Brasileirão Série A

Com drama e herói improvável, Vasco vence o RB Bragantino e escapa do rebaixamento no Brasileiro

Com um gol de Serginho na reta final do segundo tempo, o Vasco venceu o Red Bull Bragantino por 2 a 1, em São Januário, e evitou o que seria o seu quinto rebaixamento no Brasileiro

Foi com drama, muita emoção e um heroi muito improvável, mas o Vasco conseguiu garantir a permanência na Série A do Campeonato Brasileiro. Com um vitória por 2 a 1 sobre o Red Bull Bragantino, com um gol de Serginho, aos 36′ do segundo tempo, em São Januário, o Cruz-Maltino subiu para a 15ª colocação, com 45 pontos, e junto com o Bahia, empurrou o Santos para o Z-4, evitando o que poderia ser o quinto rebaixamento o clube na sua história.

Depois de 24 rodadas na zona de rebaixamento e de um péssimo primeiro turno, o Vasco, comandado pelo experiente e sempre otimista Ramón Diaz, conseguiu fazer uma ótima campanha no segundo turno, digna de G6, e garantiu o alívio da torcida, que viveu uma noite de drama e tensão em São Januário.

Ramón Diaz aposta em mudanças no time titular, mas…

Para o jogo decisivo na luta contra o rebaixamento, o técnico Ramón Diaz apostou em mudanças no time titular. O Vasco entrou em campo com Paulo Henrique na lateral-direito, no lugar de Puma Rodríguez. E com um meio de campo inédito, com Jair, Praxedes, Marlon Gomes e Payet. Aliás, a escalação de Praxedes foi um pedido do próprio treinador. Como o meia pertence ao Red Bull Bragantino e está emprestado ao Cruz-Maltino, o clube carioca precisou pagar uma multa de cerca de R$ 1 milhão para poder usar o camisa 21.

Mas as mudanças de Ramón Diaz não surtiram o efeito esperado. Sem Zé Gabriel, o meio perdeu poder de marcação. E, com o Red Bull Bragantino apostando nos ataques pelo lado esquerdo, a falta de recomposição por parte de Marlon Gomes prejudicou o lado direito da defesa do Vasco, que ficou exposto. No entanto, mesmo tendo mais a bola, o time paulista não conseguiu ameaçar o gol de Léo Jardim.

Jogador barrado entra e abre o placar

Ainda no começo do jogo, em lance sozinho, Marlon Gomes sentiu o tornozelo direito e ficou caído no gramado. O garoto foi atendido e voltou para a partida, mas ficou poucos minutos em campo. Aos 25′, Paulinho, que havia sido “barrado” por Ramón Diaz, entrou no lugar de Marlon Gomes.

Neste momento da partida, o Bahia vencia o Atlético-MG e empurrava o Vasco para a zona de rebaixamento, o que causou burburinho nas arquibancadas de São Januário e aumentou o drama vascaíno, que, agora, precisava da vitória para garantir a permanência na Série A.

Com Paulinho, o Vasco ganhou mais força e velocidade pelo lado direito. E foi justamente por ali e com o próprio meia que o Vasco conseguiu o gol que levou alívio a São Januário. O camisa 18 avançou pelo meio em jogada individual e finalizou da entrada da área. A bola desviou na defesa adversária e Cleiton não teve chances de defender. O gol que abriu o placar, inclusive, foi comemorado no setor visitante de São Januário. Com os ingressos esgotados para a torcida do Vasco, muitos vascaínos apelaram e acompanharam a partida no setor destinado aos torcedores do Red Bull Bragantino. Apesar disso, não foram registrados tumultos no local.

O gol do Vasco, combinado o momentâneo empate do Atlético-MG e, depois, com o Fortaleza abrindo o placar contra o Santos, fez São Januário explodir. Ainda no fim do primeiro tempo, um novo gol do Bahia aumentou a tensão no estádio, mas, naquele momento, o Vasco não dependia do resultado dos adversários.

Red Bull volta melhor do intervalo

Depois de um longo intervalo, de mais de 20 minutos, no aguardo para as partidas de Bahia e Santos (tentarem) recomeçar juntas, o Vasco ficou perto de marcar aos 2′. Em novo erro na saída de bola do Red Bull, Vegetti tocou para Praxedes, mas o meia, que o Vasco pagou R$ 1 milhão para ter em campo, dentro da área, escorregou na hora de dominar e isolou a bola.

Apesar deste primeiro lance do Vasco, quem voltou melhor para o segundo tempo foi o Red Bull Bragantino. Apostando principalmente em jogadas pelos lados, o time paulista passou a criar jogadas de perigo. Aos 15′, Lucas Evangelista recebeu pela direita, cortou para o meio e finalizou com categoria, mas a bola passou perto da trave esquerda de Léo Jardim. Dois mintuos depois, em nova jogada pela direita, Helinho recebeu na linha de fundo e cruzou rasteiro. Henry Mosquera tentou de calcanhar e a bola sobrou para Léo Ortiz, que finalizou e empatou a partida.

Expulsão muda o jogo e Vasco tem herói improvável

Com os placares daquele momento, o Vasco voltava para a zona de rebaixamento, o que deixou o clima tenso nas arquibancadas de São Januário. O jogo ficou disputado e brigado no meio de campo. Até que, aos 27′, em uma arrancada de Serginho, que havia entrado no segundo tempo, pela esquerda, o meia foi derrubado por Léo Realpe na entrada da área. Em um primeiro momento, o árbitro Wilton Pereira Sampaio deu cartão amarelo. Mas, após consulta ao VAR, o juiz deu o vermelho direto para o zagueiro do Red Bull. Na cobrança de falta, Maicon bateu colocado, mas Cleiton defendeu.

Com uma mais, o Vasco passou a tentar pressionar o Red Bull, mas aparentava exagerar nos cruzamentos na área. No entanto, foi justamente em uma bola levantada na área por Paulo Henrique que Serginho aproveitou o cruzamento para marcar, de cabeça, o gol do alívio vascaíno.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo