Libertadores

Com tranquilidade, Atlético-MG goleia o Caracas e estreia com moral na Libertadores

Com show de Paulinho e Arana, Atlético não teve dificuldades para golear o Caracas na estreia da Libertadores

O Atlético-MG fez o esperado e goleou o fraco time do Caracas por 4 a 1 na estreia da Libertadores. Com dois de Paulinho e show de Arana, o Galo construiu o resultado no primeiro tempo e controlou na etapa final depois de um pequeno susto. O Alvinegro se tornou o primeiro time brasileiro a vencer nessa edição do principal torneio do continente, e pode ser o único, caso o São Paulo, último a jogar, não vença o Talleres.

Depois da cansativa viagem até Caracas, o Atlético teve tranquilidade para vencer o time da casa, impondo seu estilo de jogo e sua superioridade técnica esperada. O Galo estreou com moral na Libertadores e ainda leva essa vitória como gás para a grande decisão do Campeonato Mineiro no domingo (7), contra o Cruzeiro. Do lado do time venezuelano, segue a crise, agora somando nove jogos sem vencer na temporada.

Passeio do Atlético no primeiro tempo

O Atlético não tomou conhecimento do Caracas e faz valer em campo toda a superioridade esperada pela qualidade dos times no papel. O show do Galo começou com Hulk quase marcando um gol histórico, de (bem) antes do meio-campo, que passou perto da trave. Mas a primeira etapa não estava favorável ao artilheiro atleticano, que perdeu um gol sozinho quase na pequena área, com o zagueiro cortando em cima da linha.

Se a primeira noite de Libertadores não estava favorável a Hulk, ela sorriu (e muito) para os defensores do Atlético. O zagueiro Bruno Fuchs abriu o placar após cobrança de escanteio aos 13 minutos. Depois, um show de Arana. O lateral aproveitou uma bola que sobrou na área para soltar o pé e ampliar. Depois, acionado na esquerda, cruzou a meia altura para o meio da área, onde Paulinho apareceu sozinho para completar para o gol.

O artilheiro Bruno Fuchs

Fato curioso do primeiro tempo é que o zagueiro Bruno Fuchs, aparentemente, abriu a porteira dos gols na sua carreira. Até o último domingo, ele não tinha balançando as redes nos mais de 100 jogos que havia atuado na carreira. Naquele dia, abriu o placar para o Atlético contra o Cruzeiro, e nesta quinta fez o mesmo. Ou seja, soma dois gols em duas partidas depois de não ter nenhum em mais de 100.

Susto no início do segundo tempo, mas não passou disso

O Atlético voltou para o segundo tempo desatento, provavelmente pelo placar mais elástico, e acabou sendo punido por isso. Aos nove minutos, Pernía subiu no terceiro andar para cabecear após cobrança de escanteio e parou em grande de Everson, mas Pérez pegou rebote sozinho e diminuiu o placar.

O Galo seguiu desatento e flertando com o perigo de deixar o jogo tenso. No entanto, o time do Caracas não teve qualidade para aproveitar isso e acabou sendo punido. Aos 25 minutos, a defesa cortou mal um lance e ela acabou nos pés de Paulinho, que dominou e bateu firme no canto para ampliar.

Com o gol atleticano, o jogo foi praticamente finalizado. O Galo fez mais alterações e passou a controlar cada vez mais a partida, enquanto o Caracas perdeu as últimas esperanças que tinha (se é que tinha) de tentar surpreender.

Paulinho, o rei da Libertadores no Atlético

Autor de dois gols na partida, o atacante Paulinho se transforma quando disputa a Libertadores pelo Atlético. Ele fez seu 12° jogo com a camisa alvinegra na competição, e chegou ao 9° gol, além de outras quatro assistências. Com esses números, ele já é o 3° maior artilheiro do Galo no principal torneio do continente, empatado com Guilherme e atrás de Jô (11) e Hulk (15).

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo