Brasileirão Série A

São Paulo tenta evitar segunda pior campanha nos pontos corridos e não terá Lucas e James em despedida

Sem os dois principais reforços, James e Lucas, São Paulo precisa pontuar contra o Flamengo para não igualar a segunda pior campanha na história

Em 2023 o São Paulo se sagrou campeão inédito da Copa do Brasil, mas a conquista já eternizada no imaginário dos são-paulinos cobrou seu preço no Brasileirão. O Tricolor vive um final de ano marcada por certa melancolia no Campeonato Brasileiro e pode encerrar a competição com sua segunda pior campanha na história dos pontos corridos.

Para evitar esta marca negativa, a equipe de Dorival Júnior precisa se despedir da temporada com um resultado à altura do que foi este ano tão histórico para o clube. Ou ao menos, arrancar um empate do Flamengo nesta quarta-feira (6), às 21h30 (horário de Brasília), no Morumbi, pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro.

Um ponto basta para que o São Paulo evite igualar as suas duas piores campanhas no Brasileirão por pontos corridos. Em 2013 e em 2017, o Tricolor encerrou a competição com 50 pontos – foi nono e 13º colocado, respectivamente. Em 2023, a equipe soma 50 pontos e ocupa a 11ª colocação, a uma rodada do fim do campeonato. A pior marca da história veio em 2021, quando o clube fechou o Campeonato Brasileiro com míseros 48 pontos.

As piores campanhas do São Paulo no Brasileirão

  • 2021 – 48 pontos e 42,1% de aproveitamento – 13ª colocação
  • 2013 – 50 pontos e 43,8% de aproveitamento – 9ª colocação
  • 2017 – 50 pontos e 43,8% de aproveitamento – 13ª colocação
  • 2023 – 50 pontos e 45% de aproveitamento – 11ª colocação*
    *com um jogo ainda a disputar

Tanto o desempenho deixa a desejar, que Dorival Júnior já até manifestou publicamente seu descontentamento com a campanha no Brasileirão. Mas o técnico sempre fez questão de lembrar que era impossível para o São Paulo manter o mesmo nível de atuações na competição enquanto a sua equipe brigava também pela Sul-Americana e pela Copa do Brasil. O Tricolor foi por algum tempo o único time brasileiro vivo em três frentes na temporada.

Veio o título da Copa do Brasil, e mesmo assim o treinador manteve a corda esticada. Inclusive depois de garantir matematicamente a permanência na Série , com a vitória por 1 a 0 sobre o Bahia, na Fonte Nova, pela 36ª rodada do Brasileirão. Após a partida, Dorival afirmou que a equipe não baixaria o ritmo nas duas últimas rodadas, mesmo sem grandes objetivos por que lutar desde então. E o São Paulo, de fato poderia ter saído com melhor sorte da derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG, no Mineirão, no último sábado (2).

– A motivação é a mesma de sempre. Buscando o melhor resultado possível. Respeitando Atlético e Flamengo, os nossos dois adversários. O trabalho segue, é uma sequência natural. Não podemos nos dar por satisfeitos em momento algum. Temos que continuar trabalhando, intensificando e melhorando o rendimento do grupo – assegura o treinador.

Despedida será sem Lucas Moura e James Rodríguez

Para aumentar o tom melancólico deste fim de Brasileirão, o São Paulo irá a campo sem as suas duas grandes contratações para a temporada. Lucas Moura e James Rodríguez ainda se recuperam de lesões e estão fora da partida contra o Flamengo. O colombiano, aliás, já havia sido desfalque nos dois últimos jogos, com um problema muscular.

Lucas, por sua vez, sofreu um trauma no tornozelo direito na partida contra o Atlético-MG. Ele levou a pior em uma dividida com Mariano e foi substituído ainda no primeiro tempo, com muitas dores. O atacante, aliás, pode se despedir do clube sem uma despedida, de fato, diante do torcedor. O contrato do atacante com o São Paulo vai apenas até o final do ano. A diretoria mantém otimismo sobre a permanência – que ainda é a tendência do momento. Mas ainda não há um acordo sobre a renovação.

Lucas pode não jogar mais pelo São Paulo (Iconsport)

Campanha fora de casa afunda o time

Se hoje joga para evitar sua segunda pior participação no Brasileirão, o São Paulo não pode fugir de uma marca negativa em 2023: a equipe fechou a competição com sua pior campanha como visitante na história. De tão ruim, o aproveitamento do Tricolor longe do Morumbi só foi melhor do que a do lanterna América-MG nesta temporada.

A equipe, aliás, esteve muito perto de ser o primeiro time a permanecer na Série A sem conseguir vencer um jogo sequer fora de casa. A única vitória como visitante veio na 36ª rodada, o 1 a 0 sobre o Bahia, na Arena Fonte Nova, com gol marcado por Caio Paulista já nos acréscimos.

O Tricolor fechou o Brasileirão com míseros 19,3% de aproveitamento fora de casa, com apenas uma vitória, oito empates e dez derrotas. Só o América-MG, com 12,96% consegue ir pior que o clube. Antes de 2023, a campanha mais fraca do clube como visitante havia sido a de 2017, com 26,23% de aproveitamento.

As piores campanhas do São Paulo como visitante*

  1. 2023: 19,30%
  2. 2017: 26,23%
  3. 2021: 31,58%
  4. 2005 e 2012: 33,33%

O São Paulo só garantiu a permanência na elite porque tem a quarta melhor campanha como mandante na competição. Em 18 jogos até agora, são 12 vitórias, três empates e três derrotas, com um total de 72,22% de aproveitamento. São estes números que seguram a equipe na Série A para 2024 e a fizeram garantir a permanência na elite com duas rodadas de antecedência.

A força caseira é trunfo para a despedida da temporada. A equipe enfrenta o Flamengo nesta quarta-feira (6), às 21h30 (horário de Brasília), no Morumbi, pela 38ª e última rodada do Brasileirão. O Tricolor é 11º colocado na competição, com 50 pontos, e pode subir no máximo para a nona colocação, em caso de vitória.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo