Copa do Brasil

Rodrigo Nestor deve ser titular do São Paulo pela primeira vez desde retorno após lesão

Meia deve iniciar a partida contra o Águia de Marabá, nesta quinta-feira, pela Copa do Brasil

Luis Zubeldía irá preservar os jogadores mais desgastados do São Paulo para enfrentar o Águia de Marabá nesta quinta-feira (2), às 19h30 (horário de Brasília), no Mangueirão, pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. O próprio treinador afirmou que irá rodar o elenco em sua entrevista coletiva após o empate em 0 a 0 com o Palmeiras, na última segunda-feira (29). E essa estratégia abre espaço para Rodrigo Nestor voltar a iniciar uma partida pelo Tricolor.

Conforme apurado pela Trivela, o meia será titular da equipe pela primeira vez desde que se recuperou da lesão no ligamento medial colateral do joelho esquerdo, sofrida em novembro de 2023. Após cinco meses de tratamento, o herói do título inédito da Copa do Brasil voltou a atuar na vitória por 2 a 0 sobre o Cobresal, no dia 10 de abril. Desde o retorno, ele fez quatro partidas, todas elas vindo do banco de reservas.

A titularidade de Rodrigo Nestor faz parte de um plano de Luis Zubeldía para o meia retomar seu protagonismo na equipe. O treinador quer dar minutos ao jogador para que ele evolua em sua situação física e de ritmo de jogo após a lesão.

— Nestor é muito importante para a equipe, sei que a qualquer momento vou usá-lo e dar minutos para que ele jogue depois da operação do joelho — disse o treinador na última entrevista coletiva.

A lesão e a recuperação de Rodrigo Nestor

Nestor machucou o joelho esquerdo durante um treino às vésperas da vitória por 1 a 0 sobre o Red Bull Bragantino, na Vila Belmiro, em 8 de novembro. Três dias antes, no domingo (5), o volante sofreu uma entorse no local. Mais tarde, um exame médico confirmou a lesão no ligamento medial colateral do joelho esquerdo, além de uma desinserção do menisco. Ele passou por cirurgia no local no dia 8 de novembro, e logo iniciou o tratamento nas dependências do clube.

Para acelerar a sua recuperação, Nestor abriu mão de parte das férias para realizar trabalhos de fisioterapia no CT da Barra Funda. Ele foi liberado para iniciar o processo de transição física no início de março, quando já retomou também os primeiros trabalhos com bola. Havia expectativa até de que ficasse à disposição ainda no Campeonato Paulista, mas ele acabou sendo substituído por André Silva na lista de inscritos. Conforme apurado pela Trivela, a retirada de seu nome não agradou pessoas do entorno do jogador. O entendimento é de que o médico havia sido “muito conservador” na avaliação sobre a evolução do atleta.

— Evoluí muito. É uma situação nova, nunca tinha passado por isso, talvez no melhor momento da minha carreira passar por uma situação dessas. Agora, a parte mais difícil já passou. É voltar, aproveitar. Foi realmente muito difícil. Ficou uma cicatriz aqui, e sempre vou olhar para ela e lembrar do que eu passei — disse Nestor aos canais oficiais do clube.

Nestor atuou em quatro jogos pelo São Paulo desde o retorno da lesão (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Lesão foi ponto baixo de temporada em que Nestor virou herói

A lesão no joelho veio justamente na reta final de uma temporada em que Nestor se eternizou na história do São Paulo. Antes alvo de críticas e até de ameaças por parte da torcida, o meia soterrou tudo isso ao marcar o gol do título inédito da Copa do Brasil. A atuação no empate por 1 a 1 com o Flamengo, no Morumbi, no agora eterno 24 de setembro, o fez virar herói da conquista — principalmente por ter dado a assistência para Calleri marcar o gol da vitória por 1 a 0 no duelo de ida, no Maracanã.

— A história era para ele. Que ele merece mais do que qualquer pessoa fazer o gol. Depois de tudo que ele passou aqui. Para coroar com o gol do empate para a gente ser campeão — disse o zagueiro e companheiro desde os tempos de Cotia, Lucas Beraldo, em entrevista no gramado do Morumbi após a conquista.

O meia mudou de patamar. Tanto, que o São Paulo esperava faturar com uma possível venda na janela de transferências passada. Além do protagonismo pelo título, o clube vê a versatilidade de Nestor como trunfo no mercado de transferências.

Trivela ouviu que o São Paulo pediria entre 10 e 12 milhões de euros por Rodrigo Nestor. A cifra gira em torno de R$ 53,3 milhões e R$ 63,96 milhões. Com a lesão, as possibilidades de saída esfriaram. O meia atuou em 54 jogos em 2023, com dois gols marcados e sete assistências.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo