libertadores in loco. Na Trivela, é setorista do Vasco e do Botafogo.
Botão Voltar ao topo