Brasil

Arana voando como ala no Atlético-MG era algo tão óbvio que não surpreende ninguém

Com características mais ofensivas, Arana encaixou perfeitamente no esquema de Milito no Atlético, e já soma participações em gols

Um dos grandes destaques da goleada do Atlético-MG contra o Caracas na estreia da Libertadores, na última quinta-feira (7), foi o lateral-esquerdo Guilherme Arana, que marcou um gol e deu uma assistência. Agora com Milito, ele atua como ala, tendo mais liberdade para ir ao ataque utilizar suas principais armas, que são ofensivas. Essa mudança dar certo era algo tão lógico que nem surpreende.

Desde que surgiu para o futebol, Guilherme Arana sempre foi apontado como um lateral que tem características mais ofensivas. Isso não quer dizer que ele não vai bem defensivamente, pelo contrário, é muito seguro também nesse quesito. Mas, ofensivamente, é onde ele se destaca mais.

No Atlético, ele já soma 17 gols (número alto para um lateral) e 30 assistências, em 190 partidas. As últimas participações em gols aconteceram nos dois últimos jogos, quando Gabriel Milito chegou, mudou a formação e deu mais liberdade para ele chegar no ataque.

Milito monta seus times com três defensores, o que faz com que ele utilize alas e não laterais na maior parte das vezes. Com a bola, os alas tem uma liberdade muito grande de irem ao ataque e participarem mais dos lances ofensivos, sendo resguardados por volantes ou um dos zagueiros nos retornos para cumprir as obrigações defensivas. Com isso, quem mais parece ter se beneficiado é Guilherme Arana.

Nos dois jogos do Atlético sob o comando do argentino, Arana foi o ala-esquerdo do Atlético e se fez presente no ataque com mais frequência. O resultado disso? Três assistências e um gol marcado. No empate contra o Cruzeiro, deu assistências para Fuchs e Hulk. Já contra o Caracas, onde ele jogou sendo ainda mais presente no ataque, deixou o dele pegando sobra na área (mostrando como ele está mais presente no ataque) e, minutos depois, assistiu Paulinho com um cruzamento.

— Vivendo um bom momento novamente. Me cobro bastante e as recompensas começam a aparecer. Já tive grandes momentos com essa camisa e espero sempre poder estar representando esse clube muito bem — afirmou Arana após o duelo na Libertadores.

O ano da volta por cima de Arana

Essa temporada é a que pode sacramentar a volta por cima de Arana. No fim de 2022, ele sofreu uma grave lesão, que o tirou não só da Copa do Mundo daquele ano como também dos gramados por nove meses. A complexidade da lesão e o tempo fora de campo trouxeram os questionamentos se o lateral iria conseguir voltar e atuar no nível que o credenciava para ser o lateral do Brasil em uma Copa.

Em 2023, sem pré-temporada, foi notório como Arana foi evoluindo a cada partida. No início, a falta de ritmo e o “medo” de fazer algumas ações o travavam em campo. Gradualmente foi se soltando e terminou o ano muito bem, sendo, inclusive, novamente convocado para defender a Seleção Brasileira.

Em 2024, após ter retornado aos gramados e ganhado confiança, voltou a fazer uma pré-temporada e vive a expectativa de se consolidar novamente como o melhor lateral-esquerdo do país. Com Felipão, ele não estava no seu melhor, mas já é outro jogador agora com Milito — não só pelo gol e as assistências.

Entender que haverá oscilações

Com esse início espetacular de Arana sob o comando de Milito, é claro que o jogador, o treinador e, principalmente, o torcedor, se empolgam. Algo natural. No entanto, é importante entender que não será em todos os jogos que ele vai brilhar desse jeito. É natural, também, que haja oscilações.

Mesmo assim, é justo esperar que, jogando mais próximo do ataque, Arana tenha mais participações em gols, sejam eles diretos, como o gol e as assistências que já deu, ou iniciando uma jogada que termine com a bola nas redes.

Foco na final do Mineiro

Guilherme Arana muda seu foco agora para a grande final do Campeonato Mineiro neste domingo (7), contra o Cruzeiro, no Mineirão. Ajudar o Atlético a fazer gols será crucial novamente, já que o Galo só sairá do estádio com a taça se vencer a partida. Qualquer outro resultado, dá Raposa.

O lateral e o Atlético buscam o pentacampeonato estadual. Contra o Cruzeiro, Arana soma três assistências. Além das duas no último sábado, ele assistiu ao gol de Ademir no Mineiro de 2022, em uma épica virada atleticana no último lance do jogo válido pela primeira fase do Mineiro.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo