Brasileirão Série A

Grêmio ainda não confirma estádio, mas mandará o clássico Gre-Nal no Sul

Sem acordo com o Internacional para campo neutro, Tricolor Gaúcho quer estar próximo de sua torcida no clássico do primeiro turno

Com a inviabilidade da realização na Arena do Grêmio, que foi inundada pelas enchentes no Rio Grande do Sul, o palco do clássico Gre-Nal, marcado para o próximo dia 23 de junho, às 16h, pelo Campeonato Brasileiro tem sido motivo de discórdia e gerado polêmica.

A primeira possibilidade aventada envolvia a disputa dos clássicos dos dois turnos do Brasileirão em campo neutro. A medida visaria gerar equilíbrio técnico, já que, no segundo turno, o Beira-Rio estará plenamente recuperado. Porém, justamente por isso, o Internacional não abriu mão do seu mando.

Gre-Nal será na região sul, garante dirigente do Grêmio

Diante disso, o Grêmio, que para facilitar a logística cogitou mandar o clássico do primeiro turno no Mané Garrincha, em Brasília, ou no Presidente Vargas, em Fortaleza, voltou atrás. Embora o estádio ainda não tenha sido confirmado, ele será na Região Sul, conforme adiantou o vice-presidente de futebol Antônio Brum em entrevista coletiva na tarde de sexta-feira (7).

O clássico Gre-Nal, por toda sua importância, a gente quer mandar na região sul, perto do nosso torcedor, dar esse carinho para nossa torcida. Sabemos que ela vai nos apoiar muito no Gre-Nal e vai invadir qualquer que seja o destino. Trazer essa mobilização para mais perto da nossa casa — afirmou Brum.

— O Inter já não abriu mão do Gre-Nal do segundo turno. Não tem porque o Grêmio não fazer jus ao seu mando de campo e jogar perto de sua torcida, que é fundamental para um clássico Gre-Nal, com todo peso que tem o jogo — acrescentou o vice-presidente de futebol gremista.

‘Não cabe a mim julgar’, diz vice de futebol do Grêmio sobre a postura de outros clubes

Quanto à postura não só do Inter, mas de outras equipes do futebol brasileiro diante dos impasses causados pelas enchentes do Rio Grande do Sul, Brum não quis entrar em polêmica. Mas deixou claro que ficou incomodado com algumas atitudes.

— Cada clube tem sua postura. Muitas a gente não concorda. Desde o momento da paralisação do campeonato isso foi muito discutido. Mas não cabe a mim julgar. Fica na consciência de cada um, e a gente tem que lidar com mais essa dificuldade que foi imposta ao Grêmio — resignou-se.

Couto Pereira tem sido a ‘segunda casa’ do Grêmio

Até aqui, o Grêmio tem mandado seus jogos no Couto Pereira, em Curitiba. O estádio do Coxa, que é comparado ao antigo Olímpico, em Porto Alegre, recebeu a goleada do Tricolor Gaúcho sobre o The Strongest, por 4 a 0, pela Libertadores, e a derrota por 2 a 0 para o RB Bragantino, pelo Campeonato Brasileiro.

Também será o palco do duelo com o Estudiantes, neste sábado (8), às 19h, novamente pela competição continental.

Até pela boa adesão da torcida do Grêmio, a chance é grande que, da mesma forma, o Gre-Nal seja realizado no Couto Pereira. Mas o Tricolor Gaúcho também estuda outras possibilidades, e mandará os demais jogos em diferentes estados.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho, formado em jornalismo pela PUC-RS e especializado em análise de desempenho e mercado pelo Futebol Interativo. Antes da Trivela, passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo