Brasil

Milito completa um mês de Atlético cheio de pontos positivos, mesmo com adversidades

Gabriel Milito completa 31 dias de Atlético e, mesmo sem tempo para trabalhar, está cheio de pontos positivos

Imagina estrear no comando de um time em uma final de estadual contra o maior rival e ter a missão de fazer uma boa fase de grupos na Libertadores, além de iniciar o Campeonato Brasileiro. Tudo isso em um mês, sem tempo de trabalho e treinos. Assim foram os últimos 31 dias de Gabriel Milito no Atlético-MG que, mesmo com tanta adversidade, só trouxe pontos positivos.

Gabriel Milito chegou ao Atlético exatamente há um mês, no dia 25 de março, aniversário do clube. Ele tinha a missão de fazer o Galo jogar futebol de fato, ser ofensivo, se apresentar no jogo e recuperar o que tinha sido perdido com Felipão. Mas, ele tinha o enorme obstáculo de não ter tempo para treinar seus jogadores. Depois da primeira semana dele, que foi só de treinos, engatou uma maratona de jogos, que ainda não teve fim.

Mesmo com essa adversidade de não conseguir trabalhar com os jogadores da forma que queria por falta de tempo, Milito soma oito jogos, cinco vitórias e três empates. A final de estadual contra o maior rival? Venceu e levantou a taça. A importância de uma boa fase de grupos na Libertadores? Ele entrega, com três vitórias em três jogos. E no início de Brasileiro, está invicto e se mantendo perto do topo depois de um show contra o Cruzeiro.

Mas o Atlético de Gabriel Milito ainda vai além dos resultados. Mesmo sem tempo suficiente para treinos, ele mudou completamente o estilo de jogo do Atlético e já cumpre o que era pedido, de ter um time ofensivo, que domina e gosta de jogar, de ter a bola.

Milito mudou totalmente o esquema, e faz ele dar certo

O Atlético de Gabriel Milito é completamente diferente do de Felipão. Com Scolari, o time tinha menos a bola e criava menos chances. Era mais vertical e buscava matar o jogo nas poucas chances que criava nos jogos, sempre apostando na qualidade dos atletas do ataque. Já com Milito, o Galo domina o jogo, tem a bola e mais paciência para criar e achar espaços. As oportunidades de marcar aumentaram, e os gols do time também.

Milito fez isso colocando o Atlético com três zagueiros, algo que não tinha sido testado nesse elenco. E deu certo, mesmo com ele utilizando um lateral-direito e um volante na zaga. O esquema potencializou os alas, que são no momento Scarpa e Arana, ambos em excelente fase com o argentino. Os meias estão livres no campo e marcam e atacam com a mesma intensidade, enquanto os atacantes, com a volta da dupla Hulk e Paulinho, tem muita liberdade ofensiva, do jeito que gostam.

É difícil explicar como Milito conseguiu mudar completamente o time em um só mês e com tantos poucos jogos. Desde que chegou, sempre fez questão de falar da importância de deixar claro para os jogadores o que ele pensa. Transmitir o que ele quer para que os atletas façam exatamente o esperado em campo, é essencial para o argentino. Para isso, com poucos treinos e muitas viagens, ele acaba utilizando muito o recurso de vídeos.

Cada treinamento que a gente não pode ir ao campo e faz um trabalho de vídeo, é treino também. Temos que estar atentos para, no curto período que temos, estarmos treinando na aula teórica (vídeos), para executar na prática (jogo) dentro do que o professor tem passado para nós — disse o volante Otávio.

Apesar da ótima fase de grandes atuações, Milito ainda quer mais. Mesmo após o passeio contra o Cruzeiro no último fim de semana, ele falou em evoluir o time. Até porque, é só um mês de trabalho, com pouco tempo de treinamento, e, como ele mesmo cita, o Galo tem margem para melhorar, principalmente nos segundos tempos dos jogos, quando cai de rendimento.

E isso potencializou vários jogadores

Um dos principais pontos positivos do trabalho de Milito até o momento é como ele potencializou inúmeros jogadores do elenco do Atlético. Não há um que não fale empolgado após os jogos da forma que ele trabalha, e praticamente todos evoluíram demais com o argentino.

Saravia era um lateral-direito muito contestado, de altos e baixos, que se tornou zagueiro e um leão da defesa atleticana. Jemerson retomou a confiança da torcida com boas atuações. Otávio estava em baixa e agora é um titular que é difícil ver o time começar sem ele. Alan Franco é outro que voltou a jogar muito com o treinador.

Gustavo Scarpa estava totalmente improdutivo com Felipão, e se tornou o jogador com mais participações em gols no futebol brasileiro desde a chegada de Milito. Guilherme Arana estava em baixa e também virou um show de contribuições para gols, estando mais solto para fazer o seu melhor, que é atacar. Hulk e Paulinho voltaram a ser uma dupla, como devem ser, e tem liberdade para jogar, do jeito que gostam.

Todos os jogadores parecem potencializados pelo esquema e pelo estilo de Milito. O treinador encanta os atletas e a torcida, mesmo com todos sabendo que ainda há margem para melhora. O mês de Milito foi muito melhor do que qualquer um imaginava, e a tendência é seguir evoluindo.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo